Odontologia em 2024: tudo que você precisa saber

estudantes de odontologia

A faculdade de Odontologia é uma das escolhas mais procuradas por estudantes que desejam seguir uma carreira na área da saúde. Com uma formação completa e diversificada, o curso prepara os alunos para atuarem como dentistas.

Neste texto, vamos explicar todos os aspectos da faculdade de Odontologia, desde a grade curricular até as perspectivas para aqueles que optam por essa graduação. Descubra se a Odontologia é a carreira certa para você e o que esperar dessa emocionante jornada.

Como é o curso de Odontologia?

A faculdade de Odontologia é uma graduação de Bacharelado que prepara os estudantes para atuarem como profissionais de saúde bucal, com habilidades clínicas e conhecimentos científicos.

Durante a graduação, os futuros dentistas adquirem uma formação completa e aprofundada em vários tópicos, como anatomia dental, fisiologia oral, patologia bucal, dentística, periodontia, endodontia, cirurgia bucomaxilofacial, entre outros.

Os graduandos de Odontologia também desenvolvem habilidades práticas em laboratórios e clínicas, onde têm a oportunidade de aplicar os conhecimentos teóricos em atendimentos supervisionados.

Apesar de existirem muitos tipos de graduação no Brasil, a faculdade de Odontologia pode ser oferecida no país em apenas um desses formatos. É importante obter essa informação para planejar uma carreira na área.

Quais são os tipos de graduação em Odontologia?

No ensino superior, existem diferentes tipos de graduação que visam a atender às diversas demandas dos estudantes: Bacharelado, Licenciatura e Tecnólogo. Confira, a seguir, em qual deles a graduação em Odontologia está disponível.

Bacharelado em Odontologia

No Brasil, o curso de Odontologia é oferecido exclusivamente na modalidade de Bacharelado. Ou seja, não há Licenciatura ou Tecnólogo para essa graduação. A escolha pelo Bacharelado como única modalidade para Odontologia é justificada pela complexidade e pela abrangência dos conhecimentos necessários para a prática da profissão.

Licenciatura em Odontologia

Na Odontologia, o Bacharelado é o único curso reconhecido para a formação de cirurgiões-dentistas. Portanto, a Licenciatura, que é um tipo de graduação para formar futuros professores, não está disponível para quem busca uma carreira como dentista.

Tecnólogo em Odontologia

O Tecnólogo é um tipo de curso de nível superior com enfoque mais prático e específico em determinadas áreas. Contudo, no Brasil, a formação de Tecnólogo em Odontologia não é ofertada ou reconhecida pelo MEC.

Apesar de ser oferecido em apenas um formato, existem diversos fatores que tornam a faculdade de Odontologia uma formação profissional bastante atrativa para os estudantes.

O curso de Odontologia é bom?

Sim, é muito bom cursar a faculdade de Odontologia! Um dos principais motivos para isso envolve a grande necessidade de serviços odontológicos no país.

Milhões de brasileiros adultos sofrem com a perda de dentes. Estima-se que 34 milhões de pessoas com mais de 18 anos tenham perdido 13 ou mais dentes no Brasil, enquanto outras 14 milhões vivem sem nenhum dente após perdas ao longo da vida.

Os dados são da Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo IBGE e divulgada em 2020. Eles revelam uma demanda significativa por tratamentos odontológicos e evidenciam a importância de haver profissionais capacitados na área.

Para profissionais e empresários do mercado odontológico, o setor atingiu um valor de quase 427,21 bilhões de dólares em 2021, e a projeção é de que alcance 1.135,36 bilhões até 2031, segundo estatísticas da empresa de inteligência Market Research.

Esses números impressionantes revelam o potencial do mercado odontológico e refletem a relevância que a saúde bucal vem adquirindo na sociedade atual.

Cada vez mais pessoas têm buscado cuidados dentários e estão dispostas a investir em tratamentos que visam a melhorar a sua saúde bucal e estética. A demanda por serviços odontológicos, por sua vez, impulsiona o crescimento do setor e abre novas oportunidades de negócio para profissionais e empreendedores da área.

“A Odontologia é uma profissão que se exerce, em benefício da saúde do ser humano e da coletividade, sem discriminação de qualquer forma ou pretexto” Conselho Federal de Odontologia (CFO).

Aprovação do MEC

Se você está em busca de uma faculdade de Odontologia de qualidade, uma excelente forma de avaliar a sua reputação é por meio do reconhecimento do MEC.

O reconhecimento do órgão é um selo de qualidade que atesta que o curso de Odontologia está em conformidade com as diretrizes e normas nacionais para o ensino superior. Isso significa que a Instituição de Ensino Superior (IES) e o curso em si passaram por uma avaliação criteriosa e foram considerados aptos a oferecer uma formação de excelência.

Quando o curso de Odontologia é reconhecido pelo MEC, você pode confiar que terá acesso a uma formação sólida. Além disso, o governo realiza uma avaliação periódica das graduações oferecidas pelas instituições. Essa avaliação é feita por meio de uma pontuação, que vai de 1 a 5. Quanto maior for a pontuação, melhor será o desempenho do curso.

