O que é o Novo FIES? Saiba o que mudou!

Uma das formas de ingressar na faculdade é por meio do Novo FIES — que é uma opção bem interessante para quem não conseguiu realizar o curso superior de forma gratuita. Esse programa é oferecido pelo Governo Federal em parceria com bancos.

Os critérios para participar do FIES não são muito rigorosos, mas é preciso estar atento às suas regras, porque esse programa, conforme explicado, é um financiamento. Isso significa que terá algum desconto sobre a mensalidade da faculdade, mas haverá um valor a ser quitado.

Ao longo da sua existência, ocorreram algumas mudanças, inclusive para a edição de 2020. Pensando nisso, preparamos este artigo para mostrar o que mudou no Novo FIES, a fim de que você possa fazer a sua inscrição com tranquilidade quando chegar o momento. Continue lendo!

O que é o FIES?

O FIES (Fundo de Financiamento Estudantil) é um programa do Ministério da Educação destinado a estudantes que desejam ingressar em uma faculdade privada. Para isso, eles precisam atender a critérios como:

  • ter uma renda familiar bruta de até cinco salários mínimos;
  • ter participado de uma edição do Enem a partir de 2010;
  • ter alcançado desempenho mínimo de 450 pontos;
  • não ter zerado a redação do Enem.

O intuito do FIES é possibilitar que os estudantes ingressem em faculdades privadas sem precisar pagar a mensalidade integral do curso. No entanto, não se trata de uma bolsa de estudos porque o estudante precisará ressarcir a quantia correspondente ao curso que está fazendo para o Governo.

De toda forma, esse financiamento facilita o pagamento da faculdade, uma vez que o estudante não precisa ter o compromisso de arcar com a mensalidade. Nos últimos anos esse programa se tornou uma das melhores formas de ingressar no ensino superior.

Agora, com o Novo FIES, as oportunidades foram ampliadas porque existem diferentes modalidades para atender a uma quantidade maior de estudantes, ou seja, com rendas familiares distintas.

Como o FIES funciona?

Embora a nota do Enem seja um dos critérios para participar do FIES, há outros pontos que também contam muito para a obtenção de uma vaga. Os que citamos anteriormente são alguns deles.

Além deles, têm preferência os candidatos que ainda não concluíram o ensino superior e que não foram beneficiados pelo financiamento estudantil, considerando o curso escolhido e o número de vagas disponíveis.

Os candidatos selecionados são beneficiados com o financiamento e podem quitar o seu curso em um prazo calculado de até 14 anos. Conforme explicamos, o estudante não precisa pegar as mensalidades, mas deve fazer um pagamento referente ao valor do encargo operacional e o seguro de vida, fixados em contrato, todo mês.

Depois de finalizar o curso, o pagamento do saldo devedor será iniciado assim que o estudante apresentar uma renda. Caso ainda não tenha um emprego, é feito o pagamento de uma mensalidade equivalente ao valor mínimo regulamentado pelo CG-FIES.

Novo FIES: o que mudou?

O programa de financiamento estudantil passou por mudanças ao longo do tempo e, em 2020, o Novo FIES traz regras diferentes — que precisam ser bem analisadas para que fique ciente das condições de sua contratação.

Uma das novas regras do FIES que merece destaque é o fim do tempo de carência para pagamento do saldo devedor. A seguir, explicaremos como o programa funciona atualmente, a fim de que você não tenha dúvidas. Confira!

Fim da carência

Conforme citamos, as novas regras do FIES têm como destaque o fim do tempo de carência que os candidatos tinham para começar a pagar o saldo devedor. Na versão anterior do programa, as mensalidades passavam a ser cobradas apenas 18 meses após o curso finalizado.

Hoje, as cobranças passam a acontecer no primeiro mês após o contratante ter concluído o seu curso, desde que ele tenha uma renda. As parcelas são descontadas diretamente na fonte, e o seu valor é calculado individualmente, respeitando os ganhos do estudante.

Caso ele não tenha um emprego ao finalizar o curso, ainda assim precisará pagar uma mensalidade para iniciar a quitação do saldo devedor. Nesse caso, as prestações são calculadas com o valor mínimo de acordo com o regulamento do CG-FIES.

Novas modalidades

Conforme explicamos, o Novo FIES também oferece oportunidades para um grupo maior de estudantes. Isso porque, em suas versões anteriores, ele era destinado apenas àqueles cuja renda bruta familiar era de até 3 salários mínimos por pessoa. Agora, também têm direito ao financiamento aqueles com renda familiar de até 5 salários mínimos.

Isso é possível porque o FIES disponibiliza uma modalidade diferente, justamente para atender a esse segundo grupo de estudantes — trata-se do P-FIES. Nesse caso, o financiamento não é feito pela Caixa Econômica Federal, mas por um banco privado após a validação dos dados do candidato pela instituição de ensino escolhida.

Existe outra diferença entre o FIES e P-FIES. No primeiro caso, o financiamento é concedido com uma faixa real de juros zero para o candidato, no segundo, o percentual de financiamento é calculado de acordo com a renda familiar, considerando os encargos educacionais.

Pagamentos atrasados

O Novo FIES também traz informações diferentes com relação aos pagamentos em atraso. Caso o estudante fique desempregado enquanto estiver devendo, as parcelas continuarão ativas, mas a mensalidade será equivalente ao pagamento mínimo.

Não há uma interrupção dessa cobrança, sendo que os valores continuarão a ser descontados na fonte até que a renda disponível seja suficiente para cobrir o saldo devedor. Entretanto, em caso de morte ou invalidez permanente do estudante, o saldo devedor é absolvido pelo seguro.

Fundo Garantidor

As regras do Novo FIES trouxeram uma facilidade maior para os estudantes conseguirem o financiamento. Trata-se do Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (FGEDUC), mais conhecido como Fundo Garantidor.

Ele foi criado para atender aos estudantes com uma vulnerabilidade financeira maior, eliminando a necessidade de apresentar um fiador no ato da contratação do financiamento. Isso significa que esse fundo assume parte dos riscos da operação de crédito, basicamente, tomando para si as responsabilidades que um fiador teria.

Conforme você viu, as novas regras do FIES trouxeram algumas mudanças significativas. Mas esse programa continua sendo uma excelente alternativa para quem quer ingressar no ensino superior com maior tranquilidade, focando primeiro em seus estudos depois nas questões financeiras.

Informe-se bem sobre o Novo FIES e não se esqueça de ficar de olho nos prazos para fazer a sua inscrição. Lembrando que o FIES 2020 na Anhanguera também disponibilizará diversas vagas, para que você possa realizar o sonho de ter o seu diploma de ensino superior sem pesar no bolso!

Quer saber mais sobre o FIES da Anhanguera? Entre em contato conosco para esclarecer suas dúvidas e aproveitar essa oportunidade de ingressar em uma faculdade!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content