Carreira em Direito: o que é preciso para alcançar o sucesso?

carreira em direito

Quando alguém começa a pensar na possibilidade de seguir a carreira em Direito, é muito comum surgirem dúvidas se realmente vale a pena. Um dos motivos é o grande número de bacharéis que se formam todos os anos no país.

De fato, o Brasil apresenta números robustos. Segundo dados divulgados em 2019 pelo jornal Gazeta do Povo, hoje são de 1,1 milhão de advogados no Brasil e mais de 1.500 instituições ofertadoras da graduação em Direito.

Mas olhar para esses números exige ir além de uma análise superficial. Ao passo que tanta gente se forma, o índice de reprovações no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) é alto, em torno de 80%, o que revela problemas no ensino na maioria das instituições.

Sendo assim, o primeiro passo para se destacar é escolher uma faculdade respeitada, como é a Anhanguera, que tem boas notas no conceito do Ministério da Educação (MEC) em suas unidades.

Após a escolha de uma boa instituição, se você deseja transformar seu curso em uma carreira promissora, tem altas possibilidades de alcançar sucesso como advogado. Isso porque o Direito obrigatoriamente é uma área em constante transformação, que acompanha as mudanças da sociedade e as respectivas relações humanas nos diversos campos ― públicos e privados.

Então, para que você deixe todos os seus medos de lado e se convença de que o curso de Direito é a escolha certa para sua graduação, criamos este guia completo com todas as informações sobre faculdade, especializações, mercado de trabalho e tendências para os próximos anos. Aqui, você vai encontrar os seguintes assuntos:

Vale a pena cursar a faculdade de Direito hoje?

Seria previsível responder “Sim” para esta pergunta. Em vez disso, é interessante saber, primeiramente, como funciona a faculdade de Direito e os principais aspectos que a envolvem.

Trata-se de um curso de grau Bacharelado da área de Ciências Humanas, com duração de 4 a 5 anos. O objetivo do Direito no ensino superior é apresentar ao aluno como é construída e aplicada a abordagem jurídica de todas as áreas da vida humana, com questões relacionadas a:

  • negócios;
  • economia;
  • política;
  • meio ambiente;
  • direitos humanos e de família;
  • relações internacionais;
  • comércio;
  • área criminal;
  • entre outras.

Enquanto estudante de Direito, você pode esperar aprender como lidar com alguns dos conflitos e questões mais problemáticos ― até mesmo aqueles aparentemente insolúveis ― na sociedade e na moralidade modernas. 

Logo, não é possível fugir de uma análise profunda da existência humana, com inúmeras leituras, por vezes, densas; muitas horas diárias de estudos, prática de júri, atividades e visitas ao fórum da cidade, ida a julgamentos, além de um alto nível de pressão. Mas isso não é nada diferente da vida de alguém que segue a carreira jurídica. Afinal, como você vai defender um caso sem embasamento teórico e respaldo legal? Seria impossível e feriria a ética profissional.

Sendo assim, as melhores faculdades de Direito têm em sua proposta de ensino a preocupação em fornecer uma formação capaz de preparar você não apenas a carreiras jurídicas específicas, mas a uma ampla gama de cargos e papéis profissionais.

Ainda, depois que terminar a faculdade, inevitavelmente, você deverá estudar bastante para ser aprovado pela OAB e intitular-se advogado, o que permitirá atuar plenamente na profissão

Na sequência, você deverá programar-se para fazer uma série de especializações de acordo com a área de atuação, incluindo mestrado e doutorado ― se sua ideia for seguir a carreira acadêmica.

Pensando em tudo isso, o mais lógico é responder a essa pergunta com outra: o que você deseja fazer após a graduação em Direito? Tornar-se um advogado, estudar para concursos públicos, representar uma empresa ou entidade, seguir carreira militar… Veja, as possibilidades são inúmeras.

Então, o que podemos dizer é que existem áreas do Direito mais concorridas que outras. Dessa forma, trace seus objetivos, observe as possibilidades de mercado e, sobretudo, pense em onde se vê atuando. Somente assim, considerando todo esse caminho, você saberá se é o que deseja realmente fazer. 