Consultar a pontuação de um curso de Odontologia é uma maneira de verificar o seu nível de qualidade. Afinal, uma graduação com uma pontuação alta indica que o curso obteve um bom desempenho nas diferentes áreas avaliadas, como: infraestrutura, corpo docente, grade curricular e qualidade da formação oferecida.

Para verificar a nota do MEC de um curso de Odontologia, basta acessar o site oficial do e-MEC, que é o sistema do Ministério da Educação responsável por registrar e avaliar os cursos de ensino superior.

Um dos fatores que também tornam o bacharelado em Odontologia a escolha profissional certa é o perfil do aluno, pois o curso e a área como um todo demandam características comportamentais e habilidades do futuro dentista.

Qual é o perfil ideal de aluno de Odontologia?

O perfil ideal de um aluno da faculdade de Odontologia é aquele que apresenta uma combinação de aptidões e habilidades que embasam a sua decisão de seguir nessa área. Confira quais são esses traços comportamentais e veja se você se identifica com eles.

Perfil

Se você ainda tem dúvidas sobre qual é o perfil de um típico aluno de curso de Odontologia, vamos apresentar alguns traços que facilitam a rotina desse graduando e que também serão úteis na carreira de futuro profissional da área:

  • empatia — o aluno do curso de Odontologia sabe que os seus pacientes podem ter medos e preocupações relacionados aos tratamentos dentários. Por isso, ele se esforça para criar um ambiente acolhedor e transmitir segurança;
  • organização — a rotina na Odontologia pode ser agitada, com aulas, estágios, trabalhos e estudos. O futuro dentista deve saber como gerenciar o seu tempo, estabelecer prioridades e manter tudo sob controle;
  • comunicação — o aluno de Odontologia deve ser capaz de se expressar de forma clara e empática, tanto com os seus colegas de turma quanto com os seus futuros pacientes. Uma boa comunicação é essencial para explicar procedimentos, orientar sobre cuidados bucais e estabelecer uma relação de confiança com as pessoas;
  • resiliência — é preciso estar preparado para aprender tudo que é necessário no intuito de oferecer o melhor cuidado possível aos futuros pacientes.

Além dessas características, cada aluno traz consigo motivações, experiências e talentos individuais, o que torna cada profissional único. Então, se você se identifica com o perfil da profissão e tem interesse em cuidar da saúde bucal das pessoas, considere fazer um teste vocacional para confirmar sua escolha e o futuro da sua carreira.

Rotina de estudos

Na faculdade de Odontologia, assim como em outras áreas da saúde, o cotidiano costuma ser bastante exigente. As aulas práticas são uma parte fundamental do aprendizado, e você terá a oportunidade de colocar em prática tudo que aprendeu na teoria.

Portanto, é preciso ter disciplina e organização para conciliar as demandas acadêmicas com as demais atividades do dia a dia, como aulas práticas, estágios, etc. Mas não se preocupe, pois a faculdade também reserva momentos de interação e descontração, afinal, é importante ter equilíbrio.

Cada IES tem a sua própria grade curricular e uma forma de organizar as atividades acadêmicas. Sendo assim, é interessante pesquisar sobre a instituição e, quem sabe, até conversar com outros alunos para obter informações precisas acerca da rotina do curso.

Um dos aspectos que pode afetar a rotina de estudos no ensino superior é a modalidade de ensino disponível, que é exclusivamente presencial.

Quais são as modalidades de estudo para Odontologia?

Os cursos superiores no Brasil estão disponíveis em várias modalidades de ensino: EAD, presencial e semipresencial. No entanto, o curso de Odontologia só pode ocorrer na modalidade presencial no Brasil.

Odontologia EAD

A modalidade EAD (Ensino a Distância) não está disponível para o curso de Odontologia. Essa restrição tem um motivo simples: os cursos da área de Saúde, incluindo a Odontologia, são caracterizados por uma forte ênfase prática, que requer a presença física dos estudantes em laboratórios, clínicas e hospitais universitários.

Odontologia presencial

O curso de Odontologia é reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) apenas na modalidade presencial. A rotina da modalidade presencial é intensa e diversificada.

Os alunos de Odontologia frequentam aulas teóricas, nas quais adquirem os fundamentos científicos da área, e também participam de atividades práticas em laboratórios, onde desenvolvem habilidades técnicas e destrezas manuais necessárias para a profissão.

A proximidade com os professores, colegas e pacientes, além das vivências práticas em laboratórios e clínicas, é o que contribui significativamente para a construção de uma base sólida e para o desenvolvimento de habilidades necessárias para a sua atuação profissional.

Odontologia semipresencial

A modalidade semipresencial é um formato híbrido que une as atividades práticas do presencial com a flexibilidade do EAD. No entanto, não é um formato reconhecido pelo MEC para o curso de Odontologia ainda.

Com isso, a grade curricular não sofre variações por conta da modalidade, tendo em vista que a presencial é a única opção.

Qual é a duração e quais são as matérias do curso de Odontologia?

A faculdade de Odontologia é uma graduação que, em média, tem duração de cinco anos, divididos em dez semestres.

