Química: tudo que você precisa saber sobre essa área!

Química

A Química é uma das disciplinas das Ciências Básicas presente em diversas subáreas da Ciência e das Engenharias. Sua aplicação é essencial, por exemplo, à Petroquímica, Medicina, produção de alimentos, Mineralogia, Química Industrial e tantos outros setores.

Como campo de trabalho, ela dá acesso a uma ampla gama de profissões muito diferentes entre si. Compare, por exemplo, a atuação de um professor acadêmico de Química com a de um especialista alimentar ou um médico. Perfis tão diversos quanto possível, concorda?

Neste artigo, vamos descer fundo nas nuances dessa profissão, demonstrando quantas oportunidades ela pode guardar para você. Vamos falar sobre as áreas de atuação, como é a faculdade de Química, as tendências e postos de trabalho. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

Como funcionam a área e o curso de Química?

O objeto de estudo da Química é a matéria, suas propriedades e os materiais de que é composta. Essa afirmação, feita dessa maneira, dá a entender que ser químico é aprender quase tudo, afinal, a totalidade do universo conhecido é composta de matéria.

De certo modo isso é verdade, sendo esse um dos grandes motivos de as áreas de atuação em Química serem tão amplas. Dependendo de onde o químico se empregue, deve atender a exigências de mercado, aptidões e habilidades muito diferentes.

O estudo da matéria aparece, por exemplo, no desenvolvimento de medicamentos, na extração do petróleo, nas relações entre os seres vivos macro e microscópicos de um determinado ecossistema, nas técnicas de preservação utilizadas por cientistas nesse mesmo ecossistema e nas técnicas produtivas das mais distintas indústrias.

Como o objetivo deste artigo é facilitar sua vida antes de se matricular em uma faculdade de Química, vamos organizar a seguir todas essas informações. Antes, no entanto, vale a pena falarmos um pouco sobre o curso de Química e como ele é estruturado em uma grade curricular de graduação.

Como é o curso de Química

O objetivo do curso é formar profissionais que sejam capazes de realizar análises químicas, experiências e transformações das substâncias. Como a disciplina é inseparável das outras ciências — há Química na Biologia, muita Matemática e também a disciplina da Fisico-Química — a formação do profissional deve ser condizente.

Falando especificamente sobre os números, é possível dizer que se trata de uma faculdade para quem gosta de Matemática. Mas isso não quer dizer que você deve desistir do curso se não for bom na matéria.

Você pode aproveitar para afiar suas habilidades matemáticas ao longo da graduação. Para isso, basta dar foco para a matéria, ser disciplinado e contar com bons professores.

Abaixo, você confere áreas de estudo do graduando em Química. São as diferentes disciplinas abordadas ao longo do curso, antes que o Químico esteja preparado para o mercado de trabalho.

  • Química Experimental;
  • Técnicas de Laboratório;
  • Química Industrial;
  • Termodinâmica;
  • Química Mineral;
  • Química das Transformações;
  • Bioquímica;
  • Cálculo;
  • Estrutura e Propriedades de Compostos Orgânicos;
  • Química Estrutural;
  • Química Forense;
  • Química Inorgânica;
  • Química Nuclear;
  • Química Orgânica;
  • Química e Tecnologia;
  • Amostragem e Metrologia Química;
  • Análise Instrumental;
  • Bioquímica;
  • Cálculo Diferencial e Integral;
  • Ciência de Materiais e Nanopartículas;
  • Legislação e Segurança do Trabalho;
  • Matemática Instrumental;
  • Métodos de Análise Química;
  • Métodos Matemáticos;
  • Química Geral Avançada;
  • Química Geral e Experimental;
  • Química Inorgânica;
  • Química Orgânica Avançada;
  • Físico-Química
  • História da Química;
  • Química Ambiental;
  • Química Analítica;
  • Construindo uma Carreira de Sucesso;
  • Cultura Digital;
  • Desenvolvimento de Carreira;
  • Física Geral;
  • Mineralogia e Cristalografia;
  • Operações Unitárias;
  • Pensamento Científico;
  • Química Analítica Qualitativa;
  • Química Analítica Quantitativa;
  • Sociedade Brasileira e Cidadania etc.

O perfil do profissional de Química

O estudante, pela abrangência da profissão, pode ter um perfil muito diversificado. Para direcionar melhor cada profissional ao mercado em que deseja ingressar, é bom poder recorrer a cursos de pós-graduação.

No entanto, antes de pensar em se especializar — ou mesmo de se entregar ao estudo das disciplinas básicas de Química do curso de graduação — o químico precisa apresentar as habilidades requeridas de todos os profissionais modernos:

  • facilidade de aprender;
  • ser uma pessoa dinâmica;
  • estar ligado nas novas tecnologias;
  • acompanhar o desenvolvimento da sua profissão;
  • saber trabalhar em grupo;
  • ter inteligência emocional;
  • desenvolver um plano de carreira.

