Tudo sobre o curso de Arquitetura e Urbanismo

estudantes de arquitetura

Você sabia que o curso de Arquitetura e Urbanismo é uma das 10 formações de nível superior mais buscadas no Brasil? Toda essa procura definitivamente não é por menos! Afinal de contas, o arquiteto tem uma missão bastante importante — a de pensar, projetar e viabilizar ideias e sonhos.

Neste post, nós reunimos tudo sobre o curso de Arquitetura e Urbanismo na Anhanguera, incluindo várias informações importantes que você precisa saber antes de se inscrever no vestibular. 

Tem interesse nessa profissão? Então continue acompanhando e confira!

Como é a graduação

Considerando a demanda crescente pela urbanização de espaços, melhorias na mobilidade urbana e obras de infraestrutura, o curso de Arquitetura e Urbanismo visa capacitar o aluno para interpretar as diferentes necessidades humanas em relação a essas questões.

Com o conhecimento, o senso crítico e as experiências adquiridas ao longo da formação, o arquiteto estará apto a propor e a executar projetos que garantam conforto, segurança e acessibilidade a qualquer ambiente construído.

O curso superior de Arquitetura e Urbanismo oferece uma formação bastante abrangente, o que fornece ao aluno bagagem teórica para exercer atividades ligadas à:

  • construção civil;
  • construção de espaços públicos e comerciais;
  • urbanismo e desenho urbano;
  • paisagismo;
  • planejamento e edificações de conjuntos arquitetônicos;
  • arquitetura de interiores (flertando bastante com a área de design de interiores), entre muitas outras.

Como você pode perceber, tudo o que se estuda em Arquitetura contribui diretamente com o avanço e até mesmo com o bem-estar da sociedade — o que torna a demanda por profissionais capacitados sempre satisfatória e crescente.

Por isso, é importante escolher um curso de qualidade comprovado pelo Ministério da Educação (MEC) em uma faculdade de credibilidade, que ofereça infraestrutura agregadora à bagagem do aluno.

Diferenciais da Arquitetura e Urbanismo na Anhanguera

Nós da Anhanguera temos foco total no sucesso do aluno. Por isso, ao longo da graduação, o estudante de Arquitetura não só vai receber formação abrangente, mas também vai poder usufruir de recursos como:

  • laboratórios equipados com tecnologia de ponta;
  • sala de desenho;
  • biblioteca completa;
  • ateliê de projeto e materiais de construção.

Duração do curso

A duração do curso de Arquitetura e Urbanismo é de cinco anos. No entanto, algumas instituições de ensino oferecem a possibilidade de cursar os primeiros semestres em período integral, reduzindo o tempo da formação para quatro anos.

Grade curricular de Arquitetura e Urbanismo

Agora que já sabe um pouco mais sobre o curso, provavelmente está bem curioso com relação à grade curricular de Arquitetura e Urbanismo, não é mesmo? Afinal de contas, trata-se de uma formação de Humanas ou Exatas? Com quais matérias vou ter contato na faculdade? Além do desenho, será que vou precisar lidar com números e cálculos?

Saiba que essas são dúvidas muito comuns, e que estamos aqui justamente com o objetivo de solucioná-las! Antes de partirmos para as matérias, é interessante dizer que o curso de Arquitetura, embora mescle disciplinas de diversas áreas, é considerado uma formação das Ciências Sociais aplicadas, de acordo com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

A grade curricular é bastante ampla, começando com foco em arte e em desenho, nos anos iniciais, e passando a introduzir, ao longo da formação, aquelas matérias mais específicas. É importante dizer que, além da parte teórica, o curso abrange muita prática. Ou seja, o aluno coloca a mão na massa desde o começo.

