Fisioterapia Dermatofuncional: o que é e como funciona?

mulher fazendo fisioterapia dermatofuncional

Muitas pessoas têm a ideia de que o curso de Fisioterapia foca o preparo dos alunos para serem profissionais que atuam exclusivamente com pacientes que sofrem de alguma limitação física, ou que estejam passando por problemas motores decorrentes de doenças ou acidentes.

Digamos que essa é uma ideia equivocada, pois a Fisioterapia é uma das faculdades da área da Saúde que mais dialoga com outras carreiras e possibilita a realização de um trabalho multidisciplinar. Você conhece, por exemplo, a área de Fisioterapia ligada à estética?

Sim, elas podem dialogar! Isso porque as especializações da Fisioterapia permitem várias possibilidades de atuação e, com isso, melhores oportunidades no mercado de trabalho.

Então, neste post, vamos apresentar a você as principais curiosidades que deve saber sobre a Fisioterapia Dermatofuncional ― vertente que dialoga com a dermatologia e estética. Dê uma olhada!

O que é Fisioterapia Dermatofuncional?

A Fisioterapia Dermatofuncional é uma linha fisioterapêutica que trabalha com o sistema tegumentar humano ― isto é, a pele e seus anexos (cabelos, glândulas, unhas, pelos e receptores sensoriais). Em outras palavras, trata a pele como um todo e tenta restaurar não apenas a estética, mas a função e, assim, melhorar o bem-estar e a qualidade de vida dos pacientes.

Para isso, está comprometida com a avaliação, o tratamento e a prevenção de desequilíbrios funcionais e estéticos decorrentes de doenças, intervenções cirúrgicas e/ou complicações (traumáticas, pós-operatórias) que afetam direta ou indiretamente a integridade do corpo.

Quando o fisioterapeuta dermatofuncional entra em ação?

As principais atividades de um fisioterapeuta dermatofuncional estão ligadas à reabilitação de pacientes com mastectomia, queimados e cicatrizes pós-traumáticas, bem como no pré e pós-operatório de cirurgias plásticas.

Ele também pode investir seu trabalho na realização de procedimentos estéticos não invasivos. Veja alguns exemplos de situações nas quais esse profissional entra em ação.

Flacidez, cicatrizes, estrias e gordura localizada

Essas questões costumam prejudicar muito a autoestima, certo? Pois bem, seja por uma questão meramente estética, seja para recuperar uma aparência mais saudável, muita gente busca procedimentos para atenuar ou acabar de vez com flacidez, cicatrizes, estrias e gordura localizada.

Fibroedema geloide (celulite)

As mulheres são as que mais sofrem com as celulites. Além do incômodo estético, o excesso de celulite pode causar problemas de saúde mais sérios, como dores e diminuição das funções dos membros. Então, procedimentos diversos ajudam a reduzir o fibroedema geloide.

Pré e pós-cirurgia plástica

Em casos como mamoplastia e abdominoplastia, o fisioterapeuta vai preparar a pele do paciente para garantir mais hidratação e melhor circulação, além de tonificar os músculos, pensando em maiores trocas metabólicas para diminuir os efeitos da cirurgia. Já no pós-operatório, o objetivo é reduzir edemas, dores e aumentar a oxigenação dos tecidos atingidos.

Queimaduras

Dependendo do tamanho da queimadura, a situação pode ser bem triste para o paciente. Portanto, nesse trabalho de reabilitação da área atingida, o fisioterapeuta dermatofuncional tem o objetivo de diminuir os efeitos estéticos da lesão e, principalmente, ajudar na recuperação da mobilidade.

Envelhecimento da pele

A ação do fisioterapeuta dermatofuncional pode ajudar a retardar o envelhecimento da pele. Isso acontece por meio de técnicas e de tecnologias que estimulam a produção de colágeno, bem como aplicação de produtos e medicamentos.

Úlceras de pressão

Sabe quando uma pessoa fica muito tempo no hospital deitada em uma cama? Nesse contexto, surgem as úlceras de pressão, ou escaras, que são ferimentos resultantes de uma constante pressão sobre a pele.

Além da limpeza da região necrosada, feita por um enfermeiro, a Fisioterapia Dermatofuncional vai ajudar a restabelecer a área lesionada, diminuindo cicatrizes e restaurando a mobilidade.

Que técnicas a Fisioterapia Dermatofuncional utiliza?