Durante o percurso acadêmico, os alunos têm a oportunidade de aprimorar as suas habilidades por meio de atividades em laboratórios e clínicas. Para realizar essas ações práticas, geralmente, é necessário contar com materiais específicos (luvas, gorros, aventais, etc.), reunidos em um kit acadêmico odontológico.

À medida que o curso avança e o contato com a clínica se torna cada vez mais frequente, aumenta também a necessidade de usar esses instrumentos. A seguir, confira a grade curricular completa da graduação em Odontologia.

Confira como funciona a grade curricular da Anhanguera ao longo dos 10 semestres de curso:

1°semestre

  • Introdução à Biologia Celular e do Desenvolvimento;
  • Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Digestório, Endócrino e Renal;
  • Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Tegumentar, Locomotor e Reprodutor;
  • Optativa I.

2° semestre

  • Odontologia Morfofuncional;
  • Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Imune e Hematológico;
  • Optativa II;
  • Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Nervoso e Cardiorrespiratório.

3° semestre

  • Fundamentos para Atenção à Criança;
  • Odontologia Pré-Clínica I;
  • Odontologia Morfofuncional da Cabeça e Pescoço;
  • Odontologia Morfofuncional do Ecossistema Bucal;
  • Saúde Bucal Coletiva;
  • Pensamento Científico;
  • Projeto de Extensão I – Odontologia;
  • Bioquímica Aplicada à Saúde.

4° semestre

  • Fundamentos para Assistência Odontológica II;
  • Fundamentos para Reabilitação Oral I;
  • Propedêutica Clínica Odontológica I;
  • Fundamentos para Assistência Odontológica I;
  • Odontologia Pré-Clínica II;
  • Fundamentos para Propedêutica Cirúrgica I.

5° semestre

  • Propedêutica Clínica Odontológica II;
  • Estágio em Saúde Coletiva – Estratégia de Saúde da Família;
  • Projeto de Extensão II – Odontologia;
  • Odontologia Pré-Clínica III;
  • Clínica Integrada de Assistência Odontológica I;
  • Fundamentos para Propedêutica Cirúrgica II;
  • Odontologia Legal e Deontologia.

6° semestre

  • Estágio em Saúde Bucal na Atenção Básica I;
  • Fundamentos para Reabilitação Oral II;
  • Sociedade Brasileira e Cidadania;
  • Clínica Integrada de Atenção ao Adolescente;
  • Odontologia Pré-Clínica IV;
  • Propedêutica Clínica;
  • Estágio em Saúde Coletiva – Levantamento Epidemiológico.

7° semestre

  • Estágio em Saúde Coletiva – Acolhimento e Referenciamento;
  • Estágio em Saúde Bucal na Atenção Básica II;
  • Clínica Integrada de Assistência Odontológica II;
  • Fundamentos para Reabilitação Oral III;
  • Saúde Pública;
  • Projeto de Extensão III – Odontologia;
  • Clínica Integrada de Assistência Odontológica III;
  • Clínica Integrada de Atenção à Criança I.

8° semestre

  • Optativa III;
  • Clínica Integrada de Assistência Odontológica IV;
  • Clínica Integrada de Reabilitação Oral I;
  • Clínica Integrada de Reabilitação Oral II;
  • Fundamentos para Atenção à Criança II;
  • Estágio em Saúde Bucal na Atenção Básica III.

9° semestre

  • Fundamentos para Atenção à Pessoa com Deficiência e Grupos Especiais;
  • Clínica Integrada de Atenção à Criança II;
  • Clínica Integrada de Atenção ao Idoso;
  • Estágio em Saúde Bucal na Atenção Básica IV;
  • Estágio em Saúde Coletiva- Gestão do SUS;
  • Trabalho de Conclusão de Curso.

10° semestre

  • Estágio em Urgências Odontológicas;
  • Projeto de Extensão IV – Odontologia;
  • Clínica Integrada de Atenção à Pessoa com Deficiência;
  • Estágio em Odontologia Hospitalar;
  • Estágio em Saúde Bucal na Atenção Básica V.

Como se pode ver, a grade curricular do curso de Odontologia reserva um espaço significativo para os estágios práticos, principalmente nos últimos semestres. Essa característica peculiar é indispensável para a formação na área de Saúde, já que proporciona experiências reais de trabalho e contato direto com os pacientes.

Os estágios têm diferentes enfoques, como o Estágio em Saúde Coletiva e o Estágio em Saúde Bucal. Isso dá aos graduandos a oportunidade de explorar diversas áreas de atuação e de se preparar para as diferentes áreas de especialização.

Quais são as possibilidades de especialização em Odontologia?

O profissional de Odontologia, após a formatura, pode se seguir em uma das 23 especialidades reconhecidas pelo CFO. Cada uma delas abrange uma área específica da saúde bucal, permitindo que os profissionais se especializem e atuem com maior expertise em determinado campo de trabalho. Confira algumas opções!

Endodontia

A Endodontia é uma área que se dedica ao estudo, diagnóstico e tratamento das doenças que afetam a polpa dentária e os tecidos ao redor da raiz dos dentes. O dentista especialista em Endodontia, conhecido como endodontista, realiza tratamentos de canal, buscando preservar os dentes naturais e restaurar a sua função.

