Tudo sobre o curso de Psicologia

estudantes de psicologia

O curso de Bacharelado em Psicologia dura 5 anos e é uma das formações profissionais mais buscadas na área de Ciências Humanas. Ele é oferecido apenas na modalidade presencial. A grade curricular tem disciplinas teóricas e práticas que envolvem estudos de filosofia, biologia, história, direito e comunicação.

Se você está na fase de escolher o curso de graduação e pensou em fazer Psicologia, conheça todos os detalhes do curso para conseguir tomar uma decisão com certeza. A formação para atuar na área é longa, exige muito estudo, esforço e dedicação do aluno. Então, é muito importante saber se Psicologia é a escolha certa para você.

New call-to-action

Uma vantagem do curso é que ele está relacionado a vários âmbitos da sociedade. Novas tecnologias, mudanças no mercado de trabalho, relacionamentos humanos em constante evolução: são tantos gatilhos que afetam o modo de pensar e agir que uma ciência como a Psicologia, que estuda o comportamento humano, nunca deixa de ser atual e necessária.

Se você quer saber se o curso superior de Psicologia é ideal para o seu perfil, acompanhe as informações que reunimos neste post. Explicamos tudo que você precisa saber sobre essa graduação. Então, acompanhe a leitura e tire suas dúvidas!

Afinal, o que é Psicologia, como surgiu e evoluiu?

Antes de conhecer mais detalhes do curso de Psicologia, que tal saber um pouco da própria história desse campo? É o que explicamos nesta parte do conteúdo!

Existem várias definições para uma área de estudo tão ampla como a Psicologia. Mas, de modo geral, conhecemos a Psicologia como a ciência dos processos mentais, do comportamento do ser humano e das suas interações com os diferentes ambientes físicos e sociais. Pela abrangência, é uma área que se cruza com várias outras, como neurociência, antropologia, serviço social e medicina.

A história da Psicologia como o estudo da mente humana e do comportamento remonta aos pensamentos da Grécia Antiga. O pensador Platão, por exemplo, definia que o lugar da razão no corpo era a cabeça (representando fisicamente a psique), enquanto a medula tinha como função a ligação entre mente e corpo.

Também existem evidências sobre estudos psicológicos no Antigo Egito. Mas, até o final do século 19, a Psicologia era uma das matrizes da Filosofia. Em 1879, desenvolveu-se uma disciplina científica independente na Alemanha, e o médico Wilhelm Wundt criou o primeiro laboratório dedicado às pesquisas sobre Psicologia.

Na década de 1890, o psicólogo estadunidense Lightner Witmer inaugurou a primeira clínica psicológica, dando origem a expressão “psicologia clínica”. Na mesma época, o psicólogo James McKeen Cattell criava o primeiro programa de testes mentais, e Sigmund Freud desenvolvia a abordagem chamada de Psicanálise.

No início do século 20, tivemos a formação da escola de Psicologia “Behaviorismo”, que propunha focar os estudos da Psicologia nos comportamentos manifestos das pessoas, porque estes poderiam ser quantificados e facilmente medidos (o que não poderia acontecer com as emoções e os pensamentos).

Nas décadas finais do século 20, ainda surgiu uma nova abordagem, chamada de “ciência cognitiva”, que impacta até hoje as investigações sobre a mente humana. A ciência cognitiva é uma abordagem interdisciplinar, que usa conceitos e teorias da linguística, filosofia, ciência da computação, neurobiologia, psicologia evolutiva e behaviorismo.

Agora que você conhecer um pouco da história da Psicologia e como ela evoluiu até os dias atuais, vamos explicar como é o curso de graduação em Psicologia.

Como é o curso de Psicologia?

Como comentamos, o curso de graduação de Psicologia dura 5 anos e forma profissionais capacitados a investigar o comportamento humano a partir de uma visão científica. É um dos cursos mais populares entre as Ciências Humanas e permite ao aluno desenvolver as capacidades de promoção, proteção e reabilitação da saúde mental dos indivíduos.

Os profissionais da Psicologia formulam questionamentos sobre como e por que algumas pessoas desenvolvem determinados comportamentos. Posteriormente, eles podem ajudá-las a encontrar respostas personalizadas e otimizadas pela inteligência emocional, sempre observando sistematicamente os seus efeitos.

