Afinal, quanto vale cada questão do Enem?

quanto vale cada questão do enem

Você está se preparando para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e deseja saber como funciona o seu sistema de pontuação? No geral, o peso das questões de cada área do conhecimento é calculado de maneira específica.

Quem pretende realizar o exame deve entender mais sobre a composição e o cálculo da nota para garantir um melhor desempenho. Inclusive, essa também é uma maneira eficiente de gerenciar os resultados dos simulados, permitindo que o candidato desenvolva estratégias mais eficientes para a resolução da prova.

New call-to-action

Para isso, é fundamental entender quanto vale cada questão do Enem. Acompanhe a seguir e fique por dentro do assunto!

Composição da prova do Enem

O Enem é categorizado em quatro provas objetivas, cada uma com 45 questões realizadas em dois dias pelos candidatos. Todas as questões da prova são interdisciplinares e abordam mais de um tipo de conhecimento. O conteúdo programático inclui os seguintes campos do saber:

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Português, Língua Estrangeira (Espanhol ou Inglês), Literatura, Artes, Educação Física, Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Matemática e suas Tecnologias;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Biologia, Química e Física;
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias: História, Geografia, Filosofia e Sociologia.

O objetivo do Enem é avaliar a capacidade de reflexão e de resolução de problemas que os candidatos adquiriram no período do ensino médio. Assim, o exame não mede apenas as informações vistas pelo estudante, mas também como ele assimila o conjunto de conhecimentos que acumulou ao longo dos anos escolares.

No primeiro dia de prova, são aplicadas as questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias, além da Redação. No segundo dia de avaliação, são aplicados os cadernos de Matemática e suas Tecnologias e de Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Atualmente, o Ministério da Educação (MEC) estipulou a nota mínima do Enem em 450 pontos na média geral das provas e superior a zero na redação para o ingresso no ensino superior. Já a nota máxima prevista é de mil pontos.

Teoria de Resposta ao Item

A correção das provas, de acordo com o manual do Enem, é realizada por meio de uma metodologia chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI). A TRI tem como objetivo avaliar a proficiência dos candidatos em cada área do conhecimento.

Assim, o cálculo do exame ocorre a partir de uma escala e de itens previamente calibrados. Isso quer dizer que a TRI não atribui um peso a cada item, pois a nota final dependerá da trajetória do estudante na prova, ou seja, quais questões acertou e quais errou.

A pontuação é definida a partir do nível de dificuldade das questões e da consistência das respostas.

Dificuldade da questão

Cada questão apresenta um nível de dificuldade e a probabilidade de ser acertada pelos estudantes. Por exemplo, quando o aluno acerta mais questões difíceis que fáceis, provavelmente sua nota será maior que a de um candidato que acerta as questões mais fáceis e erra as mais difíceis.

Isso significa que os itens que recebem mais respostas corretas tendem a valer menos do que os que têm menos acertos. A TRI, com isso, permite um resultado mais justo e que favorece quem demonstrou conhecimento nas disciplinas, e não os candidatos que acertaram a maioria das questões por chute.

Consistência

Na metodologia da TRI, o que mais importa é a consistência dos acertos dos itens. Assim, o sistema do Enem consegue medir a proficiência de cada candidato diante prova. Portanto, quem acertou questões fáceis, médias e difíceis terá uma nota maior, uma vez que o aluno apresentou um comportamento coerente.

Quando um estudante acerta questões fáceis, nenhuma média e algumas difíceis, por exemplo, o sistema entende que o comportamento não é consistente. Dessa forma, o padrão de resposta é considerado aleatório. A TRI leva em conta esses acertos, mas acaba atribuindo uma pontuação mais baixa.

Por isso é tão comum ter candidatos com a mesma quantidade de acertos, mas que apresentam notas diferentes. A nota vai depender mais do padrão de resposta que do número de itens acertados.

Cálculo da nota da Redação do Enem

Ao contrário das provas objetivas, a redação do Enem não é avaliada pela TRI. Até porque os textos não seguem o mesmo padrão estruturado de respostas, como ocorre com os cadernos do exame. Assim, as redações são corrigidas por avaliadores que seguem um processo de correção específico.

Cada avaliador dá uma nota a cinco quesitos diferentes. Cada item vale 200 pontos, em que são analisados dos candidatos:

  • domínio da língua;
  • desenvolvimento do tema;
  • uso de recursos linguísticos;
  • capacidade de articular as ideias;
  • proposta de intervenção social.

Após essa etapa, as notas são somadas e divididas por dois, em que se tem a nota da redação. O Enem geralmente cobra uma única estrutura de texto, que é a dissertativo-argumentativa. A proposta do tema vem acompanhada por textos de apoio, que podem ser em formato de pesquisas, notícias, quadrinhos e ilustrações.

O objetivo é que o candidato construa seu próprio raciocínio sobre o tema proposto. É fundamental que o estudante transforme as ideias dos textos de apoio em argumentos, sem copiar diretamente as frases ou estruturas linguísticas, pois isso pode zerar a nota da redação.

A fuga do tema ou a elaboração de um texto que não esteja na estrutura indicada também pode zerar a prova no Enem. No geral, a redação deve ter entre 7 e 30 linhas, e o ideal é que o texto fique acima de 20 linhas, uma vez que os avaliadores julgam este o tamanho suficiente para aprofundar as argumentações.

Deixar a folha de resposta em branco é outro motivo que zera a redação. Para evitar ser reprovado no exame, é fundamental estar atento aos temas da atualidade para argumentar na prova. Treinar a ortografia e a interpretação de texto também influencia diretamente o resultado.

Erros de concordância, pontuação, acentuação, entre outros, prejudicam a correção, por isso, é imprescindível treinar e fazer revisões em seus textos sempre que possível. Assim, antes de passar o rascunho para a folha definitiva de resposta, é muito importante analisar detalhadamente a redação para não ter o risco de ter sua nota zerada.

Tais fatores podem servir como base para quem ainda não sabe como estudar para o Enem da melhor forma. É importante lembrar que quem realizou o Enem digital de 2020 também será avaliado pelos mesmos critérios utilizados na versão tradicional da prova.

Chegou o seu momento de fazer uma faculdade!

Entender quanto vale cada questão do Enem e como é seu sistema de pontuação é fundamental para quem quer alcançar uma vaga no ensino superior. Aqui na Anhanguera, você pode utilizar a sua nota do Enem como forma de ingresso, sem precisar realizar o vestibular tradicional. Basta apresentar o comprovante de desempenho e ter uma nota mínima para iniciar os estudos na graduação.

Gostou do conteúdo? Aproveite a visita e descubra como se matricular na faculdade com a nota do Enem!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3 / 5. Número de votos: 5

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Skip to content