Guia completo da carreira em Engenharia Mecânica

moça analisando peça de drone

Em um mundo cada vez mais automatizado, já pensou em quem é responsável, muitas vezes, por parte da produção industrial? A Engenharia Mecânica é uma das áreas que tem passado por profundas transformações, ao mesmo tempo em que também tem ganhado novos cenários e possibilidades de atuação.

Com uma versatilidade de possibilidades de atuação, desde a forte indústria automobilística nacional, ao setor aeroespacial ou laboratórios de pesquisa e desenvolvimento, você encontrará um campo amplo de atuação.

Confira a seguir um guia completo com tudo que você precisa saber sobre a carreira em Engenharia Mecânica e descubra mais sobre essa área empolgante!

Conheça a carreira de Engenheiro Mecânico

A Engenharia Mecânica é uma área que une tanto a tradicionalidade de um campo extremamente forte para a indústria quanto os desafios de precisar se reinventar constantemente diante das inovações tecnológicas.

Os profissionais dessa área são responsáveis por projetar, analisar e melhorar sistemas mecânicos. Eles podem estar presentes na criação de veículos e aeronaves a, até mesmo, criação de sistemas de energias renováveis e sistemas robotizados. 

Ou seja, eles geralmente estão na linha de frente da inovação em diversos setores! É bem empolgante poder fazer parte desses processos. Vamos entender melhor agora os principais pontos que envolve essa carreira.

O que é a Engenharia Mecânica?

Em primeiro lugar, vamos entender melhor o que é, de fato, esse campo do conhecimento. A Engenharia Mecânica é um ramo dentro das Engenharias que se concentram tanto na criação de projetos quanto fabricação e manutenção de sistemas mecânicos, que podem incluir:

  • Máquinas;
  • Ferramentas;
  • Motores;
  • Sistemas hidráulicos, entre outros equipamentos mecânicos.

Por isso, ela está diretamente ligada com o setor industrial. Não à toa, a área surge, justamente, com a Revolução Industrial, no século XVIII.

máquinas industriais antigas em fábrica
A Engenharia Mecânica surgiu com a Revolução Industrial

O que um Engenheiro Mecânico pode realizar?

As possibilidades de atuação de um Engenheiro Mecânico são diversas, ou seja, você terá um amplo campo de funções que poderá exercer. Vamos conhecer a seguir as principais delas.

Projetar, desenvolver e manter equipamentos mecânicos

Uma das principais funções que o Engenheiro Mecânico pode exercer é ser responsável pela projeção, desenvolvimento e manutenção de equipamentos mecânicos. Eles utilizam esse conhecimento para criar máquinas e dispositivos que podem atender a diversos setores industriais.

O profissional pode ficar dedicado a apenas uma das funções (por exemplo, apenas realizar os projetos de sistemas mecânicos). Ou, então, pode atuar em toda a linha produtiva, desde a concepção até os processos de manutenção.

Gerenciar qualidade da produção

Outra possibilidade é que o Engenheiro Mecânico seja uma liderança responsável pelo gerenciamento de produção nas indústrias. Eles supervisionam o processo de fabricação, analisando se os padrões de qualidade estão sendo cumpridos como estabelecidos no projeto.

Assim, esses profissionais realizam a supervisão das equipes responsáveis pela produção, avaliam se os recursos disponíveis estão sendo utilizados da forma correta. Também podem identificar que há possibilidade de melhorias e realizar ajustes para aumentar a produtividade.

Essa é uma função de grande responsabilidade, pois um erro pode prejudicar toda uma linha de produção. Por isso, os profissionais se guiam bastante por normas técnicas e boas práticas para alcançar uma maior eficiência.

Realizar vistorias, avaliações e perícias

Outra função interessante é que um Engenheiro Mecânico pode atuar de forma independente, realizando vistorias ou perícias nas fábricas. Ele pode tanto ser contratado pela empresa para analisar a situação atual quanto, também, fazer parte de auditorias externas.

A ideia é analisar se os processos estão sendo feitos de forma segura, eficiente e seguindo as regras estabelecidas pela legislação. Durante a vistoria, o profissional analisa minuciosamente o funcionamento das máquinas, ferramentas e das instalações como um todo.