A profissão do psicólogo é regulamentada. Para exercê-la, você precisa ter um diploma de conclusão de curso superior em Psicologia emitido por uma instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), como é o caso da Anhanguera. Além disso, é preciso ter o registro no Conselho Regional de Psicologia (CRP) do estado em que deseja atuar.

A finalidade da Psicologia na vida das pessoas

Como ciência, a Psicologia analisa o comportamento humano e os seus processos mentais para buscar satisfação, felicidade e bem-estar. Considerando isso, ela é determinante para que os indivíduos se fortaleçam emocionalmente, consigam tomar decisões, lidem com medos e vícios e tenham mais sucesso em suas vidas pessoais e profissionais.

As pessoas enfrentam diversos dilemas e medos em seus cotidianos. Podem estar ligados a seus sentimentos e relacionamentos íntimos, ou envolver questões profissionais e globais — como pandemias e desastres naturais que mudam a rotina e a ordem conhecida das coisas.

Saber lidar com essas mudanças e situações sem que as emoções paralisem as atitudes é essencial, e a Psicologia traz ferramentas para esse aprimoramento. Em outras palavras, ela cria para seus pacientes uma poderosa forma de pensar e compreender o mundo ao redor, e eles conseguem agir de forma mais objetiva para buscar seu bem-estar. Interessante, não é?

A importância do psicólogo na atualidade

O papel do psicólogo é atuar como um mediador, alguém capaz de oferecer uma escuta qualificada. Ele também ajuda outro indivíduo a se compreender melhor, aceitar sua história e desafios, lidar com seus traumas, moldar suas expectativas para o futuro e saber lidar com suas relações sociais de forma saudável.

Considerando isso, é importante ressaltar que o psicólogo não atua somente em situações críticas, quando as emoções estão desequilibradas, e o paciente encontra-se em um nível alto de desorientação. Ele também faz a prevenção desses quadros — principalmente ajudando a elucidar os caminhos para o sucesso pessoal e profissional.

Isso é essencial na atualidade, pois as relações sociais e profissionais estão mudando consideravelmente. Você já deve ter percebido, certo? Essas mudanças podem ter vários motivos:

  • tecnologias;
  • políticas e relações internacionais;
  • novas doenças;
  • envelhecimento da população;
  • escassez de recursos naturais;
  • aumento da competição no ambiente de trabalho;
  • ansiedade;
  • estresses sem causas aparentes;
  • crescente cobrança por resultados;
  • padrões irreais etc.

Nesse contexto, na função de prevenir e promover a saúde mental, o psicólogo auxilia o indivíduo a encontrar um saber crítico sobre si e a realidade em que vive. Assim, pode aplicá-lo nas suas ações de forma satisfatória e em sintonia com suas emoções.

O custo do curso de Psicologia

Você tem dúvida sobre quanto custa o curso de Psicologia? Isso é comum, pois, antigamente, ele era considerado uma graduação para pessoas com maior poder aquisitivo. Mas isso é um mito, assim como a ideia de que tratamentos psicológicos são inacessíveis para a população mais pobre.

Uma coisa é certa: não basta pensar e comparar o preço do curso de Psicologia. É preciso escolher uma faculdade que ofereça qualidade de ensino e uma grade curricular alinhada com as novidades da área, além de vantagens como formas de ingresso facilitadas. Fazendo isso, você vai se tornar um profissional altamente capacitado e, por consequência, pode buscar melhores remunerações no mercado.

Você tem curiosidade de saber quanto ganha um psicólogo? Tudo depende da área à qual ele vai se dedicar. Além disso, a qualidade do tratamento fornecido pelo profissional fará com que ele seja cada vez mais valorizado e conhecido de seu público-alvo.

Como é o curso de Psicologia na Anhanguera?

A duração do curso de Psicologia da Anhanguera respeita a exigência de 10 semestres (5 anos) na modalidade de ensino presencial. Isso porque ainda não existem cursos EAD em Psicologia autorizados pelo MEC, mesmo em modalidades semipresenciais, apenas cursos de pós-graduação.