Quais são as principais áreas em alta?

Como dissemos, as possibilidades de empregabilidade na área do Direito são enormes, já que os campos de atuação são vastos e bastante distintos. Para que você tenha uma ideia, compilamos aqui algumas das principais áreas em alta no mercado. Separamos tudo em três grupos: Direito Público, Direito Privado e Direito Social.

Direito Público

  • Arbitragem (pode ser pública ou privada): essa é uma alternativa de conciliação diante de uma causa (litígio) sem a necessidade de recorrer ao Poder Judiciário, eliminando custos e burocracia;
  • Direito Administrativo: o profissional vai trabalhar na administração pública, a fim de garantir que serviços públicos e órgãos auxiliares do Estado funcionem plenamente, dentro da lei;
  • Direito Internacional Público: é o que lida com as relações entre os Estados, dentro da comunidade internacional e suas organizações bilaterais, para cooperação, regulação e mediação em conflitos entre comunidades nacionais e internacionais;
  • Direito Penal: talvez o mais popular, trata do exercício da justiça como punição aos culpados e indenização às vítimas de crimes, de acordo com o código penal. Inclui promotores, juízes e defesa;
  • Direito Político: o profissional se dedicará ao estudo e à regulação do exercício da política (comando, subordinação, elementos e classes do Estado, formas de governo, filosofia política etc.);
  • Direito Processual: é a área dedicada à resolução de conflitos de maneira entre indivíduos e o Estado, ou entre si;
  • Direito Tributário: estuda os mecanismos de cobrança para a correta geração de receitas do Estado;
  • Relações Institucionais (transita entre o direito público e privado): o profissional dessa área vai intermediar, junto ao setor público, interesses empresariais, já que normas, leis e políticas interferem na economia e na vida das organizações.

Direito Privado

  • Direito Civil: essa é a área mais abrangente do Direito, já que compreende o conjunto de normas que regulam a vida cotidiana do ser humano, como suas relações familiares, formação ou rompimento de laços conjugais, maternidade, propriedade privada, registro civil, heranças, obrigações individuais e tipos de contratos entre pessoas;
  • Direito Digital: é uma área bem nova e em crescimento, principalmente após o sancionamento da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Além das questões jurídicas envolvendo operações na Internet, esse “advogado do futuro” precisará encontrar recursos inovadores para fazer valer as leis preexistentes e a nova legislação;
  • Direito Mercantil: garante que todas as atividades comerciais ou econômicas ocorram de acordo com os termos legais e pode envolver tanto pessoas físicas quanto empresas;
  • Direito Internacional Privado: regula operações internacionais de indivíduos, nacionalidades e eventuais conflitos entre diferentes legislações;
  • Direito Societário: também conhecido como Direito Empresarial, é o ramo das relações comerciais ou de negócios entre empresas. Regula as operações internas e de terceiros das empresas constituídas nos termos da lei.

Direito Social

  • Direito Agrário: regula a posse da terra e a exploração agrícola nas áreas rurais;
  • Direito Ambiental: lida com o conjunto de regras para a defesa do meio ambiente e o legado ecológico da sociedade, a fim de impedir o uso indiscriminado e irresponsável dos recursos naturais, bem como a poluição excessiva e graves danos ao meio ambiente;
  • Direito do Trabalho: é responsável por regular as condições em que o trabalho ocorre, para garantir que sejam justas, equitativas e legais. Inclui o Direito Individual do Trabalho, Direito Coletivo do Trabalho e Direito Processual do Trabalho;
  • Direito Econômico: inclui as normas que regulam a participação do Estado na atividade econômica, para proporcionar segurança jurídica aos participantes da cadeia produtiva;
  • Direito Médico: essa área atende às demandas judiciais no campo da saúde e envolve as relações entre usuários de serviços, empresas prestadoras e profissionais de saúde.

Quais são as especializações possíveis para o formado em Direito?

Viu quantas áreas exigem a atuação de um profissional do Direito? Pois bem, para que você possa atuar nelas, naturalmente precisará de especializações se quiser galgar degraus mais elevados em sua carreira. Então, veja a seguir alguns exemplos de pós-graduação lato sensu para depois da formatura em Direito.