Assim, no relatório final, ele pode indicar quais foram as falhas e pontos de atenção encontrados. Esse documento, depois, é utilizado pelo responsável para fazer as alterações necessárias e deixar o local ainda mais seguro e produtivo.

Nessa função, o profissional deve dominar as principais normas técnicas internacionais criadas pelas principais instituições da área, como a American Society for Testing and Materials (ASTM) e a International Organization for Standardization (ISO), além das regulamentações nacionais.

Em alguns casos, muitos deles atuam, até mesmo, como certificadores, sabia disso? Por exemplo, a ISO 9001, uma das mais conhecidas, só pode ser concedida se o local cumprir todos os dispositivos presentes no manual da certificação.

Nesse caso, o Engenheiro Ambiental pode atuar como avaliador e realizar o monitoramento dessas questões. Se a empresa solicitante cumprir, ele poderá relatar que ela está apta para receber o certificado ISO. 

engenheiro checando máquina e segurando prancheta
O engenheiro que faz vistorias deve conhecer normas nacionais e internacionais

Elaborar pareceres e laudos técnicos 

Outra função que os profissionais podem realizar de forma independente é serem responsáveis pela elaboração de pareceres e laudos técnicos. Isso porque, muitas vezes, esses pontos são necessários tanto pela legislação quanto, por exemplo, para participar de determinadas licitações.

Nesse caso, o Engenheiro Mecânico é o especialista que avalia e atesta que as regras exigidas estão sendo cumpridas. Para isso, ele faz diversas análises detalhadas dos equipamentos, sistemas e processos mecânicos. 

Ele pode ser chamado para fazer esses pareceres também, por exemplo, em casos de problemas judiciais (por exemplo, processos trabalhistas), análises de seguros e auditorias. Ou seja, tem também uma grande responsabilidade nessa função. 

Pesquisar e desenvolver novos materiais

Os Engenheiros Mecânicos também podem estar envolvidos em atividades de pesquisa. Nesse caso, estarão envolvidos em encontrar soluções inovadoras e sustentáveis para resolução de problemas. 

Isso pode ser feito tanto em laboratórios de pesquisa e desenvolvimento, geralmente presentes em universidades, quanto também em empresas que investem em inovação.

Esses novos materiais podem conter propriedades que ajudam a avanços significativos em diversas áreas. Algumas das principais que tem se beneficiado com essas pesquisas são:

Nesse caso, o profissional pode, até mesmo, registrar patentes de inovações mecânicas, caso tenha alcançado esse nível de criação. Interessante, não é mesmo?

Como está o mercado para carreira de Engenheiro Mecânico

Uma dúvida comum que muitas pessoas possuem ao cogitarem entrar para a área de Engenharia Mecânica é se, de fato, o mercado está favorável ou não. A resposta é: sim, com diversas oportunidades surgindo.

Com os incentivos para aumentar a produção industrial no Brasil, a demanda por especialistas tem aumentado consideravelmente. Isso vale tanto para projetar sistemas mecânicos que serão aplicados em fábricas quanto, também, para gerenciarem os processos no dia a dia nesses espaços.

Outra possibilidade também muito em alta é trabalhar como auditor e certificador das principais certificações do mercado. Afinal, esse é um ponto de destaque para as empresas e, por isso, temos um volume cada vez maior de gestores buscando a certificação para seu negócio, aumentando a demanda pelos profissionais avaliadores.

Além disso, temos ainda outro ponto que ajuda a aquecer ainda mais o mercado para Engenheiros Mecânicos: o aumento da automação industrial. 

Com o desenvolvimento da robótica e das tecnologias de Internet das Coisas e Inteligência Artificial, tem se tornado essencial ter especialistas capazes de implementar essas mudanças nas plantas industriais. Ao mesmo tempo, também, é preciso que o especialista esteja alocado no local para fazer ajustes e manutenções quando necessário.

