Guia completo da carreira em gerontologia

moça sorridente ajudando mulher idosa
Banner curso de Inteligencia Artificial por R$ 66,42 na Anhanguera

A carreira em gerontologia é dedicada ao estudo e aos cuidados com o envelhecimento e às questões que afetam os idosos. Com o aumento da expectativa de vida e o crescimento da população idosa, a demanda por profissionais especializados em gerontologia tem crescido.

Esta profissão abrange diversas áreas, como a saúde, assistência social, psicologia, terapia ocupacional, fisioterapia, entre outras. Todas elas com um único objetivo: melhorar a qualidade de vida dos idosos.

Os profissionais trabalham em uma variedade de ambientes, desde hospitais e clínicas até lares de idosos e serviços de assistência domiciliar. A necessidade de um atendimento personalizado essa carreira não apenas necessária, mas extremamente gratificante.

Siga neste texto que vamos mostrar todos os pontos desta carreira tão essencial para a sociedade. Vamos mostrar as áreas de atuação, onde estudar e muito mais!

Conheça a carreira em gerontologia

O gerontólogo atua na área da saúde e se dedica ao estudo do processo de envelhecimento e aos cuidados com os idosos. A carreira de gerontologia abrange uma variedade de disciplinas, como medicina, psicologia, assistência social e fisioterapia.  

A carreira oferece diversas oportunidades de atuação, tanto em instituições de saúde quanto em clínicas médicas, casas de repouso e órgãos governamentais. Alguns dos principais campos de atuação incluem:

Assistência social

Profissionais de gerontologia podem trabalhar em programas de assistência social voltados para idosos. Assim, eles oferecem apoio emocional, orientação e encaminhamento para serviços e benefícios sociais. Isso é essencial para idosos, por exemplo, de baixa renda que precisam do apoio do governo.

Saúde

Já na área da saúde, onde estão a maioria dos gerontólogos, eles podem atuar em hospitais, clínicas e centros de saúde. A missão deles é realizar avaliações geriátricas, elaborando planos de cuidados individualizados e prestando assistência médica e de enfermagem especializada.

Reabilitação

Os profissionais de gerontologia também trabalham em centros de reabilitação física ou neurológica. Eles auxiliam na recuperação de idosos após doenças, cirurgias ou lesões. Para isso, utilizam técnicas de fisioterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia.

moça ajudando homem idoso com exercício de elástico
Uma das atuações do profissional é na reabilitação de pacientes

Educação e pesquisa

Alguns gerontólogos dedicam-se à educação e à pesquisa, desenvolvendo estudos sobre o envelhecimento humano. É uma atuação mais na área pedagógica, podendo ministrar cursos e palestras para o aprimoramento na área.

Gestão de políticas públicas

A atuação na gestão de políticas públicas acontece em órgãos governamentais, ONGs ou instituições de ensino. O profissional pode participar da elaboração, implementação e avaliação de programas e projetos voltados para essa população.

Como está o mercado para a carreira?

O Brasil tem atualmente mais de 22 milhões de idosos, o que representa 10% da população total. Para se ter uma ideia, o público acima de 65 anos cresceu 57% na última década. Isso mostra como esta faixa etária cresce e, desta forma, o mercado se manterá aquecido. 

No Brasil, por exemplo, pesquisas apontam que a expectativa de vida e a parcela de idosos na população continuará crescendo, o que aumenta a demanda por serviços e profissionais.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a recomendação é que haja um geriatra ou gerontólogo para cada mil idosos. Segundo levantamento dos órgãos responsáveis, no Brasil a média é de um para 12 mil. Isso mostra o déficit de especialistas na área, que acontece quando o país passa por um processo de envelhecimento.

Quanto às projeções futuras, espera-se que a demanda por profissionais de gerontologia continue a crescer à medida que a população idosa aumenta. Setores como tecnologia assistiva, cuidados domiciliares e turismo voltado para idosos também estão em ascensão. Assim, isso deve gerar oportunidades adicionais de emprego para os profissionais dessa área.

Alguns dos principais empregadores e empresas inovadoras na área de gerontologia incluem grandes redes de hospitais e clínicas. Além deles, empresas de tecnologia assistiva desenvolvem soluções inovadoras para melhorar a qualidade de vida dos idosos.

Qual a diferença entre gerontologia e geriatria?

Muita gente confunde, mas a gerontologia e a geriatria são campos distintos, mas complementares. Afinal, eles se concentram no estudo do envelhecimento e no cuidado de pessoas idosas.

