7 qualidades de um bom profissional que todo recrutador valoriza

qualidades-de-uma-pessoa

Sabemos o quanto o ensino superior gera melhores oportunidades, já que o diploma de uma graduação ocupa o topo das hard skills (competências técnicas) de um currículo. Acontece que muitas qualidades de uma pessoa, hoje altamente valorizadas pelos recrutadores, nem sempre estão na lista de cursos e certificados.

É justamente durante a faculdade que a gente pode desenvolver essas outras habilidades, conhecidas como soft skills. O preparo para o mercado, que inclui processos seletivos com entrevista, também exige ajustes nos pontos que possam ser vistos como defeitos na concorrência por uma vaga de emprego.

A verdade é que as empresas procuram talentos que saibam lidar com os aspectos positivos e negativos da melhor forma. Fique conosco e saiba como fazer isso!

7 qualidades de uma pessoa que consegue boas oportunidades

Existem características desejáveis a toda profissão, como autoconhecimento, ética e responsabilidade. Elas são a base para que profissionais de diversas áreas consigam entregar trabalhos alinhados ao plano proposto nas fases de planejamento.

Abaixo, você confere 7 qualidades essenciais para mandar bem em uma entrevista.

1. Boa comunicação

Um profissional pode ser excelente no que faz, mas, se não souber se comunicar bem, vai “trancar” todo o seu potencial para trocar ideias e argumentar. É rara a profissão que não depende de relações interpessoais, portanto, saber se expressar é fundamental.

Aqui, não estamos falando apenas de uma boa oratória regada de simpatia, viu? Também é essencial escrever corretamente, evitar vícios de linguagem, entender a hora certa de falar ou de se calar e, claro, ter a capacidade de ouvir — algo que não se vê com tanta frequência ultimamente, por sinal.

Ainda podemos citar a linguagem não verbal, que envolve boa postura, olhar confiante e outras nuances que fazem muita diferença no processo de comunicação. E você pode ter certeza de que um recrutador vai conseguir captar essa qualidade durante a seleção!

2. Automotivação

A automotivação está entre as principais qualidades de uma pessoa que valoriza o próprio trabalho. Pode parecer um detalhe subjetivo, mas, quem espera um elogio do chefe para se animar, dificilmente vai conseguir lidar com uma rotina intensa. Afinal de contas, enfrentamos altos e baixos em vários sentidos, e nem sempre teremos retornos positivos que alimentem o nosso ego e motivação.

Nesse contexto, o ideal é buscar a motivação de dentro, ou seja, cultivá-la por meio da inteligência emocional. Ela ajuda ao manter a disciplina constante. Quando você tem suas metas internas e busca a melhor versão de si a cada dia, dificilmente vai depender de algo externo para continuar no mesmo ritmo.

3. Conhecimento técnico aliado ao teórico

Entre as principais qualidades de uma pessoa pronta para o mercado, temos a capacidade de aliar a teoria à prática. Isso porque muitos profissionais terminam a faculdade e estampam seu diploma no currículo, mas não sabem aplicar o que aprenderam no dia a dia de trabalho.

O conhecimento técnico, às vezes, pode ser conquistado por meio de graduações de curta duração, habilitando tecnólogos. Esses cursos, geralmente, ensinam de maneira mais técnica as maiores atribuições de uma profissão, fazendo com que a pessoa se integre rapidamente ao mercado.

Nada impede, contudo, que seja dada continuidade aos estudos, aprofundando os conhecimentos técnicos com uma habilitação de Bacharelado ou Licenciatura, por exemplo. O mais importante é que, independentemente do tipo de graduação, você tenha acesso tanto à teoria quanto à prática compatível com a realidade da sua área de atuação.

4. Vivência prática no mercado

Muitos reclamam por aí que não têm experiência comprovada, mas se esquecem de que dá para descrever no currículo as qualidades de uma pessoa que vão além de uma contratação formal ou carteira assinada. Quer ver só um exemplo?

AQUI TEM UM BANNER

Durante a faculdade, você pode aproveitar diversas oportunidades que servem como vivência prática. Os estágios obrigatórios e não obrigatórios são prova disso, além de projetos, pesquisas e programas de extensão, comumente oferecidos pelas boas instituições de ensino.

Aqui na Anhanguera, os estudantes têm essas oportunidades, que os aproximam ainda mais do mercado de trabalho. Com certeza, essas experiências valem igualmente na hora de concorrer aos cargos das vagas mais disputadas.