Basicamente, os procedimentos da Fisioterapeuta Dermatofuncional acontecem com o uso de aparelhos corporais e movimentos manuais. Algumas das técnicas utilizadas com equipamentos eletrônicos são:

  • crioterapia (consiste em resfriar partes do corpo ― também pode ser feito com gelo, conforme o caso e o objetivo);
  • eletroterapia não invasiva (eletrodos são fixados na pele e transmitem corrente elétrica para diminuir dores e edemas, estimular nervos e fortalecer músculos);
  • endermologia (massagem com uma bomba a vácuo com rolamentos e ventosas);
  • laserterapia (uso de feixes eletromagnéticos sobre o corpo);
  • radiofrequência (aparelho que eleva a temperatura da pele a 41ºC a fim de extrair e de estimular a produção de fibras de colágeno);
  • ultrassom (aparelho utilizado para quebrar gorduras localizadas no corpo).

Já as técnicas manuais são tipos de massagem que consistem em pressionar certas partes do corpo para conseguir um efeito mecânico na região e ajudar certos produtos a serem absorvidos pela pele. Algumas delas são:

  • drenagem linfática manual (ajuda a diminuir edemas, aumentar a nutrição celular e melhorar a circulação);
  • liberação miofascial (auxilia na flexibilidade de músculos e de nervos ― muito usada por atletas ou por pessoas que sofreram traumas);
  • massagem clássica (compressões sobre o corpo para obter relaxamento, alívio de dores etc.);
  • massagem do tecido conjuntivo (estimula flexibilidade, circulação sanguínea e aumento dos tecidos que preenchem os espaços intracelulares da pele).

Parceria com outros profissionais da saúde

Em várias das situações acima, o fisioterapeuta dermatofuncional precisa trabalhar em uma equipe multidisciplinar que inclui médicos, enfermeiros, cirurgiões, nutricionistas e até outros fisioterapeutas, com o intuito de oferecer o tratamento mais completo e adequado ao paciente.

Um exemplo disso é o caso de pessoas com queimaduras. Dependendo da profundidade e da localização do ferimento, é possível até mesmo ser necessária Fisioterapia Respiratória associada à Dermatofuncional, além do acompanhamento de demais profissionais clínicos.

O que é preciso para se tornar um fisioterapeuta dermatofuncional?

Ao longo da faculdade de Fisioterapia aqui da Anhanguera, o aluno verá na grade curricular a disciplina de Fisioterapia Dermatofuncional. De forma abrangente, o aluno aprenderá recursos e técnicas terapêuticas, elaboração de planos de tratamento e principais disfunções dermatofuncionais de uma pessoa.

Porém, para começar a atuar nessa área, após a conclusão da graduação, é preciso fazer uma pós-graduação em Dermatofuncional ― algumas escolas também chamam o curso de Fisioterapia Estética.

Normalmente, o curso dura entre 360-460h, tempo necessário para você estudar e alcançar seus objetivos de carreira. Ali, você vai aprender detalhes sobre os diferentes procedimentos, fisiologia dos tecidos, anatomia, novas tecnologias e temas correlatos. Posteriormente, poderá investir em cursos de capacitação profissional para conseguir manter-se atualizado diante das práticas do mercado, que estão sempre mudando em razão de novas descobertas.

Por que ser fisioterapeuta dermatofuncional?

A principal vantagem de tornar-se um fisioterapeuta dermatofuncional é o grande leque de possibilidades de atuação. Na área da beleza e estética, por exemplo, o mercado não para de crescer, e todos os dias surgem inovações que atraem mulheres e homens em busca de uma pele mais bonita e um corpo tonificado.

Já na área clínica, o foco em humanização dos tratamentos tem ampliado a importância do bem-estar mental dos pacientes, o que significa investir em qualidade de vida e em bem-estar, sobretudo na recuperação de traumas.

O salário médio do profissional é de R$ 2.747 no país, podendo chegar a R$ 3.374* a depender do nível de experiência.

Então, comece sua trajetória na Fisioterapia Dermatofuncional escolhendo uma instituição reconhecida pela experiência na graduação. Na faculdade Anhanguera, você encontra os melhores professores, ensino moderno e recursos digitais para um aprendizado efetivo. Além disso, parcerias, como a exclusiva que temos com o Canal Conecta, ajudam a aumentar sua empregabilidade. Sem contar a possibilidade de realizar a sua graduação na modalidade de ensino semipresencial, mais flexível à sua rotina!

Gostou de conhecer o que é a Fisioterapia Dermatofuncional? Dê agora seu primeiro passo na profissão! Inscreva-se já no vestibular da Anhanguera.

* Sujeito a alteração.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content