As principais diferenças entre as duas áreas é que a gerontologia é o estudo multidisciplinar do envelhecimento e dos processos associados à velhice. Este campo abrange aspectos biológicos, psicológicos, sociais e culturais do envelhecimento. O objetivo é entender e melhorar a qualidade de vida dos idosos. Os gerontólogos podem trabalhar em áreas como pesquisa, educação, política pública, administração de serviços para idosos e assistência social.

A gerontologia tem uma abordagem holística e interdisciplinar, abrangendo não apenas a saúde física, mas também os aspectos emocionais, sociais e ambientais do envelhecimento.

Os profissionais de gerontologia são de diversas formações acadêmicas, incluindo:

  • ciências sociais,
  • psicologia,
  • serviço social,
  • enfermagem,
  • administração de serviços de saúde.

Eles geralmente têm diplomas de graduação, pós-graduação ou certificações específicas em gerontologia.

Por outro lado, a geriatria é uma especialidade médica focada na saúde e no cuidado clínico de idosos. Os geriatras são médicos que se especializam no diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças e condições associadas ao envelhecimento. Eles lidam com questões médicas complexas, comorbidades e a gestão de cuidados de saúde integrados para melhorar a saúde e o bem-estar dos idosos.

médica e paciente idosa
A Geriatria é a área da Medicina especializada no cuidado com pessoas idosas

Portanto, a geriatria é mais centrada no cuidado clínico e na medicina. Os geriatras lidam diretamente com os problemas de saúde dos idosos, oferecendo cuidados médicos especializados, tratamentos, intervenções preventivas e manejo de doenças crônicas e agudas. 

Para se tornar um geriatra, é necessário primeiro obter um diploma de medicina, seguido por uma residência em clínica médica ou outra especialidade relevante. Depois uma subespecialização em geriatria, que envolve um treinamento médico rigoroso e focado em cuidados geriátricos.

Em resumo, enquanto a gerontologia é uma disciplina ampla e interdisciplinar que estuda todos os aspectos do envelhecimento, a geriatria é uma especialidade médica focada no tratamento de condições de saúde em idosos. Ambos os campos são essenciais para melhorar a qualidade de vida dos idosos, mas abordam o envelhecimento de perspectivas diferentes e complementares.

Quais os cargos e especializações na carreira?

A gerontologia oferece diversas áreas onde o profissional poderá ocupar um cargo, fazer uma especialização. Portanto, há várias oportunidades de atuação em diferentes campos e níveis de responsabilidade. Confira alguns:

Gerontólogo clínico

Seria um profissional com conhecimento mais abrangente, responsável por realizar avaliações geriátricas gerais, elaborar planos de cuidados individualizados. Ele também presta assistência médica e de enfermagem especializada a pacientes idosos em hospitais, clínicas ou consultórios.

Assistente social

Já este profissional sai um pouco da área da saúde, atuando na identificação das necessidades sociais e emocionais de idosos e famílias. Portanto, ele oferece suporte, orientação e encaminhamento para serviços e benefícios sociais disponíveis na comunidade. Isso inclui desde benefícios do governo que o idoso desconhece, atendimento médico, jurídico e afins. Você sabia, por exemplo, que além de medicamentos gratuitos, a população idosa tem direito ao acesso a próteses, órteses?

Fisioterapeuta gerontológico

Quem opta por esta especialização terá conhecimento na reabilitação física e funcional de idosos. O profissional irá utilizar técnicas de fisioterapia para prevenir, tratar e reabilitar condições relacionadas ao envelhecimento, como quedas, fraqueza muscular e problemas articulares.

Este profissional é essencial não apenas para o bem-estar do idoso, mas também para a saúde. De acordo com levantamento do Ministro da Saúde, a quantidade de idosos que faleceram devido à queda da própria altura em 2022 foi de 9.592, quase o dobro do que foi registrado em 2013 (4.816). Este acidente é a terceira principal causa de morte no país.

Terapeuta ocupacional gerontológico

O especialista ajuda os idosos a manterem sua independência e qualidade de vida, adaptando o ambiente e desenvolvendo atividades terapêuticas. O objetivo é promover o engajamento em ocupações significativas e a realização de atividades da vida diária.

Além disso, o terapeuta ajuda na reabilitação de idosos que tiveram problemas como aneurisma, AVC ou até mesmo problemas cardíacos. Neste caso, o terapeuta atua para recuperar a funcionalidade do paciente.