O curso é dividido em dois ciclos principais: o básico e o profissionalizante. Veja os detalhes a seguir:

  • ciclo básico: compreende os conhecimentos técnicos e fundamentais da Psicologia. Sua história, principais influenciadores, conceitos básicos, linhas de pensamento e fundamentos para o desenvolvimento psicossocial do homem. Eles darão ao bacharel em Psicologia as ferramentas necessárias para ajudar seus pacientes;
  • ciclo profissionalizante: refere-se ao conjunto de conhecimentos e de habilidades que vão nortear as ações práticas do psicólogo no exercício de sua atividade e a aplicação dos fundamentos adquiridos no ciclo básico. Ou seja, é o momento do curso que traz situações reais, nas diversas áreas da Psicologia, para que você possa se identificar e escolher uma na qual se especializar e atuar no futuro próximo.

Essa divisão torna a grade curricular do curso de Psicologia muito mais dinâmica. Afinal de contas, ela prepara a base teórica e o pensamento crítico do estudante e, depois, o coloca em dinâmicas profissionalizantes que vão ajudar a entender como o psicólogo atua.

As principais matérias do curso vão abordar a história e a introdução à Psicologia, seus fundamentos epistêmicos, teorias e sistemas psicológicos, desenvolvimento da infância, juventude, idade adulta e terceira idade. Outros temas importantes são:

  • Neuroanatomia;
  • Psicofisiologia;
  • Psicologia da Aprendizagem e da Memória;
  • Técnicas de Exames Psicológicos;
  • Ética na Saúde;
  • Processos Grupais;
  • Psicologia do Pensamento e Linguagem;
  • Psicologia Social;
  • Psicopatologias;
  • Psicodiagnósticos;
  • Psicologia Hospitalar, Educacional, Jurídica, Empresarial, entre outras;
  • Terapias Cognitivas e Existencial.

A prática desses conhecimentos da faculdade de Psicologia também é muito importante. Por isso, além do estágio obrigatório, estágios extracurriculares também devem fazer parte da graduação.

Aqui na Anhanguera, eles são incentivados por meio da oferta de oportunidades no Canal Conecta. Trata-se de uma plataforma exclusiva de nossos alunos, com diversas vagas de emprego e de estágio.

Isso não afeta quanto tempo dura o curso de Psicologia, apenas aumenta o conhecimento do graduando, pois alinha o que ele aprende em sala de aula com a prática observada. E, se você está pensando em se tornar psicólogo, provavelmente se preocupa com essa ponte entre a teoria e a prática, certo?

Continue acompanhando o conteúdo, pois, no próximo tópico, vamos ajudar você a entender se o curso é ideal para o seu perfil.

Psicologia é o curso ideal para você?

O exercício da Psicologia demanda algumas características e habilidades, como a empatia e a escuta qualificada. Também é importante que o profissional seja cativante e persuasivo, e goste de estudar continuamente as atualizações, as abordagens e as novidades da Psicologia.

Seus objetos de estudo principais são o pensamento, o sentimento e as atitudes do ser humano. Por isso, esse profissional deve ter interesse contínuo pelo entendimento de como eles se relacionam, assim como da integração entre corpo, mente e alma.

Saber tudo sobre o curso de Psicologia e qual é o perfil de seus profissionais pode ajudar você na escolha da sua carreira, não é mesmo? Então, veja a seguir o que essa profissão exige de seus representantes!

O que a Psicologia exige do profissional

A Psicologia é muito envolvente, mas exige um preparo emocional. Isso porque o profissional lida diariamente com o sofrimento e as angústias de seus pacientes. Muitos acabam absorvendo essa carga emocional porque, naturalmente, se preocupam com o bem-estar do próximo.

A Psicologia oferece orientação e tratamento aos seus pacientes essencialmente pelas palavras e pelo aconselhamento. É diferente da Psiquiatria, que pode usar medicamentos para reduzir as dores emocionais.

Ainda assim, é muito recompensador perceber a evolução dos pacientes — lembrando que a Psicologia não atua somente com situações críticas ou para o aconselhamento pessoal.