Entre as matérias do curso de Arquitetura e Urbanismo, estão:

  • desenho artístico;
  • desenho arquitetônico;
  • estética e história da arte;
  • história e teoria da arquitetura;
  • ética, política e sociedade;
  • artes plásticas;
  • análise e gestão ambiental;
  • educação ambiental;
  • cálculo;
  • funções;
  • álgebra e geometria;
  • metodologia científica;
  • maquete;
  • paisagismo;
  • fundamentos de topografia;
  • urbanismo e infraestrutura;
  • tecnologia das construções;
  • sistemas estruturais;
  • projeto e instalações prediais;
  • planejamento urbano;
  • ecologia urbana.

Além dessas, na graduação em Arquitetura e Urbanismo da Anhanguera, oferecemos matérias optativas para complementar a formação do aluno e ampliar suas perspectivas de carreira. São elas:

  • empreendedorismo;
  • língua brasileira de sinais (LIBRAS);
  • prática profissional em arquitetura.

Requisitos obrigatórios

Para obter o diploma de Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo, são necessárias a apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e a realização de um estágio supervisionado. Lembrando que os alunos aqui da Anhanguera contam com uma vantagem muito estratégica quando o assunto é encontrar uma vaga de estágio: o Canal Conecta.

Trata-se de um portal de vagas exclusivo aos estudantes da faculdade, parceiro de empresas espalhadas por todo o Brasil. Basta que o aluno matriculado preencha seu currículo no site para se candidatar às vagas de estágio e de emprego mais alinhadas aos seus objetivos — além de ter o seu perfil notado pelos empregadores e ser chamado para entrevistas.

Presencial ou semipresencial: entenda as diferenças

Aqui na Anhanguera a graduação em Arquitetura e Urbanismo é ofertada em duas modalidades de ensino: presencial e semipresencial. Tudo isso visando facilitar o ingresso do aluno no nível superior, considerando que pessoas diferentes têm rotinas e necessidades diferentes.

Para ajudar você a entender um pouco mais sobre essas duas modalidades de ensino e, assim, selecionar a melhor opção ao prestar vestibular de Arquitetura e Urbanismo, vamos explicar cada uma delas em detalhes logo abaixo. Não deixe de conferir!

Presencial

Os cursos presenciais são aqueles ofertados no modelo mais tradicional de ensino. Uma vez que as aulas, as avaliações e as atividades referentes à formação acontecem presencialmente na instituição de ensino, cabe ao aluno deslocar-se até a faculdade todos os dias, nos horários preestabelecidos em seu cronograma.

Muito embora os cursos a distância — como os 100% online e os semipresenciais, sobre os quais vamos falar abaixo — estejam em alta, é claro que algumas características da modalidade presencial jamais vão deixar de ser bastante vantajosas. É o caso, por exemplo, do contato mais próximo com os professores e colegas de turma, possibilitando a criação de laços estreitos e duradouros.

Contudo, sabemos que, em meio a rotinas cada vez mais atribuladas, nem todos têm facilidade para conciliar estudo e trabalho cursando uma graduação presencial. Isso porque a carga horária da formação pode entrar em choque com os horários do expediente, comprometendo o rendimento em ambas as atividades.

Semipresencial

Conforme falamos acima, nem todo mundo tem a disponibilidade de tempo para ingressar no curso de Arquitetura e Urbanismo na modalidade presencial — seja por conta do trabalho ou por outros afazeres.

Há até mesmo a questão da preferência, já que alguns alunos estão mais habituados a estudar online e preferem cumprir parte da carga horária a distância. É justamente essa a proposta do ensino semipresencial.

Unindo o melhor do EAD e do presencial, a modalidade semipresencial permite que o aluno curse algumas disciplinas da grade curricular no ambiente virtual de aprendizado (o mesmo utilizado pelos alunos de formações 100% online) e outras no polo de apoio da faculdade, em uma sala de aula moderna junto aos outros estudantes.