Educador gerontológico

Tem a missão de desenvolver e ministrar programas de educação e treinamento para profissionais de saúde, cuidadores e idosos. Ele aborda temas relacionados ao envelhecimento saudável, prevenção de doenças e promoção do bem-estar.

Para seguir estas especializações, além da formação básica o profissional de gerontologia pode buscar pós-graduações e cursos de especialização, como:

  • gerontologia social;
  • geriatria clínica;
  • cuidados paliativos;
  • saúde mental do idoso;
  • fisioterapia;
  • assistência social.

A carreira no setor privado

As empresas privadas estão cada vez mais reconhecendo a importância do mercado de idosos. Por isso, estão investindo em soluções inovadoras para atender às necessidades dessa população crescente.

Os serviços de cuidador de idoso, por exemplo, aumentou 547% em 10 anos, segundo o Ministério do Trabalho. Em 2007, o número de profissionais saltou de 5.263 para 34.051 em 201.

Isso é devido às Instituições de Longa Permanência para Idosos Privadas, ou as casas de repouso. Elas empregam profissionais de gerontologia para garantir o bem-estar físico, emocional e social dos residentes, além de administrar e coordenar as atividades diárias da instituição.

Assim como hospitais, clínicas e centros de saúde privados contratam profissionais de gerontologia para oferecer serviços de enfermagem, fisioterapia, terapia ocupacional.

Já as empresas de tecnologia assistiva para idosos desenvolvem dispositivos, como monitoramento de saúde, sistemas de alerta de emergência, aplicativos de saúde e bem-estar. Eles empregam profissionais de gerontologia principalmente em funções de pesquisa e desenvolvimento. 

Por fim, gerontólogos com espírito empreendedor podem abrir seus próprios negócios, como clínicas especializadas, serviços de assistência domiciliar, centros de dia para idosos.

homem com pessoas idosas em casa
As casas de repouso oferecem oportunidades para quem se forma em Gerontologia

A carreira no setor público

A carreira em gerontologia também oferece diversas oportunidades no setor público. Os profissionais podem trabalhar em hospitais, postos de saúde e centros de atenção básica. A atuação é focada também na saúde preventiva, como diagnóstico, tratamento e reabilitação para idosos. Eles podem integrar equipes multidisciplinares, colaborando com médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e outros profissionais de saúde.

O profissional também atua em secretarias municipais e estaduais de Saúde e Assistência Social, desenvolvendo e coordenando programas e serviços destinados a idosos. Muitas secretarias focam, inclusive, em idosos em situação de vulnerabilidade social, oferecendo suporte emocional, orientação jurídica, acesso a benefícios sociais.

As instituições de ensino públicas, como universidades e escolas técnicas, também precisam de profissionais de gerontologia. O trabalho neste caso é de lecionar disciplinas relacionadas ao envelhecimento humano, coordenar cursos de capacitação e desenvolver pesquisas científicas.

No setor público, a maioria dos cargos se dá por meio de concursos públicos, mas também é possível ingressar de outras maneiras, como programas e iniciativas governamentais, redes de contato e parcerias.  

A carreira para quem é empreendedor

Como dissemos, na rede privada é possível ainda o gerontólogo ser um empreendedor e buscar ter um negócio próprio. Neste sentido, ele pode abrir uma clínica especializada em cuidados geriátricos. Assim, irá oferecer uma variedade de serviços de saúde e bem-estar para idosos, como: 

  • consultas médicas;
  • fisioterapia;
  • terapia ocupacional;
  • psicologia;
  • exercícios físicos;
  • nutrição.

 Além disso, ele tem a chance de criar uma empresa de assistência domiciliar para idosos, oferecendo serviços como home care. Este tipo de trabalho atua não só com cuidados de saúde, mas acompanhamento, suporte emocional, auxílio nas atividades da vida diária e gestão de medicamentos no conforto do lar do cliente. 

homem ajudando idoso com exercício de mão
Os serviços de home care são uma oportunidade de negócios

Outro ponto fora da área de saúde é com o turismo e lazer. O gerontólogo pode criar uma agência de turismo especializada em viagens e atividades para idosos, oferecendo pacotes de viagem adaptados às necessidades e interesses da terceira idade. Isso inclui viagens culturais, cruzeiros, excursões de natureza e programas de lazer. 

