Trabalhar com gestão de pessoas: confira 8 dicas para se dar bem

gestao-de-pessoas

Você sabia que, diante de um mercado tão competitivo, os negócios que desejam se destacar precisam ir muito além de ofertar os melhores salários? Com as diferentes oportunidades, os profissionais já não conseguem ser facilmente conquistados e, por muito pouco, as empresas perdem seus melhores profissionais.

O grande problema é que o colaborador que vai embora de uma companhia não apenas deixa o cargo vazio, mas também leva consigo tudo o que aprendeu sobre essa organização para outro lugar. Para evitar essa situação, é preciso ter estratégias sólidas para atrair e fidelizar talentos.

Vamos explicar em detalhes a importância da gestão de pessoas e apresentar algumas ideias práticas de como realizar esse trabalho. Confira a seguir!

O que é a gestão de pessoas?

A gestão de pessoas consiste em uma série de práticas e atividades aplicadas em uma companhia para manter a motivação e a produtividade dos colaboradores. Os profissionais que realizam esse tipo de serviço atuam visando o desenvolvimento pessoal e profissional dos talentos. 

Em geral, grande parte das empresas contam com um setor específico para lidar com os recursos humanos do negócio. Essa ação não serve apenas para conquistar metas e objetivos, mas também para assegurar a mínima qualidade de vida de seus colaboradores, facilitando a sua satisfação no ambiente corporativo.

O que faz um gestor de pessoas?

O gestor de pessoas, geralmente formado em Gestão de Recursos Humanos, é responsável pelo treinamento, pela motivação e pela orientação dos colaboradores, a fim de otimizar a produtividade no local de trabalho e promover o crescimento profissional. 

No mercado de trabalho, um gestor de Recursos Humanos ganha, em média, R$ 7.449,88*, em uma jornada semanal de 43 horas. Nada mal, concorda? As atividades se baseiam no gerenciamento de pessoas e na supervisão do fluxo de trabalho, visando aumentar o desempenho dos funcionários.

Veja a seguir outras funções de um gestor de pessoas! 

Levantamento de estratégias

Além das lideranças de cada setor, o departamento de Recursos Humanos é o responsável por implementar estratégias-chave que vão impulsionar a motivação dos colaboradores e, claro, seu engajamento com a empresa. Tais ações têm o objetivo de garantir que eles trabalhem melhor e de maneira mais eficiente, apresentando resultados mais satisfatórios.

Sendo assim, a gestão de pessoas deve estar presente em todas as fases do ciclo de vida de um funcionário da empresa ― desde as entrevistas para contratação até o desligamento, voluntário ou não. Então, a área de gestão de pessoas abrange as tarefas de recrutamento e seleção, políticas de remuneração, gerenciamento de desempenho, treinamento e desenvolvimento profissional, segurança, bem-estar, programas de benefícios, motivação, comunicação e administração de pessoal.

A gestão de pessoas realiza todas essas ações para manter os talentos certos e tirar o máximo de proveito de suas habilidades, porém, levando em consideração as suas personalidades, aspirações profissionais, características pessoais e familiares, bem como os seus desejos, sonhos etc. 

Dessa forma, gestão de pessoas é uma área estratégica da organização, pois seu objetivo é manter os colaboradores alinhados com a missão da companhia, mais produtivos, satisfeitos e felizes, a fim de que atendam às necessidades dos negócios e garantam lucratividade.

Construção de políticas e práticas

Contudo, aproveitar ao máximo as potencialidades de um colaborador significa construir políticas e práticas consistentes que o tornem “parceiro” nos negócios. Ao estudar gestão de pessoas, você provavelmente vai ouvir muito que “o capital humano é o principal ativo de uma organização”. 

E isso é verdade, pois se os colaboradores começam a ficar insatisfeitos, o rendimento cai, surgem conflitos, e as falhas tornam-se evidentes. Como resultado, a reputação da empresa escorre pelo ralo.

Por isso, a gestão de pessoas ajuda a empresa a oferecer o melhor para os seus colaboradores. Desbloquear o potencial das pessoas é frequentemente visto como a chave para o sucesso de qualquer negócio. Quando os talentos de um funcionário não são aproveitados, seu comportamento pode comprometer seriamente o sucesso de uma organização.

Quais são os principais processos da gestão de pessoas?

É por meio da gestão de pessoas que os empreendimentos conseguem comprometer seus funcionários a atingir as metas previstas pela companhia. A equipe responsável pelas atividades de RH deve focar em alguns objetivos para assegurar que os talentos se mantenham atualizados, capacitados e motivados

Esses diferenciais trazem inúmeros benefícios para a empresa. Mas para atingir um patamar de destaque no mercado de trabalho, é preciso que as lideranças apliquem as técnicas de gestão de forma adequada para melhorar o desempenho dos profissionais e, consequentemente, potencializar os resultados do negócio.