Em outras abordagens, como na Psicologia Organizacional (sobre a qual falaremos mais adiante), o profissional deve ajudar os colaboradores de uma empresa a progredir em suas carreiras, dar o máximo de suas performances produtivas e, ao mesmo tempo, criar um clima organizacional criativo e prazeroso para todos.

Quais são as habilidades de um futuro psicólogo

Entre as principais características que moldam o perfil ideal do futuro psicólogo, podemos citar:

  • ter gosto por trabalhar com pessoas e ser empático. Afinal de contas, seu principal objetivo é ajudar terceiros na resolução de conflitos internos e de relacionamentos com o ambiente em que vivem;
  • ser estudioso, pois cada paciente pode exigir uma abordagem e técnicas diferentes;
  • transmitir confiança e demonstrar que seu papel não é de julgamento das emoções e atitudes de seus pacientes, considerando que eles precisam ter liberdade para falar de seus problemas, medos e angústias sem filtros;
  • ser um bom ouvinte, já que, na maioria das vezes, os pacientes não sabem explicar seus sentimentos de forma racional e podem demonstrá-los por meio de gestos, histórias aleatórias e formas de pensar;
  • ter didática e saber fazer as perguntas certas para a pessoa em tratamento. Afinal de contas, ele é o mediador da busca pela solução e precisa trazer clareza;
  • mostrar interesse pela evolução do paciente. Assim, é essencial perguntar ao paciente como aconteceram eventos importantes da sua vida;
  • ser ético na profissão, respeitando o sigilo do que é tratado nas conversas entre psicólogo e paciente;
  • ter equilíbrio emocional para lidar com seu cotidiano.

Por isso, não é incomum que psicólogos também sejam acompanhados por outros colegas de profissão para lidarem com suas angústias e sentimentos. Isso, aliás, demonstra como a Psicologia é importante e necessária para todos os indivíduos, não é mesmo?

Achou que seu perfil combina com a profissão? Então continue acompanhando para entender como anda o mercado atual para os psicólogos!

Qual é o mercado de trabalho para quem faz Psicologia?

A sociedade e o mercado de trabalho estão em constante mudanças, e isso faz com que surjam novas áreas de abordagens da Psicologia.

A atuação mais conhecida do psicólogo está nos consultórios, em consultas particulares ou em grupo. Aqueles que exercem a profissão no ambiente escolar também são bem conhecidos. Mas a verdade é que existem outras áreas de grande expressão, como as clínicas e a empresarial. Veja a seguir algumas delas.

Clínicas

Entre as mais tradicionais, a Psicologia Clínica é aquela que se dedica ao estudo e ao tratamento de distúrbios mentais, em consultas individuais ou em grupo. Os sintomas e as causas são avaliados e investigados, e os tratamentos de orientação são propostos de acordo com o perfil e as necessidades do paciente.

A Psicologia Clínica, na atualidade, não é aplicada somente dentro de consultórios convencionais. Sua forma de condução é mais ampla e acompanha os avanços da tecnologia, por exemplo, oferecendo consultas em ambientes online.

O profissional recém-formado em Psicologia que deseja atuar na Psicologia Clínica pode buscar uma clínica médica com renome ou até criar seu próprio consultório, empreendendo na área. A média salarial de um Psicólogo Clínico é de R$ 2.871,23* no país.

Hospitais

A Psicologia Hospitalar é muito importante para um paciente que vive a experiência do adoecimento físico que, quase sempre, afeta sua saúde mental devido à dor ou à angústia vivida.

O psicólogo que atua nessa área busca o equilíbrio do paciente e de seus familiares durante a doença e depois dela, quando é necessário ajustar o estilo de vida e de rotina, por exemplo.

No ambiente hospitalar, o psicólogo tem um importante papel na criação e no fortalecimento do suporte humanizado aos pacientes, fazendo com que eles se sintam acolhidos como pessoa, e não apenas como doentes. Assim, trabalham e dão suporte a outros profissionais diretamente ligados aos enfermos, mostrando a forma mais acolhedora de lidar com eles.

Isso é muito importante para o relacionamento da equipe de saúde e os pacientes em suas diversas situações — desde uma mulher em trabalho de parto até aquelas pessoas acometidas por doenças terminais que precisam ter cuidados paliativos para dor.