Mesmo com mais de 118 mil profissionais registrados atualmente como Engenheiros Mecânicos, segundo o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA), ainda há déficit de especialistas em algumas áreas. Então, esse é o melhor momento para entrar na área. 

engenheira mexendo em braço de robô
A automação industrial traz muitas oportunidades para a profissão

Cargos e especializações em Engenharia Mecânica

Uma das grandes vantagens da Engenharia Mecânica é ser uma das especializações nessa área que possui uma maior gama de oportunidades em diferentes áreas. Os profissionais podem encontrar possibilidades de atuação tanto no setor público quanto privado ou, até mesmo, ter seu próprio negócio.

Confira mais a seguir sobre cada uma delas.

A Engenharia Mecânica no setor privado

O setor privado é o que mais absorve os profissionais dessa área, especialmente, o setor industrial. Algumas áreas dentro desse setor são fortes na economia nacional e estão sempre em busca de especialista. São elas:

  • Metalurgia;
  • Siderurgia;
  • Automobilística;
  • Petroquímica.

Ainda que muitas delas tenham seus próprios especialistas (como o Engenheiro Metalúrgico), as operações são feitas de forma interdisciplinar. Assim, ambos podem atuar em conjunto no dia a dia.

Alguns dos principais cargos que os Engenheiros Mecânicos podem assumir no setor privado, contratados por empresas e indústrias, são:

  • Engenheiros de projetos: atuam no desenvolvimento de novos produtos e sistemas mecânicos, passando desde a fase de concepção até a produção e manutenção;
  • Gestor de produção: responsável por supervisionar o processo produtivo em plantas industriais que utilizam sistemas mecânicos. Assim, ajuda a manter o alto nível de qualidade e evitar desperdícios de produtos;
  • Especialista em materiais: pode ser contratado para participar de núcleos de pesquisa e aplicação de novos materiais para melhorar a qualidade e funcionamento de produtos;
  • Analista de qualidade: pode ser o técnico responsável por garantir que os produtos atendam os padrões de qualidade e normas técnicas internacionais.

A Engenharia Mecânica no setor público

O Engenheiro Mecânico também encontra espaço de atuação no setor público, sabia disso? Pois é, empresas estatais, órgãos governamentais e, até mesmo, as forças armadas realizam concursos voltados para essa área. 

Uma vantagem de atuar no setor público é a estabilidade no exercício da função, o que tende a agradar muitas pessoas que gostam de priorizar a segurança. Já outras podem ter o sonho de atuar em determinadas áreas (por exemplo, como especialistas nas forças armadas).

Estão entre os órgãos que recentemente abriram concursos públicos para Engenheiros Mecânicos:

  • Marinha do Brasil;
  • Comando da Aeronáutica;
  • Exército Brasileiro;
  • Estatais de energia (como a Eletronorte e Itaipu Binacional);
  • Alocação em prefeituras;
  • Estatais de saneamento básico;
  • SERGAS (Sergipe Gás S.A);
  • NAV Brasil Serviços de Navegação Aérea S/A;
  • IMBEL (Indústria de Material Bélico do Brasil).

Outra possibilidade, também, de atuar nessa área no setor público, é se tornando professor, sabia disso? Pois é, os Institutos Federais (IFs), que oferecem cursos técnicos, geralmente abrem vagas para docentes. O mesmo vale, também, para as universidades federais e estaduais.

Porém, nesse caso, apenas a formação em Engenharia Mecânica não será o suficiente. Também poderá ser preciso ter, no mínimo, título de mestre na área.

engenheiros mexendo em turbina de avião
A aeronáutica é um setor público com oportunidades para o engenheiro mecânico

A Engenharia Mecânica para quem é empreendedor

Para quem tem espírito empreendedor e quer abrir seu próprio negócio, a Engenharia Mecânica também permite começar o seu próprio negócio, sabia disso? Algumas das principais possibilidades são:

  • Criação de startups: você pode unir seus conhecimentos de Engenharia Mecânica com outros especialistas para criar um produto disruptivo e inovador para o mercado;
  • Consultoria técnica: lembra-se quando falamos sobre a função de perito e realização de laudos técnicos? Muitos profissionais que atuam dessa forma abrem sua própria empresa e prestam serviços para as empresas e indústrias que necessitam desse serviço;
  • Empresa de auditoria e certificação: atue como profissional certificador para normas ISO e outras certificações da área;
  • Fabricante de pequeno porte: crie seus próprios sistemas mecânicos e comercialize-os para o público-alvo que tenha interesse no assunto.