Além do treinamento e supervisão de colaboradores, a gestão de pessoas pode trabalhar para:

  • atrair talentos para determinados cargos;
  • mapear os projetos e definir os colaboradores certos para cada função e meta;
  • aumentar a competitividade da empresa diante da concorrência;
  • atuar em prol da missão, dos valores e da visão da companhia.

Quais são os objetivos da gestão de pessoas? 

Praticamente todas as ações da gestão de pessoas são alinhadas com o planejamento estratégico das empresas. Até porque, são inúmeros os objetivos que a liderança pretende atingir quando busca aplicar os conhecimentos da área no empreendimento. Veja a seguir:

  • apoiar a corporação no alcance de suas metas, desenvolvendo ações integradas com a estratégia de negócio;
  • contribuir com o aperfeiçoamento de colaboradores para terem melhor desempenho;
  • garantir que a empresa conte com talentos qualificados e engajados;
  • criar relacionamentos positivos entre a gestão e a equipe, além de um clima organizacional baseado na confiança mútua;
  • incentivar uma abordagem baseada na ética.

Conheça os pilares da gestão de pessoas 

A gestão estratégica de pessoas é baseada em, pelo menos, cinco pilares:

  • motivação;
  • comunicação efetiva;
  • trabalho em equipe;
  • reconhecimento de competências;
  • treinamento e desenvolvimento.

Sem dúvida, investir na valorização dos colaboradores é um dos principais alicerces da gestão de pessoas. Um gerenciamento eficiente possibilita identificar, por exemplo, quais são as necessidades dos talentos e da própria empresa

Baseada nos cinco pilares da gestão de pessoas, o setor de RH pode trabalhar para executar algumas medidas para garantir a evolução e o crescimento de todos. Todo profissional da área sabe que apenas um bom planejamento das ações consegue transformar o cotidiano da organização de forma positiva.

O resultado das ações são funcionários muito mais motivados, produtivos e engajados para alcançar as metas e os objetivos da empresa. Assim como o time de talentos, os gestores também passam a ter mais confiança na atuação de seus colaboradores.

Os maiores desafios enfrentados pela área de gestão de pessoas

Gerenciar pessoas é uma tarefa que envolve uma série de desafios, incluindo preparar os próprios líderes para entender que emoções estão conduzindo os funcionários e que percepções podem precisar ser ajustadas.

Essa tarefa pode atingir, muitas vezes, a própria cultura organizacional (conjunto de crenças e valores que determinam como as pessoas se comportam nas organizações).

Veja, a seguir, quais são os principais desafios para a área de gestão de pessoas.

Reconhecer os melhores talentos

O primeiro desafio começa no processo de recrutamento e seleção. Já no anúncio da vaga, a empresa precisa realizar a descrição correta, com o maior número de detalhes possível, a fim de atrair os candidatos que melhor se encaixam no perfil desejado pela organização.

Em seguida, uma vez selecionados os participantes, os recrutadores precisam desenvolver etapas sólidas que possibilitem reconhecer os melhores talentos e, ao mesmo tempo, demonstrar o que os espera no dia a dia da organização. Isso porque escolher uma pessoa cujo perfil não se encaixa na empresa é um erro que gera prejuízos diversos, principalmente de tempo e dinheiro.

Encontrar meios de manter as equipes motivadas

Quando os colaboradores estão motivados, a produtividade está em alta. O contrário também é verdadeiro, se a motivação cai, a produtividade fica muito aquém do esperado. Nesse sentido, a gestão de pessoas também é responsável por desenvolver uma série de políticas de motivação das equipes.

Mas entender o nível de satisfação dos colaboradores é o primeiro desafio, com o intuito de se chegar a um diagnóstico correto. Em muitos casos, não está totalmente claro para os gestores, tampouco para o próprio departamento de Recursos Humanos, como as pessoas estão se sentindo, já que suas percepções individuais sobre a empresa levam em conta diversos fatores, como:

  • salários;
  • infraestrutura de trabalho;
  • benefícios;
  • relações interpessoais;
  • visão sobre os líderes;
  • plano de carreira;
  • atribuições dos cargos;
  • horários;
  • locomoção da casa para o trabalho.