A média salarial de um psicólogo hospitalar é de R$ 3.283,88* no país.

Escolas

Outra área da Psicologia muito conhecida é a escolar, abordando as diferentes graduações de ensino e especificidades. É o campo da Psicologia focado na melhoria do ambiente educacional, nos processos de aprendizagem e na experiência da comunidade escolar.

A Psicologia voltada para a área escolar avalia os aspectos individuais dos alunos, seus familiares, comunidade escolar e demais relacionamentos psicoafetivos. Assim, contribui para a melhoria do desempenho escolar e garante um ambiente escolar saudável e criativo para todos que interagem nele.

O psicólogo que atua na área escolar também interage e contribui com diferentes profissionais. Ele ajuda no fortalecimento psicológico dos professores, propõe atividades a serem realizadas com seus alunos e dá apoio à gestão escolar.

Porém, seu foco principal é o desenvolvimento educacional dos alunos da instituição, fazendo acompanhamentos individuais ou em grupo, dependendo de cada situação demandada. Um psicólogo escolar vai ser essencial para a integração de novos alunos em uma turma já consolidada, ou para dar o suporte emocional no ambiente escolar para alguém que tenha perdido um ente querido, por exemplo.

O psicólogo escolar tem remuneração média de R$ 2.713,47* no país.

Empresas

Também chamada de Psicologia Organizacional, essa área tem como público-alvo principal os funcionários de uma empresa e suas relações no ambiente de trabalho, inclusive com parceiros de negócios, fornecedores e clientes.

Ao desenvolver um clima organizacional favorável, motivador e saudável, o psicólogo pode melhorar a performance de trabalho dos funcionários. Uma consequência disso é a diminuição de doenças ocupacionais (aquelas que ocorrem por causa da atividade profissional).

Além disso, a Psicologia vai ajudar no desenvolvimento da carreira dos profissionais, identificando quais habilidades eles precisam aprimorar e quais são consideradas seus diferenciais. Com esse acompanhamento, o psicólogo pode apontar qual funcionário tem o perfil de liderança ou que pode representar a empresa, fortalecendo sua imagem para o mercado.

Entre suas principais ações, estão:

  • definição de perfil ideal do candidato para otimizar o processo de recrutamento e seleção;
  • análise de cargos, salários e competências;
  • pesquisa e definição de ações para a melhoria do clima organizacional;
  • criação de campanhas e de medidas para a motivação dos funcionários;
  • aplicação de testes comportamentais para personalizar o desenvolvimento de carreira dos profissionais da empresa;
  • criação e aplicação de avaliações de desempenho;
  • gestão de pessoas;
  • desenvolvimento de programas de qualidade e de bem-estar no ambiente de trabalho;
  • treinamento e desenvolvimento dos profissionais.

Os psicólogos organizacionais também lidam individualmente com questões pessoais e profissionais de cada funcionário que podem afetar sua relação com a empresa, os colegas e os seus resultados.

Alguns funcionários, por exemplo, enfrentam o medo de perderem seus empregos devido ao aumento do uso de novas tecnologias. Outros, por sua vez, se mostram extremamente dependes do uso delas a ponto de diminuírem o nível de atenção na hora de executar suas tarefas.

Sentimentos e comportamentos são os principais objetos da Psicologia, não é mesmo? E esse acompanhamento do psicólogo organizacional tem justamente o objetivo de ajudar os funcionários a encontrar ferramentas e soluções para tais problemas.

A remuneração média de um psicólogo organizacional é de R$ 3.590,53*.

Pesquisa acadêmica

O profissional formado em Psicologia também pode dar continuidade aos estudos para atuar como professor universitário e pesquisador acadêmico. Para seguir por esse caminho, o estudante deve aproveitar sua base de estudos da graduação para investir no Mestrado e, posteriormente, no Doutorado.

Um pesquisador em Psicologia tem média salarial de R$ 2.676,70* no país.

Quais são as principais especialidades da Psicologia?