Aqui, o ensino ocorre em ambiente digital. Ou seja, as aulas são transmitidas ao vivo por um corpo docente amplamente especializado, permitindo que o aluno tire suas dúvidas e interaja com o professor em tempo real. A frequência dos encontros varia de faculdade para faculdade, mas é comum que ocorram entre 1 a 3 vezes por semana.

Qual escolher?

Bom, agora você já viu que é possível cursar Arquitetura e Urbanismo semipresencial ou presencial, e entende como funcionam os dois modelos. 

Mas, se ainda não sabe exatamente quais critérios considerar ao escolher a modalidade ideal, tudo bem! Listamos abaixo alguns fatores que vão ajudar na sua decisão. Veja só:

  • disponibilidade: esse é um dos motivos determinantes na sua escolha. Por isso, verifique se você conta com o tempo necessário para frequentar a faculdade todos os dias, no caso do curso presencial;
  • custo-benefício: com relação ao ensino, ambas as modalidades têm a mesma qualidade e conferem o mesmo diploma. No entanto, você precisa analisar, também, aquilo que é benéfico especificamente ao seu caso. Pondere se o mais importante é economizar com as idas diárias à faculdade ou usufruir das vantagens de estar presente na instituição todos os dias, por exemplo;
  • adaptabilidade: embora a faculdade de Arquitetura e Urbanismo e o mercado para a área exijam do aluno um contato intenso com o digital, isso não significa que o estudante deve estar preparado para aulas exclusivamente online, caso não seja de sua preferência.

Vale reforçar que ambas as modalidades têm exatamente a mesma qualidade, eficácia e valorização no mercado. A grade curricular também é a mesma, assim como o objetivo do curso e o diploma conferido ao aluno ao final da graduação.

Mensalidade de Arquitetura e Urbanismo

O valor do curso de Arquitetura e Urbanismo depende de fatores como modalidade escolhida, localização da faculdade, entre outros. Na Anhanguera, as mensalidades variam de acordo com a unidade, turno e período de ingresso.

O melhor de tudo é que, ao optar por estudar conosco, você pode fazer com que essa quantia caiba no seu bolso por meio de programas de parcelamento, além de bolsas, benefícios e convênios especiais.

Arquitetura e Urbanismo é para você?

Você tem interesse na área, tem algum tipo de aptidão artística ou gostaria de desenvolver habilidades específicas, como a de desenhar? Então pode ser que o curso de Arquitetura e Urbanismo seja perfeito para você. Ou seja, se você manda bem no desenho, já conta com um plus e tanto!

A graduação também é indicada para quem tem um conjunto de características que fazem toda a diferença na atuação do arquiteto, como vamos ver ao longo deste tópico. Já adiantando, é importante ter perfil criativo, gostar de tendências e estar aberto a inovações. Se identificou? Continue acompanhando!

Motivos para fazer Arquitetura e Urbanismo

Existem alguns motivos pelos quais a graduação na área está entre as mais procuradas no Brasil. Veja abaixo os principais.

Alta empregabilidade

Sempre há espaço para o arquiteto no mercado de trabalho. Essa é uma vantagem relevante quando lembramos que um dos principais motivos para ingressar em um curso superior é conquistar boas oportunidades e trilhar uma carreira de sucesso, concorda?

Por isso, quem cursa Arquitetura e Urbanismo tem altas chances de empregabilidade e raramente fica parado — mesmo quando o cenário econômico do país enfrenta instabilidades. Existem até mesmo concursos para arquitetos, cujas oportunidades você pode conferir no site de nosso parceiro, a LFG, referência nacional na preparação de concursos públicos.

Sem falar que, como vamos mostrar, são várias as áreas de atuação de um arquiteto, permitindo que ele escolhe aquela com a qual mais se identifica.

Flexibilidade e independência

A Arquitetura em si permite que o profissional tenha bastante autonomia e independência na execução de seus projetos. Mas, ao contrário do que alguns possam pensar, trabalhar em escritórios especializados não é o único caminho para o arquiteto! Se optar por essa profissão, você também pode atuar de forma autônoma, tornando-se o seu próprio chefe e obtendo mais flexibilidade.