Durante a especialização em Endodontia, você pode aprender a utilizar técnicas avançadas e equipamentos especializados para diagnosticar e tratar problemas, como cáries profundas, lesões na polpa dentária e infecções no canal radicular.

Você, enquanto dentista, também desenvolverá habilidades em microcirurgia endodôntica, retratamento de canais, manejo de casos complexos e prevenção de complicações.

Implantologia

Há uma especialização da Odontologia dedicada a devolver o sorriso para as pessoas que perderam dentes. Ou seja, a Implantologia permite que os dentistas especializados tragam de volta a funcionalidade e a estética perdidas devido à ausência de dentes.

O implantodontista é responsável por realizar a avaliação, o planejamento e a execução dos procedimentos de implantes dentários, substituindo dentes ausentes ou comprometidos. Em uma pós-graduação na área de Implantologia, os profissionais aprendem os princípios fundamentais da osseointegração, que é o processo pelo qual o implante se funde ao osso.

Periodontia

A Periodontia se dedica ao diagnóstico, à prevenção e ao tratamento das doenças que afetam os tecidos de suporte dos dentes, incluindo a gengiva, o ligamento periodontal e o osso alveolar. Então, é uma especialidade que vai além da atenção aos dentes em si, concentrando-se nos cuidados e na manutenção dos tecidos ao redor deles.

Durante a especialização, o dentista adquire um vasto conhecimento sobre a anatomia periodontal, compreendendo a estrutura dos tecidos de suporte dos dentes e as suas interações. Os periodontistas também dominam cirurgias periodontais, que podem envolver a correção de defeitos ósseos e a remoção de tecidos inflamados.

Traumatologia Bucomaxilofacial

A Traumatologia Bucomaxilofacial é uma área da Odontologia que lida com os estragos e com fraturas nos ossos da face, como mandíbula, maxila, nariz e órbitas

Os dentistas especialistas em Traumatologia Bucomaxilofacial desempenham um papel fundamental no diagnóstico, no tratamento e na cirurgia de lesões faciais traumáticas. Eles são treinados para lidar com situações de emergência e dominam técnicas de redução e de fixação de fraturas, garantindo a estabilidade e a recuperação adequada dos ossos faciais.

Se você tem interesse em trabalhar com casos desafiadores e em uma equipe multidisciplinar de hospitais e clínicas, a Traumatologia Bucomaxilofacial pode ser a escolha certa para a sua carreira na Odontologia. 

Odontologia estética

A Odontologia Estética é uma especialidade que prepara profissionais para melhorar a aparência do sorriso e a autoestima dos pacientes. Por meio de procedimentos como clareamento dental, lentes de contato dentais e facetas de porcelana, a área contribui para corrigir imperfeições, como dentes manchados, desalinhados ou desgastados.

O objetivo do profissional especializado em Odontologia estética é proporcionar um sorriso mais harmonioso e esteticamente agradável aos pacientes. Além disso, a área se preocupa em preservar a saúde bucal, oferecendo soluções que aliam beleza e funcionalidade.

Carreira acadêmica

A carreira acadêmica na Odontologia é uma opção para dentistas que desejam se dedicar ao ensino, à pesquisa e ao avanço científico na área. O profissional pode se tornar professor em faculdades públicas e privadas, participar de pesquisas, publicar artigos em revistas especializadas e contribuir para o desenvolvimento da Odontologia.

Para ingressar na prática docente, o profissional de Odontologia deve investir em pós-graduações. Dessa forma, poderá ministrar aulas teóricas e práticas, orientar os estudantes e participar de congressos e eventos científicos.

Antes de ingressar em uma especialização, o dentista pode encontrar uma série de áreas para exercitar suas habilidades depois da graduação.

Quais são as principais áreas para recém-formados?

As principais áreas de Odontologia em que um recém-formado pode atuar são: consultório odontológico, hospitais e centros de saúde, faculdades e centros de pesquisa. A seguir, entenda quais são as responsabilidades do bacharel em Odontologia recém-formado em cada uma dessas áreas.

Consultório odontológico

O consultório odontológico é o local mais comum de atuação para os dentistas. Nesse ambiente, o profissional pode trabalhar como clínico geral, oferecendo atendimento odontológico de rotina, como exames, limpezas, restaurações e extrações. No consultório, o dentista generalista assume as seguintes responsabilidades:

  • realizar exames clínicos e diagnósticos para identificar problemas dentários e bucais;
  • realizar tratamentos odontológicos de rotina, como limpezas, restaurações e extrações;
  • prescrever medicamentos e orientar os pacientes sobre os cuidados bucais adequados;
  • oferecer tratamentos estéticos, como clareamento dental e aplicação de facetas;
  • manter registros precisos dos procedimentos realizados e acompanhar a evolução do tratamento dos pacientes.

O consultório odontológico pode ser próprio, onde o dentista será também o responsável pela administração, ou pode ser um espaço já estabelecido em que o profissional atuará como colaborador.