Para empreender como Engenheiro Mecânico é fundamental conseguir alinhar tanto um excelente conhecimento técnico (que o coloque em destaque no mercado) quanto, também, uma visão estratégica de negócios. Isso ajuda a identificar e aproveitar oportunidades de mercado.

Salários e benefícios para Engenharia Mecânica

Outro ponto de interesse para quem está buscando saber mais sobre uma carreira é, claro, o salário médio que poderá receber na profissão. Afinal, ser um Engenheiro Mecânico é vantajoso financeiramente?

Segundo o site Salário, um Engenheiro Mecânico recebe uma média salarial de R$ 10.247,63 para uma jornada de 41 horas semanais. No topo da carreira, em média, podem receber até R$ 19.206,39.

Porém, dentro desse campo, temos também as especializações, que podem levar a variações no valor da remuneração recebida. Estão entre elas:

  • Engenheiro Mecânico (área de Energia Nuclear): salário médio de R$ 10.719,06;
  • Engenheiro Mecânico (área Automobilística): salário médio de R$ 9.859,00;
  • Engenheiro Mecânico (área Industrial): salário médio de R$ 9.519,78.

Vale lembrar que esses valores podem variar ao longo do tempo e, também, segundo a região de trabalho (por exemplo, em média, grandes centros possuem uma melhor remuneração).

Cultura e desafios da carreira

Até aqui você acompanhou mais detalhes sobre as funções e salários de um Engenheiro Mecânico. Mas afinal, o que faz parte da cultura dessa carreira? E quais são os principais desafios que os profissionais enfrentam?

Separamos alguns desses principais pontos a seguir. Isso ajudará você a entender melhor como funciona o dia a dia desses profissionais e, também, ver se está alinhado com suas perspectivas para o futuro.

Confira a seguir!

Atualização frente às novas tecnologias

Um dos grandes desafios que faz parte da cultura da profissão de Engenheiro Mecânico é acompanhar o desenvolvimento tecnológico, cada vez mais acelerado nessa área. Nos últimos anos, os profissionais do setor acompanharam uma série de mudanças, entre elas:

  • Desenvolvimento de novos Softwares de CAD (Desenho Assistido por Computador) como AutoCAD e SolidWorks;
  • O aumento na sofisticação da robótica na área de mecânica industrial;
  • A entrada do 5G em conjunto com o desenvolvimento da Internet das Coisas;
  • O aumento da demanda e desenvolvimento de tecnologias sustentáveis, que impactam na área;
  • Surgimento e popularização da manufatura aditiva (impressão 3D);
  • Automação de processos mecânicos utilizando tecnologias digitais para isso;
  • Adoção da Inteligência Artificial no setor industrial.
homem com óculos de realidade virtual fazendo teste em braço mecânico
A sofisticação na robótica é um desafio pela mudança rápida na tecnologia

Muitas dessas mudanças aconteceram muito rapidamente. A maioria delas, inclusive, aconteceram nos últimos 15 anos. Por isso, os profissionais precisam estar sempre em processo de aperfeiçoamento contínuo, para não ficarem atrasados e perdidos nesse mercado.

Uma das inovações que merece sua atenção, sem dúvida, caso decida entrar nessa área, é a Inteligência Artificial. Essa é uma das grandes apostas da indústria brasileira, inclusive, para se tornar mais competitiva. Ronaldo Lemo, advogado e professor da Universidade de Columbia, destaca esse ponto:

O Brasil pode ser muito competitivo em aplicações de AI [Artificial Intelligence]. A gente não pode desistir de competir, de igual para igual, em relação ao mundo. Eu vejo alguns setores no Brasil como sendo muito possíveis de competirem globalmente.

Ronaldo Lemo, professor da Universidade de Columbia

Comunicação com colegas de trabalho

Os Engenheiros Mecânicos estão sempre em contato com diferentes colegas de trabalho, de diferentes áreas. Isso acontece pela natureza complexa e colaborativa dos projetos na área. 

