Afinal, o que se estuda na faculdade de Automação Industrial?

estudante de automação industrial

Pesquisar sobre as disciplinas da graduação é uma decisão importante para saber se você se realmente identifica com as matérias. Além disso, dá uma prévia das oportunidades de carreira e de quais competências farão parte do seu currículo. Então, neste artigo, vamos conhecer o que se estuda em Automação Industrial.

Cada uma das principais disciplinas que você verá terá grande participação nos sistemas e processos industriais. Além disso, logo abaixo, explicamos os pontos mais importantes para você conhecer o curso de Automação Industrial e saber se essa é a faculdade certa para o seu futuro. Confira!

Microcontroladores

O Tecnólogo em Automação Industrial reúne conhecimentos relacionados aos componentes físicos e digitais de um sistema de automação. Nele, diferentemente da mecanização, que é a substituição do esforço humano, ocorre a execução de ações programadas de forma automatizada.

Nesse sentido, o estudo dos microcontroladores é essencial. Tais componentes eletrônicos realizam a ponte entre as informações e as ordens programadas com os dispositivos físicos. São eles, por exemplo, que fazem uma porta automática abrir, acionam motores, permitem que informações sejam exibidas em um painel e movimentam a esteira de uma fábrica.

Circuitos elétricos

Já o estudo dos circuitos elétricos fornece o entendimento da parte estrutural das tecnologias empregadas na automação. Nessa disciplina, o aluno estuda os elementos e projeta o funcionamento dos sistemas de circulação da energia elétrica.

Além disso, o profissional deve ser capaz de entender os fenômenos relacionados aos circuitos e o papel de seus componentes, como resistores, capacitores e indutores.

O resistor transforma energia elétrica em energia térmica; os capacitores são dispositivos de armazenagem de energia, e os indutores são capazes de manter a energia em forma de campo magnético. Esses e outros elementos devem fazer parte dos sistemas de automação.

Robótica industrial

Ao pensarmos o que se estuda em Automação Industrial, não podemos esquecer a Robótica Industrial. O funcionamento de um robô depende da integração de componentes mecânicos com um sistema de informação, capaz de automatizar as funções.

Nas indústrias, os autômatos são empregados durante todo o processo, pela capacidade de realizar tarefas da linha de produção com mais eficiência. Afinal, as máquinas podem trabalhar com mais peso, horas de trabalho, exatidão e velocidade do que as pessoas.

O papel do tecnólogo em Automação Industrial é justamente gerenciar os diversos robôs que farão parte do parque fabril; diferentemente da Mecatrônica, que cuidará dos componentes físicos em si.

Eletrônica de potência

A eletrônica de potência, por sua vez, diz respeito ao controle do fluxo de energia que será utilizado no sistema de automação. Trata-se de um conhecimento essencial porque a energia elétrica alimenta e permite o funcionamento dos dispositivos instalados na indústria.

No caso da área de potência, o foco é garantir a distribuição segura e a eficiência de acordo com as necessidades do sistema. É preciso assegurar que não haverá perdas de energia, que o fluxo será estável, que os equipamentos vão suportar a tensão emitida etc.

Eletrônica digital

O funcionamento das soluções de informática e computação se baseia no Código Binário, em que variações de “ligado (1)” e “desligado (0)” são convertidas em informações lógicas e vice-versa. Assim, os pulsos elétricos são o meio de comunicação entre software e hardware.

O estudo da Eletrônica Digital permite ao graduando entender a “gramática” dos sistemas de informática. É a partir dele que as ações programadas pelas pessoas são transmitidas a um robô na linha de produção, por exemplo.

Ciências Exatas

Além das disciplinas específicas, vale ressaltar a importância dos conhecimentos de Ciências Exatas ao longo do curso superior. Matemática, Física, Estatística, Lógica e outras matérias teóricas são instrumentos para entender as matérias da Automação Industrial.

Normalmente, o começo do curso superior é dedicado a construir essa base. Até porque, a parte específica está bastante ligada às aulas práticas nos laboratórios de robótica e de informática. Logo, é importante reforçar esses conhecimentos assim que o aluno chega ao curso.

Aqui na Anhanguera, o desenvolvimento do eixo prático é tão importante que, atualmente, a faculdade de Automação Industrial só pode ser realizada presencialmente. Aliás, ela está disponível na unidade da Anhanguera de Santo André, que tem a infraestrutura preparada para receber uma graduação com essas características.

O curso superior em Automação Industrial

Agora que você já entende um pouco mais sobre a grade curricular da Automação Industrial, lembre-se da importância de conciliar teoria e prática. O mercado espera profissionais que atuem em projetos, supervisão, manutenção e sistemas, produzindo resultados concretos, com eficiência, produtividade e redução de custos.

Por isso, o curso de Automação Industrial da Anhanguera é o mais indicado para que você, de fato, tenha boa empregabilidade e remuneração. Embora existam vantagens em estudar a distância, esse curso tem características diferenciadas, que exigem a presença do aluno para uma boa qualificação profissional.

Aliás, outro benefício ligado à prática profissional é a possibilidade de concorrer a estágios e empregos na área do curso. Os alunos da Anhanguera têm acesso exclusivo ao Canal Conecta, que reúne materiais relacionados a currículo, mercado de trabalho e carreira — bem como processos seletivos para vagas em empresas parceiras.

As matrículas podem ser realizadas por meio do vestibular online, vestibular tradicional e nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), entre outras formas de ingresso. A duração prevista para obter o diploma é de 3 anos, o que permite um ingresso mais rápido no mercado de trabalho.

Também vale ressaltar que os assuntos relacionados à gestão são abordados ao longo do curso. Muitas vezes, o tecnólogo em automação é designado para uma função de supervisão ou de gerência de projetos, produção ou processos industriais.

Um exemplo, nesse sentido, é a Aula Destaque, projeto em que profissionais conceituados da Administração compartilham conhecimentos e experiências com os alunos. Entre os professores convidados, temos nomes como Ricardo Amorim, José Roberto Müssnich e Alexandre Caldini.

Então, considerando a importância de conciliar o que se estuda em Automação Industrial com a prática, o curso superior da Anhanguera é a melhor formação. Afinal, uma graduação atenta às exigências de mercado potencializa as suas chances de conquistar uma boa colocação e ter um excelente salário.

Caso tenha se interessado pela Automação Industrial, faça a inscrição no vestibular da Anhanguera e dê os primeiros passos nessa carreira promissora!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content