Hospitais e centros de saúde

Os dentistas também podem atuar em hospitais e em centros de saúde, especialmente em serviços de Odontologia Hospitalar. Nesse contexto, eles desempenham um papel fundamental no tratamento de pacientes internados ou que necessitam de cuidados odontológicos mais complexos. As responsabilidades incluem:

  • fornecer atendimento odontológico a pacientes internados, oferecendo cuidados adequados durante a hospitalização;
  • realizar tratamentos de emergência em pacientes com condições de saúde delicadas;
  • diagnosticar e tratar doenças bucais relacionadas a condições médicas específicas;
  • acompanhar pacientes com condições crônicas, como câncer, diabetes ou doenças cardíacas, para garantir a saúde bucal adequada.

Essa área oferece a oportunidade de trabalhar em conjunto com outras equipes médicas para fornecer cuidados integrados aos pacientes.

Faculdades e centros de pesquisa

O ambiente acadêmico e os demais centros de pesquisa são áreas de atuação para graduados em Odontologia que têm interesse em contribuir para o avanço do conhecimento científico e educar futuros profissionais da área.

Nesse caso, os dentistas podem buscar oportunidades de pesquisa em instituições acadêmicas, centros de pesquisa ou empresas do setor odontológico. Em geral, eles se dedicam às seguintes responsabilidades:

  • realizar estudos científicos para avançar o conhecimento na área odontológica;
  • desenvolver novas técnicas, materiais e tecnologias odontológicas;
  • publicar artigos científicos em revistas especializadas para compartilhar as descobertas com a comunidade acadêmica;
  • participar de congressos e conferências para apresentar pesquisas e interagir com outros profissionais da área;
  • atuar como professores em cursos de graduação e pós-graduação em Odontologia, transmitindo conhecimentos teóricos e práticos aos estudantes.

É comum que os dentistas desenvolvam habilidades em várias áreas ao longo de suas carreiras, podendo trabalhar em diferentes locais simultaneamente ou em momentos distintos das suas trajetórias profissionais. 

Antes da especialização, uma preocupação comum que os estudantes que desejam seguir carreira na Odontologia precisam enfrentar diz respeito à escolha entre faculdade pública ou privada.

É melhor ingressar na faculdade pública ou privada?

A escolha entre ingressar em uma faculdade pública ou privada é uma decisão pessoal que depende de vários fatores. Acima de tudo, o estudante deve considerar as suas próprias necessidades, os seus objetivos e as circunstâncias individuais.

No entanto, mesmo que essa seja uma decisão de ordem pessoal, vale a pena conhecer as vantagens e os maiores desafios de cada opção. Entenda essas informações antes de buscar uma escola de Odontologia!

Faculdade pública

No Brasil, existem 313 Instituições de Ensino Superior públicas, de acordo com dados do Censo da Educação Superior.

Essas instituições são reconhecidas por oferecerem um ensino de qualidade e uma infraestrutura equipada, o que é especialmente relevante para alguns cursos, como Odontologia, que exigem laboratórios e recursos específicos. Na lista das melhores faculdades de Odontologia, boa parte do ranking é composta por instituições públicas.

Outra vantagem de estudar Odontologia em uma faculdade pública é a possibilidade de não pagar mensalidade. As instituições públicas geralmente oferecem ensino gratuito, o que é uma grande ajuda para quem busca uma formação de qualidade, mas sem a necessidade de fazer investimentos financeiros significativos.

No entanto, é bom avisar que o ingresso em uma faculdade pública — seja para o curso de Odontologia, seja para qualquer outro — pode ser um desafio em termos de concorrência.

O sistema de ingresso mais comum é o Sisu, que utiliza as notas do Enem para a seleção dos candidatos. Como resultado, a demanda por vagas é geralmente muito maior do que a oferta disponível, o que torna o processo seletivo bastante concorrido.

Faculdade privada

Segundo o Censo da Educação Superior, 87,6% das faculdades no Brasil são privadas, totalizando 2.261 Instituições de Ensino Superior. Isso significa que a oferta de faculdades privadas é ampla, proporcionando uma variedade de opções para a escolha.

Estudar Odontologia em uma faculdade privada demanda um processo de entrada menos burocrático em comparação às instituições públicas.

Em muitos casos, as faculdades têm processos seletivos próprios, que podem incluir um vestibular ou outras formas de avaliação. Isso pode facilitar o acesso ao curso desejado, já que não há uma concorrência tão acirrada quanto existe nas faculdades públicas.

Outra vantagem é que as faculdades privadas buscam atualizar e adaptar os seus currículos, de modo a fornecer aos estudantes de graduação e de pós-graduação as habilidades e os conhecimentos mais relevantes para a prática odontológica.

Essas instituições apostam em laboratórios modernos, clínicas odontológicas devidamente equipadas e recursos tecnológicos avançados para proporcionar uma experiência de aprendizado prática e enriquecedora aos alunos da área de Saúde.

A escolha entre faculdade pública ou privada é apenas uma das preocupações relacionadas aos custos que o estudante tem durante a sua rotina de estudos.

Quanto custa a graduação em Odontologia?