Promover o treinamento e o desenvolvimento dos profissionais

Conquistar excelentes resultados também depende de uma alta capacitação profissional. Por isso, ter uma agenda de treinamento e desenvolvimento é outro desafio. Poupar investimentos nessa área, além de prejudicar a empresa, também gera desmotivação nos colaboradores e pode fazê-los pular fora do barco.

A pergunta que se passa na cabeça deles é simples: “por que vou dar o meu melhor, se a empresa não ajuda que eu seja o melhor?”. Então, identificar as necessidades de cada setor e ter políticas de treinamento e desenvolvimento também deve estar no radar da gestão de pessoas.

Engajar os colaboradores com os ideais da empresa

É um fato que as estratégias motivacionais podem tomar conta de boa parte da rotina da gestão de pessoas. O motivo é óbvio: sem motivação, manter um colaborador engajado é cada vez mais difícil.

Pensando nisso, a gestão de pessoas tem o dever de potencializar políticas de engajamento. Essas ações envolvem desde questões estruturais (como salários, benefícios, atribuições corretas dos cargos, ambiente limpo e com bons equipamentos) até relações humanas (respeito no tratamento individual, feedbacks, desenvolvimento pessoal, bem-estar etc.)

Quando uma empresa não engaja seus colaboradores, ela enfrenta duas situações: funcionários desmotivados que só fazem seu trabalho por obrigação (sem se importar com a qualidade) e alta rotatividade.

Administrar gerações diferentes

Gerações diferentes, expectativas diferentes. Hoje, as grandes empresas podem ter até cinco gerações trabalhando simultaneamente ― desde os mais idosos, com muito tempo de casa, até estagiários e profissionais recém-formados.

Cada uma dessas faixas etárias tem ambições, sonhos e necessidades muito particulares. Alguém próximo da aposentadoria, por exemplo, talvez não esteja tão interessado em benefícios como uma bolsa de estudos de faculdade. Por outro lado, um jovem estudante adoraria receber esse incentivo.

Além disso, como os processos mudam constantemente é preciso garantir que ninguém fique para trás. Se de um lado temos pessoas que não sabem como é viver sem a internet, de outro há pessoas que cresceram com a ascensão das televisões coloridas. Mas a tecnologia manda nos negócios: é preciso incluir todo mundo.

Esses dois exemplos explicam de forma bem clara apenas alguns desafios de lidar com diferentes gerações. No entanto, ainda vamos além, como no que se refere à comunicação clara, ao tom de voz, ao respeito ao ritmo e às percepções individuais etc.

Garantir um clima organizacional positivo

Lembra-se de que falamos lá no início do artigo sobre encontrar um diagnóstico correto sobre o nível de satisfação dos colaboradores? Pois bem, esse é o ponto de partida para entender como anda o clima organizacional da empresa.

Embora alguns gestores ainda tenham uma mentalidade tradicional resistente à importância da felicidade no ambiente de trabalho, se o clima organizacional está ruim, isso é um sinal de muitos outros problemas.

Esse clima de insatisfação pode fazer a empresa se tornar um verdadeiro palco para influências negativas, como fofoca, inveja, sabotagem, desrespeito e assédio, apenas para citar algumas. Sem dúvidas as consequências são desastrosas e podem evoluir para um grande volume de demissões, abandono de emprego, afastamentos, perda de clientes etc.

Reter os melhores talentos

Fidelizar os melhores talentos no mundo competitivo de hoje tornou-se mais um importante desafio da gestão de pessoas. Antes de situações extremas, como as que citamos acima, é importante lembrar que o perfil dos profissionais mudou, e que quem manda é a lei da oferta e da procura. Ou seja, entre duas propostas de emprego similares, vai ganhar a confiança do profissional aquela que lhe parecer mais conveniente.

As grandes companhias do mercado já perceberam isso e estão se desdobrando para fidelizar os melhores talentos, a ponto de criar verdadeiros “pacotes de desejos” na tentativa de manter pessoas altamente qualificadas trabalhando por mais tempo na organização.

Caiu por terra aquela antiga cultura de nossos pais e avós de que conseguir o emprego dos sonhos e se manter nele até o fim é uma conquista para toda a vida. Hoje, é muito comum que profissionais migrem antes mesmo de completarem 5 anos na organização.

8 dicas para você se dar bem ao trabalhar com gestão de pessoas

Tornar-se um profissional de respeito na área de gestão de pessoas envolve uma série de aptidões. Essas habilidades são chamadas de hard skills e soft skills ― na verdade, toda pessoa precisa delas para se dar bem em qualquer carreira.

As hard skills são habilidades que aprendemos principalmente por meio da capacitação, ou seja, são conhecimentos técnicos e educacionais para que possamos desempenhar nossas funções no trabalho.