Direito do Trabalho e Previdenciário

Especialmente após a Reforma Trabalhista de 2017 e as presentes discussões sobre o futuro da Previdência, a área ganhou novo fôlego e ampliou as oportunidades para o advogado. 

O objetivo da especialização em Direito do Trabalho e Previdenciário é qualificar o aluno sobre as questões previdenciárias e oferecer conhecimentos relacionados aos conflitos que envolvem o trabalho e o capital. O objetivo é também saber como preveni-los em prol de uma relação harmônica entre empregador e empregado. 

Direito Processual Civil

É um curso voltado ao aprendizado do Direito Processual Civil contemporâneo a fim de desenvolver nos alunos uma visão crítica sobre o sistema jurídico e o desenvolvimento de habilidades para a discussão das novas necessidades da atualidade.

Gestão Social: Políticas Públicas, Redes e Defesas de Direitos

A especialização em Gestão Social é voltada ao aprofundamento do aluno para trabalhar na área social e promover a defesa de Direitos e intervenções do ponto de vista jurídico no campo social. Para isso, é necessário conhecer mecanismos jurídicos, metodologias e técnicas operacionais específicas destinadas à promoção da inclusão social e à defesa e ampliação de direitos.

MBA em Gestão Pública

O MBA em Gestão Pública tem o objetivo de formar especialistas para atuarem na Administração Pública, de maneira a contribuir com uma gestão mais ágil. Para tanto, a área jurídica soma-se às demais a fim de garantir excelência operacional, resultados aos programas governamentais e soluções aos problemas das organizações. 

Como anda o mercado de trabalho em Direito no Brasil?

Ainda que estejamos esperando uma recessão global em 2020, decorrente das ações contra a pandemia do novo coronavírus, vamos falar positivamente sobre algumas boas expectativas vistas no mercado para a carreira em Direito.

De acordo com uma reportagem de 2019 da revista Exame, o cenário político atual possibilitou a retomada dos investimentos, e a economia começou a andar novamente, recuperando-se do baque de 2014. Como os múltiplos setores econômicos começaram a reaquecer, mudanças centrais foram e estão sendo realizadas, e o Direito tornou-se peça-chave para sua efetivação.

Quais são os setores que mais contratam?

Com essa retomada da economia, algumas áreas pouco demandadas tornaram-se um celeiro de oportunidades aos profissionais. As áreas de negócios e de mercado de capitais estão entre as que mais contratam.

Porém, ratifica-se a necessidade de especialização, inclusive em temas transversais (como é o caso do Mercado de Capitais). Por exemplo:

  • especialista em mercado de capitais com foco em IPO (Initial Public Offer, ou Oferta Pública Inicial): dá suporte quando as ações de uma empresa são vendidas na Bolsa de Valores pela primeira vez;
  • especialista em fundos de investimento com foco no setor imobiliário: colabora na captação de recursos para o setor imobiliário, organizando todas as tratativas jurídicas;
  • especialista em Direito Público: atende pessoas físicas e jurídicas interessadas em realizar negócios na área pública;
  • especialista em Direito Regulatório: trabalha com proteção de dados, prestando serviços para empresas de setores regulados, como aviação, bancos, energia, telecomunicações e seguros.

Mas não só a área financeira tem contratado muitos profissionais. Outra reportagem da Exame, de fevereiro de 2020, apontou uma relação de oportunidades para advogados especialistas ― a maioria delas com foco em tecnologia. Entre elas, estão:

  • especialista em cibersegurança: atua na proteção de dados de pessoas, de empresas e do setor público, com relação a roubos, fraudes e invasão de privacidade;
  • especialista em criptomoedas: acompanha regulamentação e transações com criptomoedas no Brasil e no mundo;
  • gerente de compliance: participa de auditorias e de implantação de normas e regulamentos em empresas;
  • diretor de proteção de dados: garante que a Lei de Proteção Geral de Dados seja posta em prática, evitando penalizações.

E as áreas com mais demandas por profissionais autônomos?