O custo de uma faculdade de Odontologia pode variar dependendo de vários fatores. Por exemplo, o valor da mensalidade da graduação costuma mudar de acordo com a instituição escolhida e conforme a localização da faculdade.

Além disso, é preciso considerar que a faculdade de Odonto tem duração de cinco anos. Durante esse longo período, o estudante precisa suprir despesas com materiais específicos do kit odontológico.

Outro fator a ser considerado diz respeito às atividades extracurriculares, como congressos, workshops e estágios, que podem ter custos adicionais, mas que também são oportunidades para ampliar o seu conhecimento na área.

A questão das despesas é especialmente relevante para quem mora em cidades diferentes da faculdade. Nesse caso, também é necessário considerar o custo de alimentação e de deslocamento, seja com transporte público, seja com transporte particular.

Caso haja a necessidade de se mudar para estudar em outra cidade, não se pode esquecer de calcular as despesas relacionadas ao aluguel e aos gastos básicos do dia a dia. Os gastos não são poucos, mas, felizmente, muitas faculdades oferecem programas de bolsa de estudo para eliminar ou diminuir a mensalidade dos estudantes.

Bolsa de estudos

Uma bolsa de estudos em Odontologia é uma oportunidade oferecida por muitas faculdades para ajudar os estudantes a financiarem parte ou até mesmo toda a sua formação acadêmica. É como um incentivo que pode aliviar os gastos com as mensalidades e tornar o caminho até o diploma um pouco mais tranquilo.

Os critérios para a concessão podem variar entre as instituições, mas geralmente levam em consideração o desempenho acadêmico do estudante, a sua situação socioeconômica e a disponibilidade de vagas.

Outro ponto é que as bolsas de estudo podem ter diferentes abrangências. Algumas podem ser parciais, cobrindo apenas parte das mensalidades, enquanto outras podem ser integrais, garantindo a gratuidade total do curso.

Agora, uma dica importante: fique atento ao regulamento da bolsa de estudo oferecida pela IES. Algumas instituições estabelecem critérios para a sua manutenção ao longo do curso, como a necessidade de apresentar um bom desempenho acadêmico contínuo ou de cumprir determinadas atividades extracurriculares.

Há também os programas do Governo Federal que concedem bolsas para que novos estudantes ingressem em faculdades particulares, como o FIES. No entanto, lembre-se de que cada IES pode ter as suas próprias políticas de concessão de bolsas.

Então, é indispensável pesquisar e entrar em contato com as instituições nas quais você tem interesse para conhecer as opções disponíveis e como participar da seleção.

Existe uma decisão que pode impactar bastante os gastos que o estudante não terá durante a faculdade de Odontologia: a escolha da melhor forma de ingresso.

Como entrar em Odontologia?

De modo geral, existem três opções de como entrar nessa graduação: Enem, Sisu e vestibular de Odontologia. Continue para entender quais são os critérios de cada uma e qual delas se encaixa melhor nas suas necessidades.

Enem

Muitas faculdades privadas aceitam a nota do Exame Nacional do Ensino Médio como critério de entrada. Nesse caso, você pode pular o vestibular da faculdade se tiver feito uma edição recente do exame.

No entanto, para usar a nota do Enem como forma de ingresso, geralmente é necessário atender a alguns critérios estabelecidos pelas Instituições de Ensino Superior. Os mais comuns são:

  • não zerar a prova de redação;
  • alcançar uma nota mínima em cada uma das provas objetivas.

Cada faculdade pode estabelecer os seus próprios critérios para a utilização da nota do Enem como forma de ingresso. Portanto, é fundamental que você verifique as exigências específicas da IES de seu interesse.

Consulte o site da faculdade, entre em contato com a secretaria e/ou participe de eventos de divulgação para obter todas as informações necessárias.

Sisu

“O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) reúne em um sistema eletrônico gerido pelo MEC as vagas ofertadas por instituições públicas de ensino superior de todo o Brasil, sendo a grande maioria delas ofertada por instituições federais (universidades e institutos)”, de acordo com o MEC.

Aliás, o processo é relativamente simples:

  1. após realizar o Enem, você deve se inscrever no Sisu durante o período determinado pelo MEC;
  2. durante a inscrição, você poderá escolher até duas opções de cursos em diferentes instituições;
  3. é preciso ficar de olho nas notas de corte, que são atualizadas diariamente e representam a pontuação mínima necessária para estar entre os selecionados;
  4. após o término das inscrições, o sistema realiza a classificação dos candidatos com base nas notas obtidas no Enem;
  5. os candidatos mais bem classificados são convocados para efetuar a matrícula na IES em que foram selecionados.

É preciso lembrar que a concorrência por uma vaga em faculdades públicas, principalmente em cursos concorridos, como Odontologia, costuma ser bastante acirrada. Por isso, é super importante estar preparado e ter um bom desempenho no Enem para aumentar as suas chances de ser selecionado.

Logo, se você quer cursar Odontologia em uma faculdade pública, não deixe de participar do Sisu. Fique atento às datas e aos prazos divulgados pelo MEC, esteja preparado para a concorrência e invista no seu rendimento no Enem.

