Artigo de opinião: o que é e como é feito na faculdade?

artigo de opinião

Quando se fala em trabalho para a faculdade, é comum pensar logo de cara nos artigos científicos e nas monografias. Realmente, são algumas das produções mais cobradas pelos professores para que os alunos se envolvam com pesquisas de sua área de atuação e ofereçam contribuições à sociedade e à comunidade acadêmica.

Mas existe outro formato que também pode ser solicitado: o artigo de opinião. A principal diferença para o científico é a produção com base em dados já divulgados por pesquisadores. A intenção com esse trabalho é fomentar o debate construtivo sobre diversos temas.

Pensando nisso, preparamos este post com as principais informações sobre o que é um artigo de opinião, como produzir e de que maneira ele contribui para sua capacitação profissional. Confira!

O que é um artigo de opinião?

Trata-se de um texto de gênero argumentativo, apresentando um ponto de vista sobre determinado assunto. Desde que surgiu, ele tem sido bem comum em produtos jornalísticos, principalmente em revistas. Os temas escolhidos precisam ter alta relevância na sociedade para que o objetivo final do artigo de opinião seja cumprido.

Como vimos, é diferente de um artigo científico, mas também de outras produções, como o texto dissertativo-argumentativo, a notícia jornalística, a carta e assim por diante. Sua intenção é convencer o leitor com argumentos impactantes, convincentes e factuais.

Como o artigo de opinião é usado na faculdade?

Se você acha que o artigo de opinião é cobrado somente em faculdades de Humanas, como Jornalismo e História, saiba que não é bem assim. Aqui na Anhanguera, nossos alunos são incentivados na produção de trabalho acadêmico para que desenvolvam habilidades de comunicação, além das técnicas de cada atuação — inclusive, temos o Sistema Anhanguera de Iniciação Científica para essa finalidade.

Vamos pensar no estudante de Direito. Se o plano de carreira inclui o trabalho como advogado, o poder de persuasão e a argumentação serão companheiros inseparáveis de sua rotina. E quer forma melhor de treinar essas competências do que a produção de artigos de opinião?

Enquanto isso, na Psicologia, um estudante pode produzir esse tipo de artigo para colocar alguma abordagem em debate, usando um dado factual para isso. Além de entender melhor essas áreas enquanto pesquisa para o texto, ainda pode ajudar os colegas nessa compreensão.

E você sabia que, muitas vezes, o artigo de opinião é cobrado antes mesmo do ingresso na faculdade? Isso porque alguns vestibulares cobram esse gênero na redação, com objetivo de testar conhecimentos tanto sobre a estrutura quanto de atualidades. Ainda aproveitam para verificar a capacidade de argumentação do candidato.

Quais são as características?

Sabemos, então, que o que faz do texto um artigo de opinião é seu caráter argumentativo a partir de sua tese. Mas não é só isso. Veja as principais características de um artigo de opinião!

Título provocador ou polêmico

Esse é o ponto em que sua criatividade será mais requisitada. Afinal, o título é como a primeira impressão: se a pessoa achar genérico demais ou desinteressante, pode não seguir adiante na leitura. Perder audiência está longe dos seus objetivos com artigo de opinião, não é? Então, invista em algo atrativo e até polêmico, se não for apelativo.

Afirmações

Os verbos de um artigo de opinião costumam aparecer no presente e no imperativo para reforçar a autoridade com a qual você escreve. Uma boa dica é evitar o uso excessivo de conectivos, o que ajuda a tornar seu texto mais poderoso.

Linguagem culta padrão

O mais importante de tudo é pensar que você está direcionando as suas opiniões à comunidade acadêmica. Isso significa que pode chegar desde o seu colega de sala que acabou de sair do ensino médio até o professor mais experiente da faculdade. Por padrão, é ideal apegar-se à linguagem formal para garantir uma compreensão limpa das ideias.

Vamos supor que você abuse de regionalismos e de gírias. Concorda que alguém pode ficar sem entender o que quis dizer por causa desses recursos? Então, tenha o cuidado de evitá-los, mas sem cair na tentação de inserir apenas termos rebuscados. Lembre-se: o que faz encher os olhos do leitor é a sua argumentação.

Como criar um artigo de opinião?

Além de conhecer bem as características de um artigo de opinião, é importante ficar de olho em alguns aspectos antes de colocar a mão na massa. Listamos alguns deles a seguir!

Faça um planejamento

Como você já deve estar acostumado com a redação dissertativa para o vestibular, sabe que todo bom texto começa no planejamento. Não basta simplesmente começar a escrever sem um propósito bem definido e direcionamentos — isso, inclusive, aumenta o risco de desviar o foco e tornar a produção desinteressante.

Tenha em mente qual é o objetivo com esse trabalho e como funciona um artigo de opinião. Tente não atropelar as informações e procure construir uma narrativa nesse texto, de modo a facilitar a compreensão da sua mensagem.

Entenda a estrutura do artigo

Um artigo de opinião é composto por:

  • introdução: nos primeiros parágrafos, a ideia é apresentar o tema e a tese. Vamos pegar um exemplo simples do Jornalismo, com o ponto de vista de que o diploma é essencial para a produção editorial de jornais e de revistas — ainda que não seja necessário na prática. Você poderia apresentar essas informações e introduzir o que pensa;
  • desenvolvimento: aqui vêm os argumentos. Por que você acha que o diploma é importante? Dê exemplos que o leitor vá entender, traga pesquisas e estudos, entre outros materiais que sejam sequência da sua tese e provem sua opinião;
  • conclusão: por fim, você faz um breve resumo e retoma alguns posicionamentos para fechar o texto.

Saiba o que evitar

Além de qualquer tipo de regionalismo, outros vícios de linguagem precisam ficam de fora do artigo de opinião para que ele seja eficiente. Ambiguidade, pleonasmo, gerundismo e cacofonia nem pensar! Com esses cuidados, é possível evitar um resultado que desagrada na leitura.

Não esqueça a revisão

De nada adianta um texto interessante e envolvente, com uma linguagem adequada e argumentos convincentes se há erros de digitação ou de ortografia por toda parte, não acha? Principalmente quando trabalhamos muito tempo em um tema, a visão fica cansada e pode deixar essas questões passarem batidas.

Por isso, o ideal é fazer a revisão no dia seguinte à produção. Se, em último caso, você só conseguir terminar pouco antes da entrega, peça ajuda a um colega para identificar possíveis falhas. Verifique também se as frases fazem sentido tanto separadas como no todo — muitas vezes, faz todo o sentido em nossa mente, mas a construção é tão bagunçada que prejudica a compreensão.

Por fim, tenha a certeza de que a sua produção está de acordo com as normas específicas da faculdade e com as regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Mesmo que seja complicada de aplicar, a importância dessa última é inegociável, pois padroniza os diferentes tipos de artigos e de trabalhos científicos do país.

Agora que você já sabe o que é um artigo de opinião e as principais dicas para mandar bem na produção, chegou o momento de treinar. Dessa forma, não somente aprimora as suas habilidades de comunicação escrita, mas também a sua argumentação. Essa competência será útil durante a faculdade, na apresentação de trabalhos e no ambiente profissional.

Sabe qual outro trabalho acadêmico fará parte da sua vida universitária? Aproveite a visita e entenda tudo sobre o projeto de iniciação científica!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.