A tecnologia também está mudando o perfil profissional dos autônomos ou que queiram enveredar para o empreendedorismo, abrindo escritórios ou consultorias, como é o caso das chamadas lawtechs. Trata-se de empresas de tecnologia voltadas a soluções para a área jurídica ― sobre as quais vale a pena falar um pouquinho.

Lawtech é o termo que descreve tecnologias empregadas pela área jurídica para apoiar, complementar ou substituir métodos tradicionais de prestação de serviços jurídicos ou que melhoram a maneira como o sistema de Justiça opera. A Lawtech cobre uma ampla gama de ferramentas e processos, que figuram como oportunidades de atuação para o advogado autônomo:

  • automação de documentos;
  • contratos legais inteligentes;
  • ferramentas práticas de gerenciamento;
  • inteligência artificial para tribunais;
  • monitoramento de dados públicos;
  • plataformas para solucionar questões tributárias (taxtech);
  • portais de conteúdo e informação jurídica;
  • sistemas de gestão e pesquisa de conhecimento;
  • soluções de conflitos online.

Nessa esteira, ainda vemos duas áreas em alta, tanto para profissionais autônomos quanto para escritórios maiores, como:

  • Direito Societário: o profissional vai intermediar contratos, fusões, aquisições e gerenciamento de empresas, conforme a legislação societária (leis, regras, regulamentos e práticas que governam a formação e a operação das corporações);
  • Legal Design Thinking: metodologia para desenvolver novas maneiras de combinar design e tecnologia centrados na experiência de clientes para atender às demandas em constante mudança da profissão de advogado ― um diferencial enorme na postura consultiva do profissional empreendedor.

Que previsões para o futuro do Direito?

Como você pôde ver após a leitura dessas diversas áreas de atuação no Direito, pensar no futuro da área é pensar na Era Digital. Hoje, um termo em alta na carreira é o Direito 4.0, no sentido de que o Direito também está na chamada 4ª Revolução Industrial, que, em resumo, é a transformação digital.

Mas o que muda para o profissional? Se antes os advogados conseguiam se concentrar muito mais nos conhecimentos relativos à sua atividade-fim, daqui para a frente, o mercado pedirá especializações e habilidades transversais, como:

  • gerenciamento de processos;
  • gerenciamento de projetos;
  • uso de ferramentas digitais;
  • presença no ambiente digital;
  • contabilidade pública e privada;
  • gestão de pessoas;
  • engenharia de sistemas;
  • estratégia de negócios. 

Além disso, como a Internet potencializa a competitividade do mercado, o profissional que não embarcar na Era Digital ficará para trás. Mas isso não significa apenas dominar as ferramentas: é preciso saber usá-las a seu favor, gerar conteúdos e conquistar clientes no meio digital. 

Dessa forma, os profissionais do Direito precisam se concentrar em aprimorar suas habilidades de negociação, ter mais precisão nas palavras e nas atitudes e criar confiança, aproximando-se de quem precisa de seus serviços e tornando as decisões participativas.

Ou seja, assim como na indústria, no Direito, o cliente também está no centro das soluções. Ele determina o tipo de serviço que deseja adquirir, quanto quer pagar e o atendimento que espera.

Por fim, muitas das disputas legais e resoluções serão agilizadas online, por meio de plataformas ― inclusive, já existem várias operando no mundo. Estas vão agregar ainda mais as novas tecnologias, como realidade aumentada e Inteligência Artificial, para resolver processos. 

Como se diferenciar diante da concorrência?

Como você viu, a inovação é a chave para o profissional que segue a carreira em Direito se diferenciar da concorrência. Entre essas habilidades, destacamos as seguintes.

Tenha autonomia durante os anos de faculdade

Viva a faculdade. Aproveite todas as oportunidades oferecidas pela instituição e não se limite a assistir às aulas ou tirar notas altas. Além disso, tenha experiências por conta própria. Participe de congressos profissionais, entre em contato com profissionais da área e utilize as redes sociais para seguir personalidades. Encare seu curso como um projeto.

