Carreira no Exército: o que fazer para chegar lá?

foto representando o exército e carreira militar

Muitos profissionais optam por áreas de trabalho comuns aos cursos de formação por eles escolhidos, deixando de vislumbrar oportunidades não tão exploradas, mas, ainda assim, promissoras, como a carreira no Exército. Se você nunca pensou em atuar no ramo, este post pode expandir seus horizontes.

Além do alistamento para funções mais populares (a de soldado, por exemplo), é possível compor o contingente das Forças Armadas investindo em graduações ligadas a Humanas, Exatas e Biológicas.

Seja qual for seu ramo de maior interesse ou afinidade, continue na leitura para ver como seus estudos podem ser orientados para uma carreira de sucesso no Exército. Siga as dicas que separamos aqui na Anhanguera:

  • entenda as possibilidades de atuação dentro do Exército;
  • escolha o cargo que deseja ocupar;
  • capacite-se para cumprir os pré-requisitos;
  • estude para as provas dos concursos;
  • compreenda e trabalhe para subir dentro da hierarquia.

Comece agora a estruturar o seu futuro profissional!

Entenda as possibilidades de atuação dentro do Exército

Junto à Marinha e à Aeronáutica, o Exército compõe as Forças Armadas, conjunto das organizações e instituições que promovem a defesa e o combate do país. Assim é possível promover a ordem e o progresso da nação garantindo os poderes previstos constitucionalmente.

O emprego ou ameaça de emprego das forças compreende 3 esferas: a aérea, a naval e a terrestre, sendo a carreira militar especificamente relativa a esse último contexto. Com exceção do serviço militar obrigatório, o ingresso permanente no ramo acontece por meio de concurso público prestado para:

  • o Instituto Militar de Engenharia (IME);
  • a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx);
  • a Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx);
  • a Escola de Saúde do Exército (EsSEx);
  • a Escola de Sargentos de Logística (EsLog);
  • a Escola de Sargentos das Armas (ESA).

Vale ressaltar que as duas últimas só admitem candidatos do sexo masculino. Um dos requisitos gerais para admissão em qualquer uma delas é ser brasileiro nato ou naturalizado; o outro é a mulher ter altura mínima de 1,55 m e o homem, de 1,60 m.

São admitidas pessoas com diferentes graus de escolaridade, pré-determinados de acordo com cada cargo e instituição. De qualquer forma, como o ingresso é mediante aprovação em concurso público, as prerrogativas do concursado na carreira militar são as mesmas: estabilidade e remunerações mais altas em comparação ao setor privado. Atrativo, não?!

Escolha o cargo que deseja ocupar

Se o seu desejo é ingressar na EsPCEx, por exemplo, tenha ciência de que a instituição prepara o aprovado para a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), instituição que forma cadetes para atuarem na Infantaria e na Cavalaria, entre outras categorias. Cadetes estão em hierarquia superior à de cabos e soldados, sinônimo de melhor remuneração.

Uma mesma carreira no Exército, como a de sargento, pode ser conquistada por vias distintas, tanto na EsLog quanto na ESA: enquanto a primeira prepara profissionais de Intendência, Saúde e Música, a segunda forma combatentes para atuação em Artilharia e Comunicações.

Ainda, esteja atento ao concurso da EsFCex, pois o edital pode convocar quem tem diploma de curso superior em diversas áreas, tais como:

O candidato aprovado recebe treinamento para se profissionalizar como oficial.

Assim, ater-se aos cargos significa ter melhores perspectivas de salário: segundo dados do governo, enquanto um 2º sargento tem base salarial de R$ 4.770 e um cabo, de R$ 2.627, a do 2º tenente é de R$ 7.490. Além disso, a ascensão desse oficial na carreira é mais rápida, chegando com maior agilidade a remunerações de R$ 9.135 (capitão), R$ 13.471 (general) e R$ 14.031 (marechal).

Capacite-se para cumprir os pré-requisitos

Estudadas as alternativas e eleitos os cargos, leia o edital minuciosamente a fim de atender às exigências mínimas para a inscrição. Ter o diploma de ensino superior, por exemplo, é imprescindível caso você deseje ingressar na EsSEx (graduação em Farmácia, Medicina ou Odontologia) ou na EsFCEx.

Por sua vez, o Curso de Formação de Oficiais do IME admite quem cursou exclusivamente Engenharia (entre elas, a de comunicações, elétrica, da computação, civil e de produção). Se a intenção é começar a carreira no Exército em um nível hierárquico mais alto e, consequentemente, com melhor remuneração, planeje-se para o concurso.

Outros requisitos também precisam ser observados, tais como idade: normalmente, limitada a 36 anos na EsSEx e a 37 anos na EsFCEx, por exemplo. Podemos falar ainda da necessidade de se ater ao exame de aptidão física na leitura do edital, afinal, a etapa é comum para o ingresso nas Forças Armadas e compreende corrida, flexões e abdominais.

O tempo máximo para execução do exercício e número de repetições estão previstos no documento que oficializa o concurso. Conhecer a fundo os requisitos e os critérios orienta o seu planejamento, tópico sobre o qual falamos na sequência.

Estude para as provas dos concursos

Ainda que a instituição militar exija formação técnica em algumas áreas — caso da EsSEx e da EsFCEx —, a preparação para o certame é específica, devendo ser totalmente voltada ao conteúdo programático previsto no edital, forma eficaz de aplicar o seu conhecimento.

Por isso, investir nas faculdades mais baratas pode ser uma ótima opção: assim você estuda a teoria com um bom custo-benefício e sem abdicar de boa infraestrutura e alta qualidade de ensino, enquanto treina para a aplicação prática do assunto.

As matérias e os tópicos no edital orientam o planejamento, que fica ainda mais rico quando o candidato se baseia em provas anteriores da entidade para ver quais temas são mais cobrados. É um ótimo jeito de gerenciar com maior eficácia o tempo de preparação ao certame.

Fazer exercícios de provas passadas também é um bom método de estudo, pois ajuda na fixação do conteúdo e faz o candidato acostumar-se ao estilo de exame aplicado pela banca. De tal forma, ele ainda ganha familiaridade com a linguagem utilizada e fluidez na hora de responder às perguntas.

Compreenda e trabalhe para subir dentro da hierarquia

Estamos falando de um ramo profissional que tem plano de carreira, indo de praça até marechal. Confira como funciona essa pirâmide da base até o topo:

  • praças: taifeiro de 1ª classe, cabo, taifeiro-mor, 3º sargento, 2º sargento, 1º sargento e subtenente;
  • oficiais subalternos: aspirante a oficial, 2º tenente e 1º tenente;
  • oficial intermediário: capitão;
  • oficiais superiores: major, tenente-coronel e coronel;
  • oficiais generais: general de brigada, general de divisão, general de exército e marechal.

O quadro sofre mudanças constantes baseadas em critérios como capacitação profissional, limites de idade e higidez (boa saúde). Quem deseja ascender nas graduações tem na carreira em W um ótimo método para atender aos seus interesses.

A carreira no Exército é abrangente, promissora e oferece oportunidades ainda melhores a quem tem diploma em curso superior. Além do ingresso, fica mais fácil alavancar sua atuação no âmbito militar investindo em conhecimento e em formação de qualidade para subir de cargo.

A notícia boa é que você nem precisa sair de casa para se capacitar. Confira como EAD é uma ótima alternativa a quem busca sucesso profissional.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3.7 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.