Psicologia Jurídica: como atuar nesse mercado?

psicologia jurídica

A Psicologia Jurídica nasceu da necessidade de relacionar outros campos de conhecimento com o Direito para a garantia e o aperfeiçoamento da Justiça. Nesse caso, a relação do Direito acontece com os estudos do comportamento na Psicologia. Embora seja abrangente, a área exige uma formação específica do profissional que deseja atuar nela.

Mas isso não significa que deva ser uma opção descartada! Por não ser um segmento muito óbvio para quem faz Psicologia, vale a pena conhecê-lo melhor. Para quem está no início do curso, esse interesse pode ajudar a direcionar os estudos e as habilidades desenvolvidos ao longo da graduação.

Se você quer saber mais sobre a atuação na Psicologia Jurídica e o mercado de trabalho para a área, nós da Anhanguera separamos informações úteis sobre essa formação profissional. Fique conosco até o final do post e tire suas dúvidas.

O que é Psicologia Jurídica?

Psicologia Jurídica é uma área da Psicologia a serviço das decisões da Justiça, principalmente na realização de laudos periciais. Ou seja, quando um juiz se depara com as características de um processo que precisa de conhecimento especializado de saúde mental e de comportamento humano, é convocado um psicólogo jurídico.

O profissional examina provas, fatos e documentos para sanar dúvidas e ajudar na interpretação de imprecisões acerca de um processo, contribuindo para legitimar a decisão do juiz. Mas saiba que a Psicologia Jurídica é ainda mais abrangente, com ramificações que contribuem para outras áreas do Direito.

A área, que nasceu na história da Psicologia para ampliar os estudos sobre o comportamento humano, também está envolvida na formulação e na revisão de leis, na execução de políticas de prevenção à violência, na cidadania e nos Direitos Humanos.

Em suma, o psicólogo jurídico trabalha ao lado da lei. Ele garante que conhecimentos sobre a saúde mental e o comportamento humano contribuam para os processos legais.

O que faz o profissional da Psicologia Jurídica?

No artigo “Psicólogo Brasileiro: Práticas emergentes e desafios para a formação”, publicado no site oficial do Conselho Federal de Psicologia (CFP), estão explicadas todas as atividades de um profissional na Psicologia Jurídica.

Mas pode ficar tranquilo, porque fizemos um resumo das atividades. Veja a seguir:

  • atuação em varas civis, criminais, Justiça do trabalho, da família, da criança e do adolescente: avaliação psicológica de pessoas envolvidas em processos jurídicos para subsidiar, por exemplo, adoção, posse e guarda de crianças. Além disso, atesta insanidades, deficiências mentais e responsabilidades por atos criminosos;
  • atividades junto às penitenciárias: laudos criminológicos, diagnóstico de sentenciados, avaliação da personalidade e do nível intelectual de pessoas com pendências legais, recomendação de tratamentos mais adequados para presos que passam por tratamentos, orientação à detentos e a seus familiares (ao lado de outros profissionais, como psiquiatras e assistentes sociais);
  • assessoria: assessoria na formulação, na revisão e na execução de políticas públicas, como leis, programas destinados a crianças de rua e encaminhamentos a terapias psicológicas.

Na Psicologia Jurídica, também existe o campo da pesquisa acadêmica. Nele, são publicados trabalhos sobre a aplicação da Psicologia no exercício do Direito e sobre programas voltados para a prevenção da violência e as pesquisas criminais. Hoje, a média salarial do psicólogo jurídico, segundo o site Salário, é de R$ 3.101,12*.

Como trabalhar com Psicologia Jurídica?

No curso de Psicologia da Anhanguera, Psicologia Jurídica é uma das matérias da grade curricular. Então, um bom ponto de partida para a formação profissional é a graduação, momento da formação em que você vai aprender tudo sobre Psicologia, suas abordagens terapêuticas e correlação com outras áreas do estudo.

Existe também a opção de entrar em outra graduação, como Direito, e posteriormente fazer uma especialização na área. É uma opção válida, mas quem passar por Psicologia Jurídica na graduação já tem um contato inicial que é importante para o desenvolvimento de habilidades necessárias, a busca de estágios na área e o foco dos estudos desde cedo.

Além da graduação, todo profissional que deseja seguir carreira em Psicologia precisa ser credenciado no Conselho Regional de Psicologia de seu estado. Para seguir carreira na área Jurídica especificamente, uma sugestão é ir em busca de um curso de pós-graduação na área.

O profissional da Psicologia Jurídica deve ir sempre em busca de orientações e de discussões sobre Direito e Justiça que contribuam para embasar seu ponto de vista nas atividades da atuação que deseja para si.

Como uma faculdade contribui para a formação?

Como vimos, o ponto de partida para trabalhar na área da Psicologia Jurídica é a entrada na graduação. Então, veja a seguir por que escolher uma boa instituição de ensino vai contribuir para sua formação de sucesso.

Ingresso no mercado de trabalho

Iniciativas que fomentam o ingresso dos alunos no mercado de trabalho permitem que você saia da graduação, ao menos, com boas perspectivas de emprego. É por isso que os alunos da Anhanguera têm acesso exclusivo ao Canal Conecta, um portal online com vagas de trabalho para diferentes perfis profissionais.

Acessibilidade financeira

Outra contribuição fundamental da faculdade é em relação às políticas de bolsas de estudo e descontos na mensalidade. Na Anhanguera, os alunos podem ingressar na graduação por meio da nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para ter acesso às bolsas do Governo.

Os alunos da Anhanguera que não atendem aos requisitos desses programas ainda podem ter descontos por meio do programa Amigo Vale-Prêmio, entre outras iniciativas.

Desenvolvimento de competências para a área

Também fique de olho nos programas relacionados ao desenvolvimento de competências, que geralmente existem para somar na grade curricular. Na Anhanguera, é o caso do Trilhas de Carreiras, que permite realizar atividades extracurriculares online e gratuitas para os alunos desenvolverem habilidades importantes para suas profissões.

Uso de tecnologia

As habilidades digitais estão cada vez mais integrantes ao dia a dia educacional. Por isso, o exercício dessas habilidades durante a graduação é sempre bem-vindo. Na Anhanguera, o aluno conta com a experiência dos estudos dirigidos de Habilidades Digitais.

Dê o próximo passo!

Este post trouxe informações sobre a atuação na Psicologia Jurídica e como a faculdade contribui para uma formação profissional de sucesso. Em suma, vimos que essa é uma área que demanda bastante estudo e preparação do profissional. E o primeiro passo, é claro, é a entrada na graduação, de preferência no curso de Psicologia.

Então, que tal dar o próximo passo? Inscreva-se agora no vestibular online da Anhanguera!

* Sujeito a alterações

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Skip to content