5. Saber trabalhar em equipe

Enquanto falávamos sobre boa comunicação, você deve ter notado que ela é essencial nas relações interpessoais, sobretudo no ambiente de trabalho. Pois é, sem essa habilidade profissional, será difícil desenvolver a qualidade de saber atuar em conjunto com outros profissionais.

Hoje, é impossível pensar em uma empresa de sucesso que não tenha uma equipe qualificada e que opera harmonicamente, a fim de entregar os resultados ajustados às metas e aos objetivos da organização. E esses times, inclusive, estão cada vez mais interdisciplinares.

Sim, o trabalho colaborativo também exige uma boa dose de aceitação da diversidade. Somado a isso, ainda é crucial lidar com diferentes opiniões e ideias, sempre com espírito de equipe — sem deixar de lado a sua individualidade e diferenciais competitivos, igualmente valiosos no mercado atual.

6. Vontade de aprender

Os processos de seleção e recrutamento mais justos e avançados não esperam que o candidato chegue pronto, com todo o conhecimento e a técnica exigidos na função. Se há iniciativa e vontade de aprender, ele poderá ter mais sucesso em suas atribuições do que alguém com 10 anos de experiência, mas que acha que já sabe absolutamente tudo.

É por isso que o aprendizado contínuo aparece entre as qualidades de uma pessoa que está se preparando para uma entrevista. Demonstrar interesse faz com que os recrutadores enxerguem o potencial que há inerente em sua sede por aprendizado na prática. Aliás, esse tipo de candidato consegue se encaixar melhor na cultura organizacional da empresa.

7. Proatividade

Junto à vontade de aprender, outra das qualidades de um bom profissional é ser proativo. Isso quer dizer que essa pessoa, muito provavelmente automotivada, não vai esperar que alguém lhe diga o que fazer ou como e quando realizar determinada tarefa. Ela age assim por ela mesma, pela equipe e pelos bons resultados de toda a empresa.

O profissional proativo consegue ter uma visão sistêmica e analítica da situação e percebe o momento exato de tomar uma atitude. A iniciativa parte da sua autoconfiança, de saber o que está fazendo, pois se preparou para estar naquela posição. É uma característica que vale ouro hoje em dia, já que os melhores contratantes buscam colaboradores parceiros, e não funcionários passivos.

7 defeitos que precisam ser trabalhados na busca por emprego

Conhecer as qualidades de uma pessoa que manda bem nas entrevistas de emprego é só o começo. O ideal é que você também analise os hábitos e condutas que passam má impressão aos recrutadores, de modo que consiga fazer as mudanças necessárias.

Veja agora 7 defeitos que exigem atenção por parte dos candidatos.

1. Timidez

Essa característica prejudica a interação com outras pessoas por vir acompanhada de sentimentos como vergonha e ansiedade. Muitas vezes, ela tende a piorar quando o indivíduo precisa se expor a um grupo maior e, principalmente, apresentar suas ideias oralmente.

E como os processos seletivos envolvem muita troca, seja de forma presencial ou remota, é crucial que os participantes estejam confortáveis para cumprir tudo do início ao fim. Assim, se você sente que a timidez insiste em aparecer, precisa exercitar a autoconfiança quanto antes.

2. Agitação

Nenhum comportamento extremo pode ser favorável, certo? Portanto, se ficar contido não é o melhor caminho, agir com muita euforia também não. Acontece que muitas pessoas têm o costume de transmitir suas mensagens de uma única vez, sem respeitar os pequenos intervalos que garantem a fluidez da comunicação.

Ainda que o pensamento rápido e a iniciativa sejam valiosos no mercado de trabalho, precisam ser aplicados em um ritmo adequado ao nível de complexidade de cada tarefa. Ao demonstrar muita agitação, você pode acabar passando a imagem de uma pessoa sem foco, que não consegue organizar as ideias.

3. Impaciência

Em um mundo acelerado, saber respeitar o tempo dos processos e aguardar sem pessimismo pode representar uma das melhores qualidades de uma pessoa. Infelizmente, a falta de paciência ainda compõe o dia a dia de vários profissionais que atropelam etapas na expectativa de colher mais resultados.

Entenda que nem tudo pode ser adiantado ou ter procedimentos reduzidos em troca da sonhada produtividade nas alturas. A impaciência só prejudica a qualidade dos trabalhos e faz com que você ignore detalhes importantes. Ao conter esse impulso pela velocidade, fica muito mais fácil analisar cenários, comparar benefícios e tomar decisões inteligentes.