As softs kills, por sua vez, são uma combinação de habilidades sociais e emocionais, personalidades, atitudes etc. Embora essas capacidades digam muito a respeito de nossa bagagem pessoal, elas também podem ser treinadas e desenvolvidas.

Então, imaginando que você tenha um interesse especial pela gestão de pessoas, separamos aqui um conjunto de dicas contendo diversos desses conhecimentos “soft” e “hard” que você precisa para ter sucesso na área. Dê uma olhada a seguir!

1. Forme-se em um curso da área de gestão

Para atuar na área de gestão de pessoas, primeiramente é importante investir em uma formação adequada que capacite você para compreender o universo dos profissionais de uma empresa. Entre esses cursos, podemos destacar os seguintes, que são oferecidos aqui na faculdade Anhanguera.

Gestão de Recursos Humanos

O curso de Gestão de Recursos Humanos da Anhanguera é oferecido na modalidade Tecnólogo e dura, em média, 2 anos. A graduação tem como foco o desenvolvimento de técnicas e métodos a serem aplicados nas estratégias de Recursos Humanos.

Nele, o aluno estuda diferentes disciplinas, como: Direito Trabalhista, Comunicação Empresarial, Gestão de Departamento Pessoal, Desenvolvimento de Pessoal, Ciências Sociais e Sistemas de Informação.

Ao final do curso, você terá conquistado habilidades essenciais para compreender todos os desafios relacionados à gestão de pessoas e oferecer soluções adequadas para a realidade da empresa em que for trabalhar.

Psicologia

O curso de Psicologia também permite que os profissionais atuem na área de gestão de pessoas. Oferecido na modalidade Bacharelado, tem a missão de oferecer ao profissional uma bagagem de conhecimentos que o tornem capacitado para trabalhar diferentes questões relacionadas ao comportamento humano, tanto no campo pessoal quanto no coletivo.

Por esse motivo, é muito comum que psicólogos sejam convidados para trabalhar na área de gestão de pessoas e acabem trilhando suas carreiras voltadas ao RH. Para tanto, a grade curricular contém disciplinas teóricas e práticas que promovem conceitos sobre o desenvolvimento psicossocial das pessoas.

2. Invista em cursos de atualização

Você deve saber que o diploma da graduação é o pontapé inicial para que você trilhe uma carreira de sucesso. Então, uma vez concluído o ensino superior, você precisa criar sua agenda de educação continuada. O que é isso? Trata-se do estudo contínuo ao longo de sua vida profissional, que vai garantir constante atualização.

Esses cursos podem ser livres, de curta duração, ou programas de pós-graduação, que incluem especializações e aprofundamentos, como mestrado e doutorado.

Uma dica para escolher os cursos de atualização é compreender quais são as necessidades do seu departamento ou do próprio público ao qual você atende. Com isso em mente, você se especializa nas áreas de maior interesse para si e sua empresa.

3. Desenvolva habilidades socioemocionais

Diante de tantos casos de pessoas com algum tipo de transtorno emocional ou dificuldade de gerenciamento das próprias emoções, a educação socioemocional tornou-se pauta no meio empresarial ao redor do mundo.

As habilidades socioemocinais incluem o reconhecimento de atitudes e habilidades necessárias para que pessoas de qualquer idade e em qualquer situação de vida controlem suas emoções e seus comportamentos. O objetivo é estabelecer e manter relacionamentos positivos, tomar decisões responsáveis, resolver situações desafiadoras e definir e atingir metas para projetos pessoais e profissionais.

Ter essas habilidades bem desenvolvidas permite que você não apenas aumente seu nível de autoconhecimento, como também enxergue os funcionários de sua empresa com maior empatia ― algo extremamente necessário para compreender os sentimentos deles e o que está faltando para que o clima organizacional se torne mais positivo.

4. Desenvolva uma mentalidade de crescimento

Traduzido do inglês growth-mindset, a mentalidade de crescimento é essencial para quem vai lidar com gestão de pessoas. Isso porque sua posição pode ser inspiradora e ajudar toda a empresa desenvolver esse pensamento, o que favorece muito o negócio.

Em uma mentalidade de crescimento, as pessoas acreditam que suas aptidões podem ser desenvolvidas por meio da dedicação e do trabalho. Essa visão cria um amor pelo aprendizado e uma resiliência que é essencial para grandes realizações.

Por exemplo, quando um funcionário tem essa personalidade, isso influencia significativamente sua experiência de aprendizado e aumenta o desejo de querer ver seu trabalho melhorar. 