A Psicologia tem várias linhas de trabalho e especialidades abordadas nas matérias do curso de Psicologia aqui na Anhanguera. A seguir, você confere as mais populares e as que são consideradas tendências na atualidade. Já pode ir pensando em qual delas mais combina com você!

Psicoterapia

Também chamada de tratamento da alma, a Psicoterapia é um tratamento de problemas psicológicos que usa a colaboração entre o psicólogo e o paciente. Juntos, eles buscam soluções para depressão, ansiedade ou outro fator de estresse que esteja causando transtornos emocionais.

Ela é indicada para todas as idades e perfis de pacientes, pois ajuda a lidar com sentimentos e sensações que, muitas vezes, as pessoas não sabem explicar ou resolver. Por exemplo, tristeza profunda, apatia, dificuldade de concentração e medo de relacionamentos.

Neuropsicologia

A Neuropsicologia tem como foco a interação entre os comportamentos humanos e as reações do cérebro no aspecto cognitivo. Assim, o psicólogo que se especializa nessa área vai atuar no diagnóstico, no acompanhamento, no tratamento e na pesquisa da cognição do paciente — seja de forma exclusiva ou em uma abordagem com outras especialidades, como a Neurologia e a Psiquiatria.

Ao estudar a forma como o sistema cerebral interfere nas ações, nas reações e nos sentimentos, o psicólogo pode ajudar o paciente a potencializar seu comportamento, fazer com que ele consiga memorizar mais ativamente, focar questões específicas, melhorar o raciocínio e até aprimorar sua capacidade de julgamento.

Psicologia Social

Essa é a especialidade da Psicologia que estuda como as pessoas interagem e se relacionam. A partir desse foco, o psicólogo busca soluções para que elas sejam mais harmoniosas, claras e produtivas a todos os envolvidos.

Orientação Profissional

A Orientação Profissional é o ramo da Psicologia que ajuda o paciente a buscar seu propósito, a área de atividade em que ele deseja atuar. Na atualidade, é muito comum que pessoas com muitos anos de atuação em uma carreira busquem sua verdadeira vocação, e o psicólogo vai dar o suporte para o sucesso dessa reflexão.

É importante ressaltar que a orientação profissional não acontece apenas nos momentos de definição ou mudança. Trata-se de um aconselhamento que ajuda o paciente a entender relações profissionais, decisões de carreira e posicionamentos que precisa tomar para continuar progredindo em busca dos seus objetivos.

Psicologia Esportiva

A Psicologia Esportiva tem ganhado expressão nos últimos tempos. Ao trabalhar o psicológico de um atleta, é possível melhorar sua performance e lidar com questões emocionais que o afetam na vida além do esporte.

Sua atuação vai desde o aspecto motivacional e assimilação da competitividade, até questões sobre como lidar com preparos físicos mais intensos, eventuais lesões e fracassos nos jogos. O psicólogo esportivo também prepara o atleta para a aposentadoria, que acontece muito cedo para a maioria desses profissionais e pode gerar depressão e sentimento de que a vida perdeu o significado.

Psicologia Jurídica

A Psicologia Jurídica também está ganhando novos significados e aplicações. Já era utilizada para ajudar os profissionais da área de Direito na busca de resoluções e julgamentos jurídicos que envolvem pessoas com problemas psicológicos e com comprometimento da saúde mental.

Também há outras vertentes e tendências que estão ganhando força, como colaborações na área de assistência social, cidadania, violência social e garantia dos Direitos Humanos.

Psicologia do Consumo

A Psicologia do Consumo recebe novidades a todo momento. Afinal de contas, o comportamento do consumidor está em constante alteração. É preciso analisar como ele decide suas compras, quais são os fatores e pessoas que o influenciam e como uma experiência na hora do consumo pode ser mais satisfatória a partir da identificação das suas necessidades.

Aplicar esses conhecimentos para criar ações promocionais, melhoria de produtos e serviços ou até mesmo para desenvolver programas de fidelidade pode potencializar os resultados das empresas.

Existem muitos motivos para que as pessoas decidam procurar um psicólogo na atualidade. Ao mesmo passo que percebemos nossa evolução tecnológica, também podemos identificar quais são os impactos emocionais que isso nos causa além dos receios e das questões psicológicas já existentes.