Afinal, cada vez mais os projetos têm se tornado multidisciplinares, trazendo para o dia a dia os esforços conjuntos com outras engenharias (produção, mecatrônica, elétrica, eletrônica, computacional, entre outras), técnicos, designers e gestores.

Cada uma dessas áreas tem suas linguagens, perspectivas, demandas e problemas no entendimento entre todos podem gerar atritos desnecessários entre todos. Por isso, faz parte da cultura da carreira (e pode ser um desafio para alguns profissionais, também) desenvolver uma comunicação clara, efetiva e empática com os colegas. 

Equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Outro ponto que pode ser bastante desafiador para muitos profissionais, especialmente os empreendedores em Engenharia Mecânica, é manter o equilíbrio saudável entre a vida profissional e pessoal.

Esse é um ponto que não se restringe a essa área, mas pela natureza exigente dos projetos de engenharia, é muito comum que muitos profissionais se sobrecarreguem. Prazos rigorosos e apertados, demanda por soluções de problemas e complexidade dos desafios podem gerar longas horas de trabalho do profissional.

É fundamental conseguir encontrar uma forma de equilibrar essa questão. Essa é uma carreira muito suscetível ao desenvolvimento da Síndrome de Burnout. Você já ouviu falar nela?

Essa é uma doença ocupacional (ou seja, que surge no ambiente de trabalho) e que pode levar a um forte adoecimento mental do profissional. Alguns dos seus principais sintomas são:

  • Cansaço físico e mental excessivo;
  • Dor de cabeça intensa e frequente;
  • Mudanças no apetite (aumento ou perda);
  • Sensação de incapacidade;
  • Pensamentos negativos;
  • Sentimento de fracasso e insegurança;
  • Lidar de forma cínica com o trabalho e com os colegas;
  • Dificuldades de concentração, entre outros pontos.

Uma das estratégias para conseguir alcançar esse equilíbrio é com uma boa gestão de tempo. O planejamento é o maior aliado desse profissional. Ferramentas como agendas digitais e aplicativos de gestão de tarefas ajudam a evitar sobrecargas.

Além disso, outro ponto essencial é aprender a delegar e dizer “não”. Estabelecer limites profissionais ajuda a manter a vida pessoal equilibrada e saudável. Também pode ser essencial saber se desligar do trabalho, não acompanhando e-mails e mensagens fora do horário de serviço.

Networking para crescimento de carreira

Dentro da Engenharia Mecânica, seja no setor privado ou empreendendo, fica mais fácil conseguir alcançar novos patamares quando você estabelece um bom networking. Ao conhecer mais pessoas, é possível encontrar portas abertas para oportunidades interessantes no futuro.

Participar de feiras e eventos de Engenharia Mecânica, por exemplo, é uma excelente forma de ser visto. Aproveite esses espaços para fazer amizades profissionais, trocar experiências e, claro, ficar por dentro das últimas tendências e inovações.

Hoje também é mais fácil fazer networking de outra forma: online! Redes sociais como o LinkedIn, permitem que os especialistas consigam se conectar com colegas de todo o mundo e, até mesmo, projetar sua carreira internacionalmente. Já pensou nessa possibilidade?

homem acessando LinkedIn em laptop
O LinkedIn é um meio de se conectar com colegas e buscar oportunidades internacionais

Quando falamos em uma área dentro das Engenharias, muitos iniciantes na área ficam com dúvidas sobre questões relacionadas com sindicatos e associações profissionais. Afinal, esse é um setor que possui uma peculiaridade: possui um órgão regulador de classe: o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA).

Mas essa não é a única associação profissional do setor, sabia? Separamos a seguir algumas informações sobre os principais deles!

Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA) e Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA)

O Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA) é o órgão regulador das atividades das engenharias no Brasil, incluindo a área de Mecânica. Ela é a entidade máxima, que determina normas e diretrizes para o exercício da profissão.

Isso inclui, por exemplo, o Código de Ética da profissão, normas que devem ser seguidas e, até mesmo, sanções e punições em caso de descumprimento. Ele também possui a função de supervisionar a formação acadêmica dos profissionais e, também, proteger os profissionais de eventuais abusos.

Já o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) é a versão regional do CONFEA, atuando em nível estadual. Eles são responsáveis diretamente pelo exercício da profissão nesses locais.