Inclusive, é possível empreender de diversas maneiras como arquiteto! Você pode abrir o seu próprio negócio, tornar-se um profissional freelancer, prestar consultorias, trabalhar com certificações, entre várias outras possibilidades. Sem falar, é claro, nas pós-graduações em Arquitetura e Urbanismo, que garantem a especialização em um nicho específico.

Remuneração atrativa

É claro que, por trás de todo projeto arquitetônico, há um processo minucioso e bastante puxado. Mas, se você optar pelo curso de Arquitetura e Urbanismo, desde a faculdade vai lidar com uma parte muito prazerosa da profissão: a de exercer a sua criatividade nata e sugerir ideias que podem surpreender o cliente e gerar prestígio para o seu trabalho.

Vale lembrar que, entre as profissões relacionadas à arte, a Arquitetura é uma das que realmente remunera de forma justa o profissional. Um arquiteto urbanista tem média salarial de R$ 6.317,82 no Brasil, com teto de R$ 14.355,13. Outro ponto positivo para cursar essa graduação, não acha?

Formação dinâmica

Temos boas notícias: é bem difícil que o tédio faça parte da sua vida se você resolver cursar Arquitetura e Urbanismo. Por se tratar de uma formação ampla e dinâmica, o aluno entra em contato com experiências empolgantes, que permitem desenvolver habilidades em diversas áreas, desde design até ciências da computação. Um prato cheio se você gosta de estar sempre em contato com coisas novas e de se manter atualizado!

Perfil exigido para o estudante de Arquitetura e Urbanismo

Chegou a hora de saber o que um aluno de Arquitetura e Urbanismo precisa — além do gosto pela arte e da facilidade com o desenho — para se dar bem tanto no curso quanto ao longo de sua carreira.

Confira abaixo o perfil esperado de um arquiteto e veja quais características você já tem e quais vai poder aprimorar na faculdade!

Gostar de analisar tendências

Inovações e tendências são palavras de ordem no universo da Arquitetura. Por isso, manter-se a par de tudo aquilo que é novidade deve ser um traço do arquiteto, justamente para que ele possa montar um excelente portfólio e participar de projetos de sucesso.

Por isso, ainda na graduação, é indispensável estar o mais atualizado possível. A curiosidade é outra característica bastante comum entre os arquitetos, por isso, use-a a seu favor! Analise obras de profissionais famosos, busque inspirações na internet, leia bastante sobre o que está em alta e faça disso um exercício por toda a carreira.

Entender as necessidades do cliente

A atuação do arquiteto demanda que ele esteja em contato direto com o cliente, desde o início de um projeto até a sua conclusão. Como é ele o responsável por colocar ideias no papel e viabilizá-las, é fundamental que tudo saia conforme as expectativas de quem está adquirindo seu trabalho.

Justamente por isso, saber ouvir o cliente e buscar entender as suas necessidades são características que fazem parte do perfil ideal de um arquiteto. É preciso considerar as particularidades de cada cliente e o ajudá-lo a tomar as melhores decisões.

Ter facilidade para lidar com softwares

Você tem facilidade ou interesse em lidar com ferramentas e softwares? Ótimo! Saber usar a tecnologia disponível no exercício da arquitetura é crucial para todos os profissionais da área. Ainda durante a graduação, você vai entrar em contato com algumas delas, como o corelDRAW e o sketchUp.

Contudo, é muito importante correr atrás e se manter sempre por dentro dos programas mais avançados. Para isso, faça cursos (existem vários gratuitos na internet, inclusive!), treine e experimente bastante.

Não apresentar resistência aos cálculos

Como visto no tópico sobre grade curricular, ao longo da formação o aluno de Arquitetura vai encontrar disciplinas técnicas que envolvem matemática, cálculo etc. Trata-se de uma das semelhanças entre as profissões de engenheiro civil e arquiteto.