O contrário também é real, quando os colaboradores ficam naquilo que chamamos de mentalidade fixa (fixed-mindset), eles não conseguem resolver um problema e admitem a derrota. Isso pode ser prejudicial aos esforços futuros e levar esses colaboradores ― e a empresa ― à estagnação.

5. Tenha uma excelente comunicação

A comunicação é uma força que está por trás de quase tudo o que fazemos como seres humanos, portanto, ser um grande comunicador é vital para os profissionais que atuam nessa área. Sendo assim, a base para o desenvolvimento de uma gestão de pessoas eficaz é a comunicação

Portanto, você deve definir expectativas claras para seus funcionários, ser transparente sobre questões importantes e estabelecer diretrizes para dar e receber feedback. Para inspirar um pensamento original, os gestores devem criar uma cultura inclusiva na qual todos os colaboradores possam expressar suas preocupações, opiniões e ideias. 

Então, é importante que você saiba realizar ações que estimulem o empoderamento dos colaboradores, a fim de que toda a empresa passe a ter voz e seja colaborativa e autêntica. Todos os processos internos devem ser pautados pela comunicação eficiente, que atinja os diferentes níveis hierárquicos e seja compreendida por todos. Esta é uma habilidade importante a ser desenvolvida, para que suas ações atinjam os objetivos desejados mais facilmente.

6. Incentive a cultura organizacional colaborativa

Incentivar por meio de diversas ações que sua empresa crie uma cultura organizacional colaborativa é outra forma de estreitar o relacionamento interpessoal e explorar os potenciais dos colaboradores.

Ideias e informações se espalham mais facilmente quando os funcionários se comunicam e colaboram uns com os outros, o que pode ter um impacto positivo no desempenho da empresa. Como o profissional de gestão de pessoas é uma peça-chave nesse processo, é seu papel desenvolver estratégias que estimulem a participação efetiva dos colaboradores nas equipes e horizontalizem a hierarquia, ou seja, todos passam a ter voz na tomada de decisão e o chefe não é mais uma figura autoritária.

7. Busque formas de motivar a equipe

Uma das atividades mais prazerosas do trabalho de gestão de pessoas é a que tem como foco a motivação. Como profissional da área, você deve ter em mente que motivar seus funcionários e obter um engajamento positivo é fazer com que eles se sintam apaixonados por trabalhar todos os dias, desejando passar um tempo com seus colegas e gestores.

Para isso, você pode criar projetos motivacionais com uma série de ações ― nem todas envolvem grandes investimentos financeiros, e isso torna ainda mais fácil a sua atuação. Veja só uma pequena lista:

  • criar um ambiente de trabalho amigável;
  • adotar horários flexíveis;
  • estabelecer políticas justas de plano de carreira;
  • ampliar o pacote de benefícios;
  • criar programas de reconhecimento dos funcionários;
  • premiar os melhores talentos;
  • incentivar a competição amigável;
  • propor programas de desenvolvimento de líderes;
  • estimular o trabalho em equipes multidisciplinares (com pessoas de várias áreas).

8. Ajude a tornar o departamento de gestão de pessoas uma área estratégica

Esse, sem dúvida, é um grande desafio para os profissionais de gestão de pessoas. Se os diretores e gestores não estão tão despertos para a importância da área na sua empresa, não desanime, pois você tem uma ótima oportunidade de realizar um excelente trabalho, literalmente do zero.

Mesmo com tantas informações de mercado, não são raras as empresas brasileiras que engatinham nas políticas ― e no próprio tratamento ― dos recursos humanos. Então, com os conhecimentos adquiridos você pode trabalhar para uma única empresa, como também ajudar outras organizações, por meio de consultorias e projetos, a transformarem os respectivos departamentos.

A boa notícia é que muitas corporações, especialmente os grandes negócios, já perceberam a importância de modificar suas políticas de gestão de pessoas. Por esse motivo é uma área que está em alta e dá a possibilidade de você investir em diferentes tipos de caminhos, por exemplo, a carreira em W, em que você vai atuar tanto como especialista quanto como líder de equipes.

Torne-se um gestor de pessoas de sucesso!

Ao chegar aqui, você deve ter percebido o quanto essa área é promissora e instigante. Se você tem paixão pelas Ciências Humanas e imagina que pode colher bons frutos trabalhando com os colaboradores de uma empresa, não hesite em escolher o curso superior em gestão de pessoas!

Aproveite a visita e se inscreva para o vestibular da Anhanguera agora mesmo!

*Sujeito a alterações.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.7 / 5. Número de votos: 36

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registered successfully
Oops! Invalid email, please check if the email is correct.
Oops! Invalid captcha, please check if the captcha is correct.