Além disso, também cumprem um papel importante: serem responsáveis pela emissão de registros e carteiras profissionais. Você sabia que um engenheiro, para poder atuar como tal, precisa ter o registro ativo no órgão de classe? Isso é feito pelo CREA.

A instituição também oferece suporte para o desenvolvimento profissional e pessoal dos engenheiros. Muitos deles oferecem cursos de atualização regularmente, realização de seminários e eventos que podem ajudar no desenvolvimento contínuo dos profissionais.

Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos (ASME)

Já internacionalmente, temos a Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos (em inglês, a American Society of Mechanical Engineers — ASME), voltada especificamente para essa especialização. Ela foi uma das grandes responsáveis pelos avanços nessa área. 

Ela é uma das responsáveis pelo desenvolvimento de normas técnicas e códigos de boas condutas, replicados em vários países do mundo — inclusive, no Brasil. Com isso, é possível ter uma força tarefa global para proporcionar segurança e qualidade nas atividades exercidas por esses profissionais.

Para quem domina a língua inglesa, pode também contar com diversos programas de desenvolvimento profissional ofertados pela instituição. Com isso, você fica atualizado sobre as últimas tendências e ainda permanece conectado com uma rede maior de especialistas na área.

Instituto de Engenharia Mecânica (IMechE)

O Instituto de Engenharia Mecânica (em inglês, Institution of Mechanical Engineers — IMechE) é um instituto criado para ser uma comunidade global voltada para os profissionais da área.

Ele é, atualmente, formado por mais de 115 mil membros registrados em todo o mundo. A ideia é auxiliar no desenvolvimento dos participantes, com oferecimento de cursos, treinamentos, workshops, elaboração de relatórios sobre a área, entre outros pontos.

Além disso, os profissionais podem contar com uma ampla biblioteca digital e arquivos, que poderão ser úteis para consulta. No acervo, é possível encontrar publicações e revistas especializadas em Engenharia Mecânica, informações de bancos de dados e textos importantes da área.

Sindicatos

Os sindicatos são espaços criados para oferecerem segurança para que os profissionais possam trabalhar tranquilamente, sem assédios morais e qualquer tipo de coação. Além disso, também ajudam a negociar benefícios e melhores condições de trabalho.

Outro diferencial é que eles também fornecem proteção legal para os sindicalizados (por exemplo, caso você tenha algum tipo de problema com um contratante, eles poderão oferecer apoio jurídico para sua situação). 

Vale lembrar que a afiliação em sindicatos não é obrigatória. Porém, caso queira, alguns benefícios com os quais poderá contar são:

  • Desenvolvimento profissional: alguns sindicatos buscam condições especiais de pagamento e descontos para realização de cursos que podem aprimorar ainda mais seu currículo;
  • Apoio legal: podem conceder advogados especializados para casos de litígio com algum empregador. Além disso, em casos de negociações coletivas, também podem representar a sua classe, para buscar maiores benefícios (como aumentos, redução de jornada de trabalho, entre outros);
  • Redes de contatos: você terá mais oportunidades para se conectar e conhecer outros colegas da área e fortalecer laços;
  • Suporte emocional: especialmente em uma área tão exigente, os sindicatos possuem uma função importante. Muitos deles oferecem apoio emocional em situações delicadas, além de condições especiais em tratamentos psicoterápicos, quando necessário.

Regulamentações e ética profissional

Como você viu anteriormente, o CONFEA é responsável por, também, administrar o Código de Ética dos profissionais de engenharia. Esse documento é essencial para garantir que toda a classe de especialistas atue de forma ética, justa, atuando de forma segura com seus pares e para a sociedade como um todo.

Vale lembrar que, em caso de quebra do Código de Ética, o profissional pode ter seu registro no CREA suspenso. Com isso, ele não consegue mais atuar como Engenheiro Mecânico. Por isso, é fundamental ler com atenção esse documento e segui-lo à risca.

Outro ponto é que os Engenheiros Mecânicos precisam seguir as regulamentações e normas técnicas nacionais. Muitas delas são definidas pelo próprio CONFEA e, portanto, é importante estar atento a eventuais novidades.