Vestibular

As faculdades particulares oferecem o vestibular tradicional para ingressar no curso de Odontologia. Cada instituição tem o seu próprio processo seletivo, então, é bom ficar de olho nas datas e nas exigências da instituição à qual você pretende se candidatar.

Geralmente, o vestibular de Odontologia tem questões de disciplinas como Matemática, Português, Biologia e Química. Então, é o momento de colocar em prática todo o conhecimento adquirido ao longo do ensino médio e de mostrar o seu potencial.

Muitas das faculdades disponibilizam a opção do vestibular online. Ou seja, em vez de se deslocar até o local da prova, você pode realizar as etapas do vestibular no conforto da sua casa, utilizando um computador com acesso à Internet.

As faculdades disponibilizam todas as informações necessárias sobre o vestibular em seus sites e nos manuais do candidato. Lá, você encontrará os critérios de avaliação, os conteúdos programáticos e até mesmo simulados para te ajudar na preparação.

Após cumprir os critérios para entrar na faculdade, o estudante de Odontologia precisa cumprir uma série de requisitos para obter seu diploma.

Quais são as exigências para se formar em Odontologia?

Durante a graduação em Odontologia, você vai se deparar com três grandes exigências: estágio obrigatório, TCC e, em alguns casos, a prova do Enade. Veja o que você precisa fazer para superar esses obstáculos e conquistar o seu diploma!

Estágio obrigatório

O estágio obrigatório em Odontologia geralmente é realizado a partir do quinto ou do sexto período do curso. Nessa fase, os estudantes já têm uma base sólida de conhecimentos teóricos e estão preparados para iniciar as atividades práticas.

A duração dos estágios pode variar de acordo com a Instituição de Ensino Superior, mas, em média, costuma ser de seis meses a um ano. Durante esse período, o graduando tem a oportunidade de vivenciar diferentes situações clínicas e aprimorar as suas habilidades.

O estágio obrigatório geralmente não é remunerado, pois é parte integrante da formação acadêmica. No entanto, deve-se verificar as normas da IES e do local de estágio, já que, em algumas situações específicas, pode haver a possibilidade de recebimento de bolsa-auxílio e/ou de benefícios.

No curso de Odontologia, o estágio pode ser realizado em diferentes locais, como clínicas universitárias, hospitais, postos de saúde, centros de atendimento odontológico e até mesmo em consultórios privados conveniados com a Instituição de Ensino Superior.

Durante o estágio, o estudante tem a oportunidade de acompanhar e auxiliar profissionais dentistas em diversas atividades clínicas. Isso inclui a observação de consultas, a participação em procedimentos odontológicos, a realização de anamnese, a aplicação de técnicas específicas e a atuação em programas de saúde bucal.

A própria instituição pode auxiliar os estudantes na busca de estágios obrigatórios. Via de regra, existem convênios e parcerias firmadas com instituições de saúde que disponibilizam vagas para os estagiários.

Entretanto, é indispensável estar atento a oportunidades divulgadas pelos professores, por colegas e até mesmo em sites especializados. A organização, a proatividade e o interesse são sempre essenciais para encontrar boas vagas de estágio.

TCC de Odontologia

Quando chega o último ano da faculdade de Odontologia, todo estudante sabe que está no momento de enfrentar um desafio que marcará o encerramento dessa jornada: o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Logo no início, você será orientado por um dos professores a escolher um tema de pesquisa alinhado aos seus interesses e à área em que você gostaria de se aprofundar. Essa escolha é crucial! Afinal, o TCC é uma oportunidade única para mergulhar em um assunto específico e contribuir para o avanço do conhecimento na Odontologia.

O TCC segue uma estrutura padrão comum aos demais cursos superiores: um artigo científico ou uma monografia com introdução, objetivos, metodologia, resultados, discussão e conclusão.

Enade

A participação no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) pode ser uma das exigências para concluir a faculdade de Odontologia. Desde 2004, o Enade avalia o rendimento dos estudantes em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares das graduações.

Essa avaliação serve para mensurar a qualidade e a eficiência dos cursos superiores. O exame só é obrigatório para estudantes ingressantes e concluintes habilitados de cursos vinculados às áreas de avaliação definidas em cada edição.

O chamado “Ciclo Avaliativo do Enade” determina as áreas de avaliação e os cursos a elas vinculados, levando em consideração as diretrizes e as demandas do mercado de trabalho. Ou seja, se a área de avaliação do Enade para o seu ano de concluinte for Odontologia, será necessário realizar a prova para cumprir com os requisitos de conclusão do curso. 

O responsável pela inscrição dos estudantes selecionados é o coordenador do curso superior. Então, se você tiver de fazer o Enade, provavelmente receberá um aviso com antecedência.

Além dos critérios para obter o diploma na faculdade de Odontologia, os estudantes precisam pesar outros fatores para saber se uma carreira na área vale mesmo a pena.

Vale a pena se formar em Odontologia?

A demanda por dentistas continua alta em consultórios particulares, clínicas especializadas, hospitais, instituições de ensino ou mesmo no setor público. As chances de conseguir um emprego após a formação são promissoras, o que torna Odontologia uma escolha promissora para milhares de estudantes.