4. Perfeccionismo

Parece incrível dizer que você sempre está em busca do melhor resultado possível. Porém, tenha cuidado com a maneira como transmite essa mensagem. Para muitos recrutadores, a menção ao perfeccionismo pode indicar que seu trabalho se concentra muito em cada tarefa e, portanto, gera risco de atrasos.

A eficácia deve, sim, fazer parte da rotina profissional, contanto que não adie processos relevantes para o funcionamento de toda uma cadeia. Se quiser deixar claro que você atua com primor, vale muito mais a pena afirmar que tem a capacidade de dividir bem as etapas para cumpri-las dentro do prazo.

5. Memória ruim

Nunca houve tantas ferramentas úteis para o homem organizar seus projetos e lembrar de que eles existem. São aplicativos, agendas virtuais e blocos de notas de todos os tipos, com diferentes níveis de detalhes, que favorecem a categorização das atividades de uma empresa.

As facilidades são tantas que muita gente adotou esses recursos no dia a dia, para estudar e trabalhar sem se preocupar com os prazos de entrega. Isso não quer dizer, porém, que você deva abrir mão da capacidade de memorizar coisas importantes, viu? Os recrutadores querem talentos concentrados e que saibam o que fazer para evitar esquecimentos.

6. Dificuldade para delegar tarefas

Se as práticas de liderança fazem parte das qualidades de uma pessoa que trabalha em equipe, é esperado que diferentes empresas cobrem isso de seus futuros talentos. Por menor que seja, uma organização ou projeto sempre vai contar com a colaboração de diferentes profissionais.

Em algum momento, um dos integrantes do time pode receber o papel de orientar e conduzir os demais. E sabemos que, muitas vezes, essa função vem acompanhada de maior remuneração e credibilidade no ambiente corporativo. Você não quer perder tal oportunidade, correto? Portanto, é crucial aprender a delegar.

7. Medo de falar em público

Esse defeito não é tão problemático quanto a timidez porque aparece apenas quando o profissional se torna o foco das atenções. Ainda assim, traz prejuízos para as empresas que buscam um representante de alto nível, que possa defender suas propostas em reuniões, palestras e demais eventos.

Mesmo que o cargo desejado não aponte a necessidade de interagir com algum tipo de audiência, não vale a pena correr o risco de ficar para trás. A boa notícia é que a oratória pode ser melhorada com treino constante, feito em casa ou com o auxílio de cursos específicos.

Dicas para explorar suas qualidades e defeitos

O objetivo de todo profissional é fazer com que suas habilidades e competências superem os pontos negativos. No entanto, reconhecer o lado menos brilhante do próprio perfil pode ser bastante útil. Tanto é que diversas entrevistas tocam no assunto sobre defeitos e qualidades de uma pessoa.

A ideia é avaliar se o candidato investiu no autoconhecimento e buscou saber o que precisa ser aprimorado em seu trabalho. Ou seja, contanto que demonstre real vontade de corrigir os aspectos ruins, você pode citar algumas falhas e até dar exemplos de como lida com cada dificuldade.

Por exemplo, ao abordar uma questão delicada, como o fato de ter ansiedade, emende a explicação dizendo que a sua rotina já engloba práticas para o controle dos sintomas. Se você medita ou faz sessões frequentes de relaxamento, comente com os recrutadores para que saibam que há um cuidado por trás.

O importante é argumentar com clareza para não deixar frases soltas ou gerar erros de interpretação. O mesmo vale na hora de reforçar as qualidades. Então, evite termos genéricos, como flexibilidade, e incremente essa palavra com a mensagem de que você se adapta bem a novas funções ou ambientes.

Enriquecer a resposta melhora a compreensão sobre os defeitos e qualidades de uma pessoa. Então, siga as dicas e lembre-se de que elas funcionam para quem faz graduação presencial ou disputa um mercado de trabalho para formados em EAD. Afinal, o diploma é o mesmo e serve para montar um ótimo currículo.

Desenvolva todo o seu potencial com a gente!

Comece estudando em uma boa faculdade para se destacar não só pelo que aprendeu na teoria, mas também na prática, desenvolvendo as qualidades de uma pessoa que busca o sucesso. E disso a Anhanguera entende, já que nossos estudantes têm acesso a um portal cheio de ótimas vagas de estágio e emprego — o Canal Conecta.

E aí, identificou quais pontos precisam ser mantidos ou ajustados em seu perfil? Comece essa mudança ainda na faculdade para trilhar sua carreira com mais tranquilidade. Faça agora a sua inscrição na Anhanguera!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.4 / 5. Número de votos: 62

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registered successfully
Oops! Invalid email, please check if the email is correct.
Oops! Invalid captcha, please check if the captcha is correct.