Formação pedagógica para não licenciados: 5 motivos para fazer

estudante de formação pedagógica

Se você tem vontade de saber como se tornar professor, precisa entender o funcionamento da formação pedagógica para não licenciados. Esse curso de complementação é a maneira que portadores de diplomas de bacharel e de tecnólogo têm para atuar em espaços escolares e não escolares enquanto educadores.

Afinal, entre Bacharelado, Licenciatura e Tecnólogo, apenas a segunda modalidade de nível superior garante a atuação do profissional na sala de aula. Então, em vez de fazer uma segunda faculdade, por exemplo, a pessoa realiza a complementação pedagógica e amplia seu leque de atuação.

Essa alternativa é muito interessante por impulsionar a carreira e abrir novas oportunidades de trabalho. Sem contar que, com um mercado cada vez mais exigente e competitivo, vale a pena conferir a importância de investir nessa capacitação. Então, veja os 5 maiores motivos para fazer a formação pedagógica!

Você se especializa em uma área

Se antigamente um simples diploma já resolvia o currículo de um profissional, hoje ele precisa ir além. Isso porque o mercado tem criado segmentações bem específicas de atuação e, entre os diferentes tipos de graduação, o ideal é encontrar uma área e especializar-se ao máximo.

Por isso, você pode escolher a graduação do seu interesse e, mesmo se optar pelo Bacharelado, complementá-la com os programas de formação pedagógica depois. Dá para fazer isso com:

  • Educação Física;
  • Ciências Biológicas;
  • Artes Visuais;
  • História;
  • Sociologia;
  • Geografia;
  • Letras (Língua Portuguesa);
  • Letras (Inglês);
  • Matemática.

Dessa maneira, o graduado, ainda que não licenciado, terá uma formação pedagógica que o habilita a ser professor — sobretudo no exercício do magistério de educação básica. Ele vai aproveitar os diferenciais da sua graduação de origem e potencializar o processo de ensino com uma experiência educacional mais rica e completa aos seus alunos.

Há maior competitividade no mercado

Os tempos de crise não afetam o mercado educacional, porque um país preocupado com o seu desenvolvimento sempre vai precisar de novos professores no ensino fundamental e médio, principalmente. O Ministério da Educação (MEC), inclusive, aponta que, desde 2015, há um deficit de mais de 170 mil profissionais, resultando em salas de aulas carentes de educadores qualificados. Esse quadro, segundo a pesquisa, levaria 20 anos para se equilibrar.

Agora, se um profissional apresenta uma formação extra, as chances de se destacar são maiores, e ele pode preencher essa lacuna do mercado. Afinal de contas, um bacharel com complementação pedagógica tem uma bagagem de conhecimentos mais complexa e completa do que alguém que traz apenas uma Licenciatura, por exemplo.

Portanto, podemos dizer que essa é a grande diferença entre formação pedagógica e Licenciatura. O profissional que aposta nessa alternativa tem uma base sólida de conhecimentos em sua respectiva área de estudo e ainda conta com a habilitação para ser professor. Assim, ele terá as competências necessárias ao transmitir seus saberes específicos em um ambiente de ensino e aprendizagem — aumentando consideravelmente a competitividade no mercado.

Há maiores chances de ampliar o salário

Com a ampliação de conhecimento e a consequente diversificação de mercado, o aperfeiçoamento profissional também proporciona um aumento da média salarial. No setor educacional não é diferente, uma vez que a tendência é garantir melhores salários à medida que você apresenta uma formação mais completa e estratégica.

A formação pedagógica é uma aliada nesse sentido, pois o profissional consegue alcançar mais oportunidades significativas de trabalho. Ele tem a qualificação técnica e as habilidades necessárias ao transferir seus conhecimentos, fazendo com que se destaque diante de diferentes vagas de emprego — tanto no setor privado quanto público.

Maior possibilidade de conseguir empregos melhores

Por falar em oferta de emprego, com uma complementação pedagógica, você poderá disputar as melhores vagas e atuar em várias modalidades do sistema de ensino formal. Isso quer dizer oportunidades viáveis nas seguintes vertentes:

  • Ensino Fundamental I e II;
  • Ensino Médio;
  • Educação Profissionalizante;
  • Educação Especial e Inclusiva;
  • Educação de Jovens e Adultos (EJA);
  • Educação a Distância (EAD).

Em relação à última opção, essa é uma área extremamente em alta no momento. Ao considerar a necessidade urgente de aderir ao ensino remoto, muitas instituições de ensino estão carentes de profissionais especializados nessa modalidade. Então, é uma boa ideia investir nesse tipo de atuação que já molda o presente e o futuro da educação.

O curso tem melhor custo-benefício

Muitas pessoas finalizam a graduação e sentem a necessidade de dar continuidade aos estudos — seja porque o mercado exige especialização e atualização constante, seja porque ainda não encontraram satisfação profissional.

Nesse sentido, se surge a vontade de se tornar professor, alguns pensam em fazer uma segunda faculdade, como uma Licenciatura em Pedagogia. A alternativa é válida; porém, uma formação pedagógica para não licenciados apresenta um custo-benefício bem melhor.

Esse curso tem uma duração mínima em torno de 1.000 a 1.400 horas, a depender da área de conhecimento da graduação de origem. Logo, a pessoa terá uma formação mais completa em menos tempo, sem ter que cursar mais 4 anos em uma Licenciatura completa.

Aqui na Anhanguera, quem já vem de um Bacharelado da mesma área em que deseja fazer sua formação pedagógica vai cursar uma matriz curricular de 1.070 horas. Essa vai ser a duração, por exemplo, de um bacharel em História que deseja se habilitar para dar aulas.

Agora, se um bacharel ou tecnólogo pretende ter a Licenciatura em uma área de conhecimento diferente da sua formação inicial, ele vai cursar um programa de 1.410 horas. É o caso de uma pessoa formada em Artes Visuais que deseja ter uma formação pedagógica em Sociologia ou mesmo em Pedagogia.

A formação pedagógica garante uma abordagem de conteúdos bem específicos da sua área de atuação, mas também traz conhecimentos interdisciplinares, como fundamentos da educação e suas metodologias. Dessa maneira, em vez de descartar anos de estudos em busca de outra atuação, você potencializa sua formação inicial e aproveita ao máximo o seu diploma de origem.

Ao escolher os cursos de formação pedagógica da Anhanguera, você ainda vai poder estudar onde e quando quiser, porque a modalidade de ensino é 100% online. O conteúdo e o diploma são iguais aos da graduação presencial, e a qualidade é reconhecida pelo MEC. Além disso, há uma biblioteca digital completa e o apoio de tutores online, garantindo a melhor experiência possível.

Gostou da ideia? Então, conheça nossos cursos de Formação Pedagógica e faça sua inscrição!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.