Somente profissionais com graduação em Odontologia, e não em outras áreas de saúde, podem solicitar a entrada na carteira do Conselho Regional de Odontologia (CRO). Esse também é um dos critérios para se tornar um membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO).

Agora, conheça as perspectivas salariais para a profissão de dentista no Brasil e o potencial de retorno para o investimento feito durante a sua formação.

Salário

Um dentista ganha em média R$ 4.771,90* considerando uma jornada de trabalho de 32 horas semanais, de acordo com dados do site Salário, esse valor pode variar dependendo da região, da experiência profissional e de outros fatores.

A faixa salarial para dentistas oscila entre R$ 4.093,50 e o teto salarial de R$ 9.831,59*. Essa variação ocorre devido a diferentes aspectos, como a especialização do profissional, o tipo de emprego (cuja atuação pode ser em clínicas particulares, instituições de saúde, faculdades ou em um consultório próprio) e o tempo de atuação no mercado.

*Sujeito à alteração

Investimento vs retorno

O curso de Odontologia exige dedicação, estudo e, claro, recursos financeiros para custear as mensalidades, os materiais e as possíveis despesas extras ao longo dos anos de estudo. Por todas essas razões, é compreensível que você esteja pensando se todo o investimento de tempo e de dinheiro para entrar na faculdade de Odontologia vai valer a pena.

No entanto, no que se refere ao retorno desse investimento, as perspectivas são bastante positivas. A área da Odontologia é reconhecida por oferecer boas oportunidades de carreira e uma remuneração atrativa.

Além disso, a saúde bucal é uma área de extrema importância para a sociedade, e a demanda por serviços odontológicos é constante, como dito. Isso significa que há um mercado em expansão e a possibilidade de encontrar boas oportunidades de trabalho.

O retorno financeiro pode variar segundo vários fatores, como localização, especialização, experiência e até a capacidade de empreender, se você tiver vontade de ter um consultório próprio. Então, é fundamental estar preparado para investir em qualificação, participando de especialização e se mantendo informado sobre as novidades da área.

Os estudantes que escolhem a faculdade de Odontologia precisam ter a certeza de que estão entrando em uma instituição de qualidade e de renome. Por isso, no cenário nacional, vale a pena conhecer os motivos para estudar na Anhanguera.

Por que cursar Odontologia na Anhanguera?

Estudar Odontologia na faculdade Anhanguera pode ser uma excelente escolha. A seguir, veja os motivos que tornam a nossa instituição uma ótima opção para a sua formação.

Tradição no ensino superior

Fundada em 1994, a Anhanguera tem mais de 25 anos de tradição no ensino superior. Ao longo de sua história, já ajudou a formar cerca de um milhão de alunos. Essa trajetória comprova o compromisso da instituição com uma educação de qualidade.

Boa reputação

A Anhanguera se preocupa em oferecer uma formação alinhada às necessidades do mercado de trabalho. Disponibilizamos acesso ao Canal Conecta, um portal exclusivo de empregabilidade para que os alunos acessem as suas primeiras oportunidades profissionais.

A Anhanguera também promove várias iniciativas para a profissionalização dos estudantes. Isso inclui certificações em parceria com empresas e atualizações na grade curricular dos cursos.

Estrutura qualificada e suporte aos alunos

A infraestrutura da Anhanguera proporciona uma experiência de aprendizado completa para os alunos do curso de Odontologia. Os laboratórios são equipados com tecnologia de ponta, permitindo práticas e experimentações mais próximas da realidade profissional.

Além disso, os graduandos têm acesso a simuladores e softwares que os aproximam do mercado de trabalho. É válido destacar também o consultório universitário, onde os estudantes de determinados cursos, como Odontologia e Fisioterapia, podem aplicar na prática o conhecimento adquirido, interagindo com as comunidades vizinhas.

Atualização da grade curricular

A Anhanguera está atenta às exigências do mercado e busca atualizar a grade curricular dos cursos para fornecer uma formação alinhada com as demandas profissionais de cada área. Dessa forma, os estudantes do curso de Odontologia têm a oportunidade de adquirir conhecimentos atualizados e relevantes para o exercício da sua profissão.

Boa avaliação do MEC

A Anhanguera é bem avaliada pelo Ministério da Educação (MEC). Regularmente, a nossa faculdade é submetida aos exames necessários para garantir a qualidade dos cursos e da infraestrutura necessária para receber os alunos.

A avaliação positiva do MEC é um indicativo de que você se matriculará em uma faculdade que cumpre com os requisitos exigidos pelo principal órgão regulador da educação do país.

Lembre-se que a escolha da faculdade é um passo importante em sua jornada acadêmica! Então, aproveite a chance de ter uma formação de qualidade na Anhanguera para enfrentar os desafios e se destacar na sua área.

Agora que você conhece o curso e as perspectivas para a Odontologia em 2024, não perca a chance de começar a sua formação profissional: inscreva-se no vestibular online da Anhanguera!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.5 / 5. Número de votos: 93

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Inscreva-se gratuitamente no vestibular online ou use sua nota do Enem para obter bolsas e descontos!