Então, como dissemos, vêm as aptidões e habilidades específicas para trabalhar com Química. Como trata-se de um curso da área de Exatas — e as disciplinas dessa área estão muito relacionadas entre si — é necessário que o profissional tenha certo interesse por cálculos matemáticos.

Também o estudo da Física é determinante. Além dela, a Química também está bastante relacionada à Biologia, e essa relação é importante para a carreira, mesmo que o estudante não deseje desenvolver seus estudos em disciplinas que navegam entre ambas as áreas.

Como habilidades adicionais, podemos citar os conhecimentos sobre processos industriais, uma vez que boa parte dos químicos acaba indo atuar em indústrias. É o caso, por exemplo, dos profissionais especializados no petróleo e seus derivados (petroquímicos) e dos engenheiros químicos e químicos que trabalham com esses engenheiros.

Vale lembrar que a Química está contida em praticamente qualquer nova descoberta científica e que, inversamente, as tecnologias contidas nos estudos químicos também são um grande diferencial.

Como está o mercado de Química no Brasil?

É difícil fazer projeções para qualquer profissão, uma vez que atravessamos momentos de incertezas econômicas. A pandemia alterou, ao menos momentaneamente, as as regras de mercado. Nesse sentido, uma certa lógica de desenvolvimento que vinha sendo construída regularmente por décadas foi bruscamente interrompida.

Mesmo assim, há indícios de que o mercado de trabalho deve continuar demandando muitos químicos nos próximos anos. A lógica é de readequação, não de mudanças significativas na empregabilidade dos setores.

Como acontece em qualquer mercado nos dias atuais, para trabalhar com Química é necessário se readequar às novas realidades tecnológicas pós-pandemia. Mas isso não significa que o mercado não esteja a todo vapor.

Por exemplo, segundo dados de 2022, a falta de insumos ocasionada pela guerra entre Ucrânia e Rússia é um problema, mas as vendas internas de produtos cresceram durante a pandemia e a guerra europeia.

Quanto ganha o profissional de Química?

Valores de salários de qualquer profissão são sempre um assunto muito relativo. É preciso ter em mente que os profissionais podem ter ganhos diferentes dependendo da fase em que estão de suas carreiras e também de outros fatores.

Por exemplo, os Químicos que atuam em grandes corporações ganham até duas vezes mais que aqueles que trabalham em empresas pequenas. Ou seja, leve isso em consideração ao definir suas intenções de trabalho e um plano de carreira para quando se formar.

Outro dado curioso sobre a profissão é que, segundo a Revista Exame, o Químico Industrial está entre os 5 profissionais mais bem pagos nas áreas científicas. É, também, uma das profissões com a melhor relação salarial entre homens e mulheres, uma forma de reduzir a histórica desigualdade de gênero presente no mercado de trabalho.

Dito tudo isso, podemos afirmar, com base no site de vagas de emprego Vagas.Com, que a média salarial inicial do Químico está entre R$3.010 e R$6.300 reais. Naturalmente, os profissionais liberais e donos de empresa na área podem ganhar bem mais do que isso.

Quais são as tendências para o setor de Química?

Há vários fatores que tornam as tendências um assunto importante antes de se escolher uma profissão. Antes de qualquer coisa, é um tópico que ajuda o futuro profissional a dar seus primeiros passos nos estudos.

Por exemplo, saber que a indústria do petróleo é de onde vem a maioria das vagas pode fazer com que você priorize os assuntos relativos a esse mercado enquanto ainda está na graduação. Depois, é provável que queria se aproximar mais dos professores e grupos de estudos que voltam suas pesquisas a essa área.

As tendências que listamos a seguir não devem ser o único argumento para você decidir. Mas, sem dúvida, são tópicos que devem movimentar os estudos e carreiras em Química nos próximos anos.

Qualidade de vida

De certa forma, descobertas da Química sempre estiveram relacionadas à qualidade de vida. Pense, por exemplo, nos medicamentos para dores, males e desconfortos que foram desenvolvidos, assim como nos tratamentos médicos, nas descobertas científicas que facilitam a locomoção e geram satisfação para milhões de pessoas.

A penicilina, os Raios-X, o plástico, os isótopos radioativos, a quimioterapia… a lista de inovações que mudou a vida das pessoas é enorme.

Então, tenha em mente que investir na Química e sua relação com qualidade de vida é sempre tendência e uma ótima opção profissional. Pesquise constantemente inovações tecnológicas, descobertas medicinais e outras que têm potencial para melhorar a vida das pessoas.