O Brasil é o país mais ansioso do mundo: temos questões sociais, de saúde e econômicas estressantes, problemas limitantes que causam angústia e depressão. Mas, ao mesmo tempo, temos uma população jovem, inteligente e que precisa descobrir suas potencialidades e saber lidar com seus sentimentos para vencer esses desafios.

Nesse sentido, a Psicologia tem um papel fundamental para mudar esse cenário, você não acha? Esse é o tipo de comprometimento e de empatia que guia aqueles que concluem o Bacharelado em Psicologia.

Psicologia e Psicanálise são a mesma coisa?

A resposta simples é não. Um psicólogo e um psicanalista podem ter formações e atuações diferentes no mercado de trabalho. Apesar de ambas as profissões estudarem e lidarem com a saúde mental das pessoas, existem algumas diferenças. É uma distinção que precisa ser conhecida pelas pessoas que querem fazer o curso de Psicologia.

A profissão de psicanalista nasceu com o surgimento da Psicanálise, a partir dos estudos de Sigmund Freud sobre o inconsciente. Por isso, o psicanalista é conhecido por usar um método terapêutico baseado na conversação com os pacientes para conseguir investigar e compreender as particularidades do inconsciente de cada um.

Ao contrário da Psicologia, não existe um curso de Psicanálise. A maioria dos psicanalistas tem uma formação nos cursos de Medicina ou Psicologia e realiza formações complementares para atuarem na área. Diferentemente do psicólogo, também não existe uma regulamentação da profissão de psicanalista.

Portanto, podemos dizer que a psicanálise é uma das possíveis áreas de atuação nas quais o recém-formado em Psicologia pode ingressar.

Qual é a diferença entre Psicologia e Sociologia?

Tanto a Psicologia quanto a Sociologia são áreas muito amplas das Ciências Humanas. Por isso, é comum que existam várias semelhanças entre os dois cursos.

De modo geral, as duas áreas compartilham um objetivo comum de estudo: o comportamento humano. Elas estudam as relações entre as pessoas, mas de diferentes perspectivas. Confira melhor as diferenças a seguir.

Indivíduo e Coletivo

Enquanto a Psicologia foca o indivíduo, a Sociologia se concentra nos fenômenos coletivos produzidos pelas relações entre as pessoas. Os estudos na área da Psicologia levam em consideração aspectos da biologia e da genética, já a Sociologia analisa padrões de comportamento de coletivos e multidões, e não como as ações afetam o indivíduo.

Método de estudo

Outra diferença entre as duas áreas está no método de estudo. A Psicologia se baseia muito em métodos experimentais, com fenômenos controlados para medir as variáveis e saber na prática as consequências de cada ação. Já a Sociologia não se caracteriza pelas experimentações, pois sua maneira de estudar é correlacional ou descritiva.

Isso significa que os estudos sociológicos não buscam explorar as causas e as consequências dos fenômenos, mas descrever a realidade, buscando padrões e tendências que podem se repetir nas próximas vezes que ocorrerem.

Tamanho dos grupos analisados nos estudos

Os estudos em Psicologia e em Sociologia se baseiam na observação de grupos de pessoas, mas já vimos que eles se baseiam em perspectivas diferentes (individual e coletivo). Além disso, os estudos da Psicologia tendem a analisar grupos menores, enquanto a Sociologia tende a fazer suas investigações com base em grupos bem maiores de pessoas.

Que tal fazer Psicologia na Anhanguera?

Já tomou sua decisão se quer fazer Psicologia? Depois dos anos de graduação, o recém-formado entra em um mercado de trabalho diversificado e cheio de oportunidades além da clínica-médica, área em que pode atuar como psicólogo. Como vimos, é um curso destinado a estudantes que gostam de aprender e lidar com outras pessoas.

Você se inspirou pelo conteúdo e acha que esse é o tipo de profissão que deseja seguir? Quer ser capaz de causar mudanças reais na vida das pessoas e da sociedade? Então, confira a unidade mais próxima de você e inscreva-se no vestibular para o curso de Psicologia!

* Sujeito a alteração.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.5 / 5. Número de votos: 108

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.