Aliás, o turismo para a terceira idade cresceu muito no Brasil nos últimos anos. Entretanto, este é um negócio que requer acessibilidade e dinâmicas que favoreçam convívio em grupo. Com a experiência na carreira, o gerontólogo poderá ajudar a traçar destinos e programação para os acima de 60 anos. 

Como empreendedor na área da gerontologia, é importante identificar as necessidades específicas do mercado. Assim, conseguirá desenvolver soluções inovadoras e sustentáveis para atender a essas demandas. Além disso, é fundamental estar atualizado sobre as tendências e avanços no campo da gerontologia, buscando aprimorar os serviços oferecidos e agregar valor aos clientes.

Quais os salários e benefícios?

Os salários para profissionais de gerontologia podem variar, dependendo da área de atuação, nível de experiência e localização. O piso salarial de um gerontólogo chega a ser de R$ 3.399,66, enquanto o teto pode chegar a R$ 6.879,79.

Além do salário base, os profissionais de gerontologia podem receber uma variedade de benefícios, que podem incluir:

  • Plano de saúde e odontológico;
  • Vale-refeição ou alimentação;
  • Vale-transporte ou auxílio-transporte;
  • Participação nos lucros e resultados (PLR);
  • Auxílio-creche ou auxílio-educação para filhos;
  • Seguro de vida;
  • Convênios e descontos.

É claro que tudo isso depende em que setor que ele atua, como o privado ou o público. Assim como a progressão salarial na carreira de gerontologia, que ocorre com o ganho de experiência, especializações e certificações. Para os profissionais autônomos e empreendedores, os ganhos variam ainda mais, dependendo do sucesso do negócio, da quantidade de pacientes e da capacidade de oferecer serviços de alto valor agregado.

Qual a cultura da carreira?

Como existem várias áreas, a carreira de gerontologia traz situações diferentes, mas um pode ser único: trabalhar para melhorar a qualidade de vida dos idosos.

Profissionais de gerontologia que trabalham em escritórios, por exemplo, desempenham funções administrativas e terão um ambiente mais formal. Portanto, terão rotinas de trabalho estabelecidas e interação frequente com colegas e superiores.

Já profissionais que trabalham em campo, como em hospitais, casas de repouso, enfrentam desafios específicos relacionados ao contato direto com os idosos e suas famílias. O ambiente de trabalho pode ser dinâmico e exigir habilidades de adaptação e resolução de problemas.

E quais os desafios?

A complexidade dos casos talvez seja um dos desafios. Os profissionais lidam com casos complexos que envolvem múltiplas condições de saúde. Seja aspectos físicos, mentais ou emocionais isso pode ser desafiador de gerenciar e coordenar. Aliás, estas questões não envolvem apenas o idoso, mas os familiares que convivem com ele.

Por isso que o desgaste emocional também é um desafio. Trabalhar com idosos muitas vezes envolve lidar com questões de doença, incapacidade, perda e morte, o que pode causar desgaste emocional nos profissionais.

Outro obstáculo comum é a comunicação. Seja por problemas de audição, de fala ou de cognição, eles podem ter dificuldades de linguagem, exigindo paciência, empatia e habilidades de comunicação adaptativas.

moça com idosa sentada em cadeira
Paciência e empatia são essenciais na profissão

Como é o equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

O equilíbrio entre vida pessoal e profissional é fundamental para o bem-estar e a saúde mental dos gerontólogos. É importante estabelecer limites claros entre o trabalho e a vida pessoal, reservando tempo para atividades de lazer, autocuidado e convívio com a família e amigos.

Como a saúde não tem hora, um idoso poderá precisar da ajuda de seu médico em horários diversos. Portanto, é preciso ter estratégias de horários de trabalho bem-definidos.

Além disso, o profissional precisa encontrar situações de relaxamento e dividir tarefa. Portanto, ele pode praticar técnicas de relaxamento e mindfulness, delegar tarefas e buscar apoio emocional quando necessário. Tudo isso pode ajudar a manter um equilíbrio saudável entre as diferentes esferas da vida.

Em resumo, a carreira de gerontologia é gratificante, mas apresenta seus desafios. A cultura de trabalho e os obstáculos enfrentados pelos profissionais podem variar, mas é essencial desenvolver a resiliência, empatia e autocuidado.

Como atuam os sindicatos e associações profissionais?

Os sindicatos e associações oferecem suporte, representação, oportunidades de desenvolvimento e networking. Eles também representam os interesses dos profissionais de gerontologia em questões trabalhistas, salariais, condições de trabalho e políticas públicas relacionadas à área.

