Passo a passo: como colocar a graduação no currículo corretamente

homem colocando graduação no currículo

Saber como colocar a graduação no currículo é um passo importante para conquistar as melhores oportunidades de trabalho. Afinal de contas, esse documento será o primeiro contato com o recrutador. E é melhor deixar uma primeira impressão positiva, não é mesmo?

O cuidado é uma maneira de valorizar a qualidade do curso superior. É importante usar a forma e o conteúdo do currículo para tomar emprestado a credibilidade da instituição de ensino, destacando os pontos fortes da sua formação.

A seguir, você encontra um passo a passo para fazer uma apresentação adequada e ter um bom desempenho nos processos seletivos desde essa importante etapa. Continue a leitura e aumente as suas chances de contratação!

Coloque a formação acadêmica em ordem cronológica

O padrão mais aceito para montar um currículo é colocar a formação acadêmica em um campo próprio. Nele, são incluídos os níveis de instrução: fundamental, médio, técnico, superior, especialização, mestrado e doutorado.

A formação mais recente deve ser colocada primeiro. Por exemplo, uma pessoa que terminou a graduação em 2020 e o ensino médio em 2014 apontará o nível superior antes do colégio.

Como dica, diferencie os currículos que você envia para os empregadores daqueles que estão no LinkedIn e no Lattes. Esses dois últimos são mais completos e podem conter toda a trajetória acadêmica, enquanto o enviado para as empresas deve ser mais direto e customizado de acordo com as necessidades do contratante.

Nesse sentido, se não houver nenhum diferencial na sua formação de nível médio ou fundamental, economize espaço e indique apenas o curso superior. Afinal, só faz faculdade quem tem ensino médio completo.

A regra não vale para as pós-graduações. Existem certas especializações, mestrados e doutorados que aceitam mais de uma faculdade, por exemplo, todas de Ciências Humanas ou Ciências Exatas. Assim, mantenha a indicação da graduação, seguindo a ordem cronológica.

Informe o nome do curso + nome da instituição + ano de conclusão

A maneira como colocar a graduação no currículo também segue um método de descrição. O modelo é indicar nome do curso, nome da instituição e ano de conclusão. Veja alguns exemplos:

A menção ao tipo de grau acadêmico não é obrigatória, mas pode informar qual é o perfil profissional. A Licenciatura aponta que você pode exercer as funções de professor no sistema de ensino; o Bacharelado demonstra uma formação mais generalista, e o Tecnólogo uma qualificação mais específica.

Como os diplomas têm o mesmo valor, também não é necessário informar a modalidade do curso. A exceção é se for uma vantagem específica para o empregador. Por exemplo, se você for enviar um currículo para vaga de tutor de educação a distância, citar o EAD mostra que você já teve experiência com a metodologia.

Dê destaque ao nome da instituição de ensino

Outro ponto importante é dar destaque ao nome da instituição de ensino, pois a ideia é gerar associações e significados. Nos exemplos anteriores, ao ler Anhanguera, o recrutador reconhece características de uma boa faculdade, como investimento em infraestrutura e corpo docente, expertise no EAD, conhecimento de mercado etc.

Por isso, o nome da faculdade pode vir em negrito ou, até mesmo, em CAIXA ALTA. Além disso, não utilize apenas a sigla, porque nem sempre ela será reconhecida de imediato.

A menção ao polo de ensino é admitida quando for uma vantagem, assim como acontece na metodologia. Por exemplo, se o processo seletivo é local, e o empregador já conta com profissionais daquele polo nos seus quadros, essa informação será favorável.

Inclua os cursos livres e as certificações que fez durante o curso

As certificações e os cursos livres entram em um tópico separado, que pode estar localizado depois da formação ou no final do currículo. A primeira opção é mais comum quando ainda não se tem experiência profissional.

Já o formato é similar ao da formação acadêmica: nome, instituição e ano. A única diferença é ser comum indicar a carga horária. Isso ocorre porque o curso livre não tem horas mínimas definidas pelo MEC (Ministério da Educação), assim há desde opções com 40 e 80 horas até as mais simples de 2 a 5 horas.

Aqui, você pode mencionar os cursos feitos pelas Trilhas de Carreira e Certificações com Parceiros da Anhanguera.

Filtre informações de formação acadêmica relevantes

Nessa etapa, há mais liberdade para buscar um currículo criativo. Você pode inserir diversas experiências e oportunidades de aprendizado, como participação em congressos, trabalho voluntário, monitorias e estágios.

No entanto, tenha sempre em mente a conexão entre as atividades e a descrição de vaga. Como os currículos longos tendem a não ser lidos, liste as atividades complementares que indicam competência para o cargo desejado, deixando o não essencial para o LinkedIn ou o Lattes.

Outro erro é fazer um currículo genérico para todas as vagas. Além de parecer pouco compatível com o cargo, existe o problema das triagens por software. Se você não usar as palavras-chave desejadas pela empresa, talvez nem seja avaliado por um ser humano.

Você pode cruzar as informações de vários contratantes e consultar o perfil das redes sociais dos profissionais para entender o que é relevante. A descrição da vaga também é sempre um alvo importante, ao separar as informações da faculdade no currículo.

Tenha atenção à apresentação de dados

Prosseguindo, para ter um bom resumo profissional no currículo, seja direto e preze pela clareza das informações. Até por isso, sempre parta de um modelo.

No caso dos alunos aqui da Anhanguera, é possível montar um currículo no Canal Conecta, bastando inserir os dados solicitados e obter o documento para impressão ou envio às vagas disponíveis na plataforma.

Lá também é possível obter listas de competências e habilidades relacionadas ao que você viu no seu curso. Isso deixa o currículo coerente, pois as competências indicadas são validadas pelos certificados e matérias vistas ao longo da faculdade.

Seja verdadeiro

Para encerrar, não cometa o principal erro na elaboração do currículo: mentir. O recrutador é um profissional experiente e fará uma verdadeira investigação antes de fechar a contratação, podendo solicitar certificados, consultar redes sociais ou abordar a qualificação na entrevista de emprego.

Perceba que o segredo é saber mesclar muito bem forma e conteúdo, sempre se baseando em informações verdadeiras. Para saber tudo sobre currículo e evitar os principais erros, confira o tutorial completo do Canal Conecta:

Sendo assim, agora você já sabe como colocar a graduação no currículo e evitar os principais erros. Utilize todas as dicas para valorizar as informações-chave e ser mais competitivo pelas melhores oportunidades.

Se tiver dúvidas sobre os tipos de faculdade e metodologias ensino, acesse nosso guia completo sobre o ensino superior!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.