Ecologia e indústria sustentável

Criar métodos produtivos rápidos, baratos e econômicos em recursos sempre foi o maior desafio da indústria. Há alguns anos, somou-se a isso a necessidade de a tecnologia e as técnicas produtivas empregadas tornarem-se ecologicamente sustentáveis.

A ideia de um desenvolvimento sustentável é antiga: as discussões a esse respeito começaram em 1979 na Assembleia Mundial da ONU. No entanto, foi só 8 anos mais tarde que surgiu a definição do conceito: “sustentável é o desenvolvimento que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”.

A sustentabilidade se apoia em 3 pilares: regular o consumo, fiscalizar a produção e buscar a inovação tecnológica, substituindo insumos e recursos energéticos não renováveis por fontes renováveis. Percebeu que a Química está presente em todos eles?

Redução de resíduos

Talvez a redução dos resíduos seja o melhor exemplo da aplicação do desenvolvimento sustentável. Por lei, as indústrias precisam dar um destino correto e seguro para seus próprios restos produtivos.

Esses restos podem ser de vários tipos: monturos tóxicos, fluidos radioativos, lixo comum, gases, excrementos animais resultantes da criação de gado e outros. É por meio de reações e soluções químicas cuidadosamente planejadas que esses resíduos não chegam à natureza.

Resumindo: toda empresa que produz lixo em grande quantidade precisa da ajuda de químicos para resolver o problema. Então, trabalhar em métodos eficientes de fazer isso não só já representa uma área consolidada como ela tende a crescer a cada ano.

Saúde e segurança alimentar

A brilhante atuação dos químicos nas áreas de Medicina e Farmácia não é novidade para ninguém. Por trás de toda descoberta genial dos farmacêuticos, há uma fórmula igualmente genial desenvolvida por meio do trabalho árduo de um químico.

A segurança alimentar, por sua vez, precisa de sólidas pesquisas químicas para se desenvolver. Toda a metodologia de produção, embalagem, transporte e acondicionamento de matéria-prima, mercadorias ou produtos acabados depende da Química.

E como sempre é possível continuar desenvolvendo esses sistemas, o que não deve faltar são vagas de trabalhos para químicos que queiram aplicar seus estudos na área de saúde e segurança alimentar.

Indústria química

Como deve ter ficado claro, a maior parte das oportunidades de trabalho na área de Química— e as mais bem pagas também — acontecem na indústria. O motivo disso também já foi explicado: as técnicas produtivas precisam evoluir para que a produção seja cada vez mais rápida e eficiente, e essa lógica deve se intensificar com a chegada da Indústria 4.0.

Química 4.0 (Indústria 4.0)

Também chamada de Quarta Revolução Industrial, a Indústria 4.0 é uma revolução que tem como motores alguns conceitos que já são do conhecimento de boa parte das pessoas: inteligência artificial, internet das coisas, robótica e hospedagem de arquivos em nuvem.

Por meio dessas tecnologias, tem-se uma produção mais eficiente e baseada na automação, ou seja, na criação de dispositivos e softwares que permitam a autonomia das máquinas para operarem com menos supervisão humana.

E onde entra a Química nisso tudo?

Já tem sido utilizado o conceito de Química 4.0, segundo o qual é possível obter novos compostos e soluções gerando e analisando dados com velocidade avassaladora. Já existem programas de computador capazes de gerar hipóteses (passando por todos os cálculos necessários) sobre tantas misturas quantas forem necessárias para chegar a um determinado resultado desejado por uma equipe de cientistas.

Big Data Analytics

Tudo isso é possível graças à chamada Big Data Analytics: o processamento e análise de dados em massa por supercomputadores e servidores. É um contexto que envolve cibersegurança, manufatura aditiva (fabricação de peças com base em desenhos digitais) e manufatura digital.

A manufatura digital consiste no uso de softwares integrados na produção industrial, e esses softwares, também chamados de ERPs, contêm todas as informações de uma empresa ou indústria.

O Big Data é algo que deve afetar todos os setores de todas as indústrias, químicas ou não, nos próximos anos: a produção propriamente dita, o marketing, as vendas, cadeias de suprimentos, o transporte e muito mais.

Quais são as principais atuações de um químico formado?

Não é possível que um material como este cubra todas as áreas em que um químico pode atuar. Seu trabalho é a tal ponto necessário, diversificado e amplo que pode ser exigido em virtualmente qualquer área.

No entanto, vale a pena mencionarmos as principais áreas de atuação do formado em Química, para que você entenda quais delas casam com o seu perfil pessoal e profissional. Misturando as opções deste tópico com as do anterior, sobre as tendências da profissão, você pode fazer uma ótima escolha de futuro profissional.