Mas, além disso, os profissionais precisam seguir tanto as Normas Reguladoras (NRs) quanto, também, as Normas Brasileiras (NBRs), estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Então, vale também estar atento ao catálogo disponibilizado pelo ente para acompanhar mudanças e novidades.

Como ingressar na carreira de Engenharia Mecânica

Com todas essas informações, pode ser que você decida que, realmente, quer ingressar na carreira de Engenharia Mecânica. Ok, qual o próximo passo? Em primeiro lugar, é importante conhecer quais passos serão necessários para conquistar as melhores vagas.

Vamos trazer algumas dicas que ajudarão nisso a seguir!

Conheça o perfil profissional do Engenheiro Mecânico

Em primeiro lugar, é importante entender qual é o perfil profissional do Engenheiro Mecânico, para saber se é uma área em que conseguiria se adaptar. Ou, então, quais seriam as habilidades que precisaria desenvolver para ser um excelente especialista na área.

Claro que algumas questões vão variar conforme a função exercida. Por exemplo, quem trabalha com pesquisa deverá ter um perfil mais investigativo e curioso. Mas estão entre as principais habilidades que esse profissional deve ter:

  • Perfil analítico: ele deve sempre estar de olho em quais são os pontos de melhorias e otimizações em sistemas mecânicos, bem como analisar o que precisa de manutenções;
  • Solucionador de problemas: recorrentemente esse profissional é requisitado para, justamente, resolver questões que estão aparecendo a partir de sistemas mecânicos que ele poderá projetar, criar ou monitorar;
  • Boa comunicação verbal: como é um profissional que atua sempre em equipe, é importante saber estabelecer uma boa comunicação para evitar atritos com os colegas;
  • Gostar de trabalhar em equipe: essa é uma área multidisciplinar, então você trabalhará em conjunto sempre com outros profissionais, como Engenheiros de Projetos, Engenheiros de Produção, técnicos, analistas, entre outros;
  • Gostar de estudar e se atualizar: muitas mudanças passam por essa área, principalmente com a entrada da tecnologia na Engenharia Mecânica. Por isso, esse profissional precisa gostar de estudar e se atualizar com as principais tendências;
  • Curiosidade: é fundamental ser um profissional que tenha iniciativa de procurar saber sobre como é possível criar soluções para otimizar o funcionamento dos sistemas mecânicos;
  • Ter um bom senso de observação: para encontrar pontos de melhorias ou eventuais defeitos que precisem ser resolvidos, ou para potencializar eficiência, o profissional precisa ser observador.
rapaz analisando algo em tablet com folhas de projetos em cima de mesa
É importante estudar e buscar atualizações para acompanhar tendências

Networking 

Outro ponto que ajudará muito em sua jornada é investir em bons contatos, ou seja, o famoso networking. Conhecer pessoas influentes na área poderá ajudar a conquistar vagas em grandes empresas ou, até mesmo, ser indicado para uma vaga internacional.

Mas como conseguir conhecer outros profissionais dessa área? Uma boa dica é ir aos eventos da área e feiras. Esses são espaços voltados justamente para interação entre pessoas e estabelecer contatos. Além, também, de ser uma excelente forma de se atualizar.

Invista nisso desde a sua formação: frequente esses espaços. Daí pode surgir, por exemplo, uma boa vaga de estágio, que também servirá como networking.

Aproveite, também, os espaços de redes sociais, como o LinkedIn. Interaja com pessoas que são influentes na sua área e crie conteúdos que ajudarão a posicioná-lo como uma voz de autoridade na Engenharia Mecânica. 

Invista em formação continuada

Um currículo de peso abre muitas portas para excelentes vagas como Engenheiro Mecânico. Para chamar atenção dos recrutadores, mostre que domina a área. Para isso, uma formação continuada, ou seja, sempre se atualizando, será fundamental.

Começar com um nome de peso na formação já é um bom começo. Invista também em cursos de extensão e aprendizados interdisciplinares. Por exemplo, um Engenheiro Mecânico que entenda de programação consegue ampliar suas capacidades de atuação.

Nessa área, o domínio de língua estrangeira, especialmente o inglês, também fará muita diferença. Isso porque muitas empresas e indústrias são multinacionais e pode ser que você precise interagir, inclusive, com especialistas que estão alocados nas sedes.