Mas a boa notícia é que você não precisa ser nenhum gênio das Exatas, viu? Se não é bem a sua praia, pode respirar tranquilo. Mas é fundamental não apresentar resistência aos números, combinado? Eles serão, sim, uma parte muito importante do seu trabalho.

Gostou de conhecer as características fundamentais para quem quer seguir carreira em Arquitetura e Urbanismo? Se identificou com esse perfil? Então, para ter certeza, que tal verificar como anda o mercado de trabalho dessa profissão? Confira!

O mercado atual de Arquitetura e Urbanismo

O arquiteto é responsável por elaborar e acompanhar a execução de projetos de construção, a criação de espaços e ambientes, a preservação de patrimônios, a urbanização, a mobilidade, entre outros aspectos que visam melhorar a qualidade de vida das pessoas e da sociedade no geral. É justamente a multiplicidade do que se estuda em Arquitetura e Urbanismo que torna o profissional capaz de trabalhar em todos esses segmentos, entre muitos outros.

Para ilustrar, reunimos neste tópico algumas das principais áreas da Arquitetura. Essa é uma maneira de mostrar a você o que faz um arquiteto e urbanista na área na qual opta por trabalhar. Acompanhe:

  • paisagismo: desenvolvendo espaços como jardins, praças, parques e afins, sempre pensando na sustentabilidade e em práticas que respeitem o meio ambiente;
  • restauração de edifícios: essa área de atuação consiste na recuperação de estruturas deterioradas, como casas e prédios antigos. Cabe ao arquiteto procurar manter as características originais desses espaços ao mesmo tempo em que propõe soluções para torná-los mais habitáveis;
  • acompanhamento e administração de obras: nesta área, o arquiteto é responsável por fazer um projeto de obra acontecer. Para isso, ele acompanha e administra todos os processos, certificando-se da segurança das operações e de que tudo saia conforme o esperado;
  • luminotécnica: o arquiteto do segmento de luminotécnica elabora o projeto de iluminação de espaços variados, independentemente do tamanho. Outra possibilidade é trabalhar com a iluminação de eventos;
  • desenho de mobiliário: ótima opção àqueles que gostam do universo do design de interiores. O profissional que atua nesse segmento cria objetos e mobiliários, seguindo as tendências de mercado e até mesmo customizando as peças aos clientes;
  • visualização arquitetônica em 3D: trabalhando com modelagem 3D, renderização, iluminação ou pós-produção. Para essa área, é necessário que o arquiteto tenha conhecimentos de softwares específicos;
  • planejamento urbano: a missão de um arquiteto que trabalha com planejamento urbano é viabilizar espaços como conjuntos habitacionais, bairros, regiões, áreas livres diversas e até cidades, criando o plano diretor e de zoneamento;
  • arquitetura industrial: trabalhando em projetos para instalação de indústrias, sempre de acordo com as normas de segurança vigentes e com foco na funcionalidade de espaços;
  • arquitetura de interiores: planejando a criação e a reforma de ambientes internos, definindo os materiais necessários, o acabamento e a distribuição do mobiliário.

Agora você já sabe tudo sobre Arquitetura e Urbanismo e tem em mãos as principais informações referentes ao curso, às possibilidades de atuação, ao mercado na área, ao perfil esperado de um arquiteto, entre outros dados relevantes para quem se interessa pela profissão. 

Aproveite então para conhecer as várias formas de ingresso que oferecemos aqui na Anhanguera (como transferência externa e vestibular online) e tirar quaisquer dúvidas restantes para se matricular no vestibular de Arquitetura e Urbanismo.

O que está esperando para dar esse passo em direção à realização de seus sonhos e a uma carreira de sucesso? Venha estudar com a gente! Faça agora mesmo a sua inscrição no vestibular da Anhanguera.

*Sujeito a alteração.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.