Construa sua imagem

Sua imagem é sua marca. Construa uma maneira positiva de agir e saiba aproximar-se de seus clientes. Aprenda a ser cativante e falar da maneira que eles gostariam de ouvir. Além disso, pratique o autocuidado (saúde mental, física, boa aparência); afinal, você também é uma pessoa, e isso vai ajudar a ter mais autoconfiança.

Crie seu próprio nicho de mercado

Além de se tornar um especialista em certa área, observe carências que você poderia suprir com seus conhecimentos e serviços. Por isso, é importante ficar atento à realidade e às mudanças que vêm acontecendo no mundo. Um exemplo muito abordado aqui foi a própria segurança digital. Mas muitos outros temas estão em alta, como sustentabilidade e meio ambiente, famílias homoafetivas, Direito de Imigração, apenas para citar alguns.

Crie um excelente networking

Networking são as redes de contato profissional. Com um bom networking, é possível estabelecer excelentes relações de negócio e criar círculos de cooperação capazes de impulsionar uma força conjunta de trabalho e angariar mais clientes. 

Como uma boa faculdade auxilia no sucesso profissional?

São inúmeros os fatores que levam uma faculdade a ser considerada de ponta, dentre os quais podemos citar:

  • reputação;
  • reconhecimento e avaliação do curso;
  • sistema de ensino alinhado com as demandas do mercado;
  • infraestrutura para atividades práticas;
  • qualificação do corpo docente.

O curso de Direito da Anhanguera é um ótimo exemplo nessas questões ao proporcionar aos seus alunos uma excelente formação educacional, que certamente facilitará sua estabilização na carreira.

Além da grade curricular totalmente atualizada, os estudantes adquirem experiência profissional ao frequentarem o escritório-escola, o juizado especial e o núcleo de práticas jurídicas ― espaços que são referência no ensino fora da instituição. Ainda, há estágio supervisionado com práticas simuladas e reais, bem como visitas técnicas em que os alunos têm contato com casos em andamento.

Mas não para por aí. Uma vez que a faculdade precisa embarcar na tecnologia, é possível estudar Direito a distância, mesmo que o curso não seja EAD. Ele continua sendo presencial, afinal, somente com atividades in loco é possível que o aluno tenha uma formação completa ― como é o caso da simulação de julgamentos e outras experiências citadas.

Porém, a tecnologia está a nosso favor, como viemos discutindo neste artigo. Por esse motivo, o novo Curso de Direito da Anhanguera inclui uma parceria com a Saraiva Educação. A partir dela, conquistamos mais qualidade no ensino ao potencializarmos (e facilitarmos) o aprendizado por meio da oferta de conteúdos exclusivos. Veja detalhes a seguir.

Vade Mecum Saraiva Jur

O Vade Mecum é um dos mais importantes recursos de consulta do advogado, já que reúne as principais leis brasileiras, como o Código Civil e a Constituição Federal. Assim que ingressa no curso, o aluno da Anhanguera recebe esse material em sua versão digital, disponível para vários tipos de mídia e com manuseio intuitivo. 

Aula Destaque

É um projeto em que calouros e veteranos têm acesso, ao longo do curso, a aulas exclusivas com profissionais renomados do campo jurídico e autores da Saraiva Educação. O conteúdo fica disponível online por tempo indeterminado.

Curso Saraiva Aprova OAB

Perto da formatura, o aluno tem acesso a um curso preparatório com foco total no exame da OAB. Os índices de aprovação estão em 43%, tanto na primeira quanto na segunda fase ― percentual quase 3 vezes maior que a média geral do exame (em torno de 17,5%).

Aula Magna

São palestras referentes a temas da atualidade com personalidades do mercado. A transmissão é ao vivo e, posteriormente, o conteúdo fica disponível no Portal Digital do Aluno Anhanguera.

Como você viu, a carreira em Direito é promissora, e há chances de se destacar ao realizar um bom planejamento e fazer as melhores escolhas. Então, guarde este guia e comece agora mesmo a planejar seu futuro. Você tem grandes chances de brilhar.

E antes de se desconectar, deixamos um convite: venha conhecer nossa faculdade. Entre em contato para saber todas as informações sobre o curso de Direito mais próximo de você!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.2 / 5. Número de votos: 5

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Artigos relacionados

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.