Caminhos e educação necessária para ser um Engenheiro Mecânico

Mas antes de ir para o mercado, você ainda passará por uma fase essencial: sua formação. Investir nesse ponto poderá ser fundamental para o seu sucesso, ajudando que as demais etapas sejam mais tranquilas.

Mas afinal, quais são os passos dessa trajetória? Confira a seguir!

Bacharelado em Engenharia Mecânica

O primeiro passo é iniciar um bacharelado em Engenharia Mecânica. Esse é um curso com duração de 10 semestres (5 anos), divido em duas fases.

Na primeira, chamada de ciclo básico, você verá as disciplinas que são comuns a, praticamente, todas as engenharias. Geralmente, esse período dura os 2 primeiros anos da graduação.

Na segunda fase, você verá disciplinas que são específicas da Engenharia Mecânica e se aprofundará nas questões mais voltadas para sua rotina. Então, foco total nessa fase!

Estão entre algumas disciplinas da grade curricular que podem fazer parte da sua formação:

  • Sistemas mecânicos;
  • Projetos mecânicos;
  • Automação industrial;
  • Dinâmica dos fluidos;
  • Termodinâmica;
  • Simulação computacional;
  • Mecânica dos sólidos;
  • Controle de vibrações;
  • Fenômenos de transporte;
  • Princípios de eletricidade e magnetismo;
  • Resistência dos materiais.

Além disso, você pode, nessa fase, fazer um estágio e começar a ter experiência com o mercado de trabalho. Esse momento pode ser um pontapé inicial importante para iniciar sua carreira. Em alguns casos, pode, até mesmo, ser efetivado no final e já formar com um emprego encaminhado.

Outro ponto é que o bacharelado em Engenharia Mecânica exige um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). O formato pode variar de acordo com a instituição, mas, geralmente, é um artigo acadêmico, no qual você demonstrará o que aprendeu ao longo do curso. 

Não se preocupe — sabemos da péssima fama sobre o TCC. Você terá o suporte de um professor orientador para ajudá-lo nessa trajetória.

Lembre-se de buscar instituições de Ensino Superior que sejam credenciadas pelo Ministério da Educação (MEC). Caso contrário, seu diploma poderá não ser válido, ok?

Para quem quer entrar no curso, é importante também ter uma excelente nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)! Aproveite e confira qual é a média necessária para conquistar sua aprovação em Engenharia Mecânica.

Especializações na área

A sua formação não termina com o bacharelado. Afinal, você quer ter um currículo de peso e se destacar dos concorrentes em vagas, não é mesmo?

A especialização costuma ser um curso de curta duração, entre 6 meses a 1 ano. Nele, o aluno aprofunda em um campo específico da sua área de atuação, que poderá destacá-lo no mercado. 

Por exemplo, um Engenheiro Mecânico especializado em robótica terá mais chances de ser aprovado em um processo seletivo para uma montadora automobilística. Afinal, esse setor é um dos que mais tem investido na adoção de robôs no chão de fábrica.

Além disso, você pode, também, optar pelo Mestrado em Engenharia Mecânica (ou áreas afins). Geralmente, esse tipo de formação é escolhido por quem deseja seguir, depois, na área acadêmica, tornando-se pesquisador e docente no Ensino Superior. Se essa é a sua vibe, vale a pena investir nessa trajetória. 

Veja também: confira quanto custa o curso de Engenharia Mecânica!

Play video Play video

Como se qualificar para se tornar o melhor Engenheiro Mecânico

Agora que você conhece tudo sobre a carreira na Engenharia Mecânica, é o melhor momento para dar um dos passos mais importantes: começar sua jornada nessa área e começar o seu bacharelado.

Para isso, conte com a Anhanguera! Aprenda com um corpo docente experiente, que já atuou nas melhores empresas do mercado e com um currículo atualizado, antenado para os desafios atuais do mercado.

Faça já sua matrícula no curso e se torne o melhor Engenheiro Mecânico do mercado!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Inscreva-se gratuitamente no vestibular online ou use sua nota do Enem para obter bolsas e descontos!

Artigos relacionados