Outro trabalho deles é de negociar acordos coletivos, promover campanhas por melhores condições de trabalho e defender os direitos e interesses da categoria. As organizações profissionais oferecem uma variedade de oportunidades de desenvolvimento profissional, como:

  • cursos de capacitação;
  • workshops;
  • palestras;
  • conferências;
  • eventos de networking.

Todas essas atividades permitem que os profissionais se mantenham atualizados sobre as últimas tendências, pesquisas e práticas na área de gerontologia.

Sindicatos e organizações, como a  Associação Brasileira de Gerontologia, fornecem acesso a uma variedade de recursos e informações úteis para os profissionais. São as associações que podem atualizar publicações especializadas, pesquisas, diretrizes clínicas e até bancos de dados de emprego.

Alguns dos principais sindicatos e associações profissionais na área de gerontologia incluem a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, a Associação Brasileira de Enfermagem Gerontológica e até a Federação Nacional dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência Social. Esta última representa os trabalhadores da saúde em diversas áreas, incluindo gerontologia, e defende seus interesses em questões trabalhistas.

Outro também bastante conhecido é o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), além do Ministério da Saúde e do Conselho Nacional da Saúde, que faz programas para melhorar a qualidade de vida da terceira idade brasileira. 

Então, participar de sindicatos e associações profissionais pode ser benéfico para os profissionais de gerontologia, ajudando-os a se manterem atualizados e conectados com sua carreira.

frente do prédio do INSS
A Previdência Social também é importante no apoio à Gerontologia

Quais as regulamentações e ética profissional?

Estas questões garantem a qualidade dos serviços prestados e a segurança dos idosos. No Brasil, a profissão de gerontólogo não tem uma legislação específica que defina as atribuições, competências e responsabilidades. Entretanto, os profissionais de saúde que atuam na área de gerontologia, como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e assistentes sociais, devem obedecer às regulamentações e leis que regem suas respectivas profissões.

Dessa maneira, é garantindo a prática dentro dos limites legais e éticos. Os profissionais de gerontologia devem aderir a padrões éticos e conduta profissional que promovam o respeito, a dignidade, a autonomia e o bem-estar dos idosos.

Isso inclui manter a confidencialidade das informações dos pacientes, respeitar a autonomia e os direitos de decisão dos idosos.  Além disso, na parte do atendimento humanizado, o gerontólogo deve ter empatia e a compaixão no trato com o paciente e evitar conflitos de interesse. e promover práticas baseadas em evidências científicas.

Quais os processos de licenciamento e certificação?

Os profissionais podem buscar certificações e credenciais em áreas específicas da gerontologia. Isso inclui a geriatria, assistência social gerontológica, fisioterapia geriátrica, entre outras.

As certificações são obtidas por meio de programas de educação continuada ou cursos de especialização. Isso pode ser feito em associações profissionais reconhecidas, demonstrando competência e comprometimento com a prática ética e de qualidade na área.

Quais os desafios e perspectivas futuras?

A tecnologia e a inovação estão transformando a maneira como os serviços de gerontologia são prestados. Então, este pode ser um desafio, como a telemedicina, aplicativos de saúde, dispositivos de monitoramento remoto. Estas ferramentas estão se tornando cada vez mais comuns na prestação de cuidados aos idosos.

Os profissionais de gerontologia precisarão se adaptar às novas tecnologias, adquirindo habilidades digitais. Além disso, vão precisar ensinar aos idosos e ajudá-los a incorporar esta tecnologia em suas práticas para fornecer cuidados mais eficientes e personalizados.

A Inteligência Artificial e a análise de dados também são outros desafios futuro. Elas transformarão a forma como os gerontólogos coletam, analisam e utilizam informações sobre o envelhecimento humano. Algoritmos de IA podem ajudar na detecção precoce de doenças, no desenvolvimento de tratamentos personalizados e na previsão de tendências de saúde.

Os profissionais de gerontologia precisarão entender como aproveitar o poder da IA e da análise de dados de maneira ética e responsável, garantindo a privacidade e a segurança das informações dos pacientes.

Como dissemos também no início do texto, as mudanças na cultura e na demografia da população idosa podem influenciar a maneira como os serviços são prestados. À medida que a expectativa de vida aumenta e a população envelhece, haverá uma demanda crescente por serviços de saúde, assistência social, lazer e educação adaptados às necessidades dos idosos.

Os profissionais de gerontologia precisarão se adaptar a essa nova realidade, desenvolvendo abordagens para atender às demandas diversificadas da população idosa.

Apesar dos desafios, existem diversas oportunidades surgindo na área de gerontologia. Um deles é a expansão dos serviços de assistência domiciliar, o home care, além do desenvolvimento de programas de envelhecimento saudável.

Os gerontólogos enfrentam uma série de desafios e têm diversas perspectivas futuras à medida que a área continua a evoluir em resposta às mudanças demográficas, tecnológicas e culturais.

mulher idosa rindo e cuidadora a seu lado
É preciso se adaptar para atender as novas necessidades da população idosa

Como ingressar na carreira em gerontologia?

Para ser um gerontólogo, o primeiro passo é fazer uma graduação em gerontologia. Após a sua formação, você pode escolher alguma especialização, seja focado na área da saúde ou na assistência social.

No setor da saúde, é possível seguir várias carreiras, como médico, enfermeiro, psicólogo, nutricionista, entre outros. Além disso, poderá focar a especialização em fisioterapia e exercícios para a terceira idade ou então ser um assistente social.

Para ingressar na carreira de gerontologia, é importante se preparar adequadamente para o mercado de trabalho, desenvolver estratégias eficazes de busca de emprego e networking.

Quais os caminhos e a educação necessária?

Para seguir na carreira, é necessário investir em educação e formação adequadas. Uma graduação é essencial para a maioria das posições na área de gerontologia. A Anhanguera tem um curso de tecnólogo em gerontologia e que capacita o aluno a trabalhar na área.

Ele irá buscar conhecimento para a melhoria do processo de envelhecimento, a elaborar políticas públicas voltadas ao idoso. Além disso, irá aprender a como aumentar o bem-estar da terceira idade.

Para isso, a grade curricular abrange aspectos biopsicossociais do envelhecimento, políticas públicas e políticas de atenção ao idoso. Até o fim do curso, o aluno ainda aprenderá sobre gestão ética e segurança do paciente, empreendedorismo, gerontologia social e atenção integral ao idoso. Algumas matérias que existem no curso são:

  • Acessibilidade e tecnologias assistivas para o idoso
  • Aspectos biopsicossociais do envelhecimento
  • Direitos Humanos, de Inclusão e do Idoso
  • Farmacologia e Cosmetologia
  • Gestão, Qualidade e Segurança do Paciente
  • Políticas Públicas e Políticas de Atenção ao Idoso
  • Psicologia Aplicada a Saúde
  • Qualidade de Vida na Velhice
  • Reabilitação Geriátrica
  • Senescência e Senilidade
  • Suporte Básico de Vida e Primeiros Socorros
  • Terapias Integrativas para o Bem-Estar
  • Vida Limitada Pelo Tempo

Depois da graduação, o agora gerontólogo poderá pensar também em uma pós-graduação. Isso trará uma vantagem competitiva significativa ao formado no mercado de trabalho. Mestrados ou doutorados em gerontologia, geriatria, saúde pública, assistência social ou áreas afins podem ser procurados para cargos mais avançados ou de pesquisa.

Quais as certificações e licenças específicas?

Algumas especialidades dentro da gerontologia podem exigir certificações ou licenças específicas. Por exemplo, enfermeiros gerontológicos podem buscar certificações em enfermagem geriátrica. Assistentes sociais podem precisar de licenças estaduais para praticar.

É possível também precisar de certificações em CPR (Ressuscitação Cardiopulmonar) ou em técnicas específicas de terapia. Ter um curso de cuidador de idosos também pode ser benéfico para profissionais da área. É importante buscar programas educacionais reconhecidos e credenciados, bem como oportunidades de estágio ou experiência prática para complementar a formação acadêmica.

Veja também: no Papo Reto, entenda as diferentes áreas da Fisioterapia!

Play video Play video

Como se qualificar?

Para se qualificar na carreira de gerontologia, é importante seguir alguns passos essenciais. O primeiro, sem dúvidas, é ter um diploma de graduação em áreas relacionadas à gerontologia. 

Por isso, escolha instituições de ensino reconhecidas e credenciadas para garantir uma educação de qualidade. A Anhanguera tem um curso de tecnólogo em gerontologia e ele é EAD, ou seja, flexibilidade total para estudar de qualquer lugar, na hora que quiser.

Conheça mais sobre a carreira e se matricule no curso de gerontologia da Anhanguera.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Inscreva-se gratuitamente no vestibular online ou use sua nota do Enem para obter bolsas e descontos!

Artigos relacionados