Química Forense

A melhor forma de explicar a Química Forense é evocar os episódios da popular série policial CSI: no show televisivo, é comum aparecerem profissionais que utilizam conhecimentos químicos para testar provas, desvendar crimes e ajudar a polícia a solucionar mistérios que cercam assassinatos e outros delitos.

Então, é de se esperar que o futuro químico forense esteja pronto para estudar as leis e sua aplicação. Ele também atua na solução de questões trabalhistas e outras disputas judiciais, tendo sua palavra de especialista grande valor nos veredictos.

Química de materiais

Embora o nome soe um tanto genérico, a Química de Materiais é um ramo fundamentalmente envolvido com a tecnologia. Afinal, para que os avanços tecnológicos ocorram, é necessário desenvolver novos recursos físicos para propiciá-los.

Pense, por exemplo, em todos os aparelhos que foram especialmente criados para facilitar a utilização do carvão, durante a Revolução Industrial, ou em como a nanotecnologia precisa de materiais muito pequenos para se tornar uma opção tecnológica viável.

Química ambiental

Trata-se da área que cuida da aplicação de todo o conhecimento da disciplina no estudo e compreensão do meio ambiente e suas relações químicas. Então, é um ramo que se conecta à Biologia.

Mas não confunda com a aplicação da Química na sustentabilidade. Em vez de pensar soluções ecológicas, o químico ambiental está mais preocupado com questões elementares: ele quer entender o funcionamento de ecossistemas variados e as relações químicas ali desenvolvidas com ou sem a interferência humana.

Química de alimentos

Boa parte dos processos de produção, embalagem, transporte e acondicionamento de alimentos precisa dos químicos para existir. Sem eles, a comida poderia facilmente ser o veículo de epidemias ou desencadear infecções alimentares em cadeia.

Não à toa, a base do trabalho da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) são estudos na área de Química. Por meio da disciplina, a tecnologia dos transportes também se desenvolve, e é possível entregar comida mais longe, com datas de validade dilatadas.

Indústria petroquímica

O Brasil faz parte do pequeno rol dos países privilegiados em termos energéticos.

Mesmo antes da descoberta das jazidas do pré-sal, produzíamos petróleo em grandes quantidades em nosso território, sendo a Petrobras um símbolo da nossa autossuficiência energética.

Onde há petróleo sempre há também uma enorme indústria que o cerca, com uma colossal cadeia produtiva. Esse bem natural é muito maleável, e pode ser transformado e adaptado para infinitas situações: são derivados do petróleo asfalto, plástico, gasolina, gás de cozinha, querosene, óleos lubrificantes (como os de motor) e tantos outros.

Em cada elo dessas transformações há químicos trabalhando, e grande parte deles é muito bem paga. Para que você tenha uma ideia, em 2018, essa indústria movimentou nada menos que 106,7 bilhões de dólares.

Carreira acadêmica

Por último, podemos falar do professor universitário na área de Química. Com bons salários e um sólido plano de carreira, o químico acadêmico tem toda a infraestrutura para expandir os limites da disciplina, trabalhando do ponto de vista teórico e laboratorial.

Esse profissional é um pesquisador, mas também precisa dar aulas e montar grupos de pesquisa. Muitos trabalhos que começaram nas universidades acabaram sendo expandidos por grandes empresas ou pelo Estado, com financiamentos que permitem que documentos técnicos tornem-se grandes inovações técnicas ou tecnológicas.

Como ingressar no mercado? A Anhanguera ajuda você!

E quanto aos primeiros passos na profissão, depois de formado? Será que é difícil começar no mercado de trabalho? Será que o químico recém-formado tem muita dificuldade para se adaptar e aplicar seus conhecimentos?

No momento de virar a chave de estudante para especialista, os formandos costumam enfrentar um dilema: precisam de experiência para conseguir um emprego, mas também precisam do emprego para adquirir experiência.

Para não ficar estagnado nesse ponto, dando voltas no início da carreira, recomendamos 3 atitudes que vão ajudar muito:

  • estude em uma faculdade orientada ao mercado de trabalho;
  • invista em networking, faça-se presente em eventos, conheça pessoas, torne-se próximo de colegas e professores;
  • aproveite ao máximo as oportunidades de estágio, escolhendo as mais práticas e direcionando-as à área que pretende seguir.

Defina agora o rumo da sua carreira!

Há mais de 25 anos formamos profissionais reconhecidos pelo mercado, o corpo docente da Anhanguera é composto de mais de 15 mil profissionais, entre professores, mestres e doutores.

Oferecemos infraestrutura, materiais de estudo, as Trilhas de Carreira — conteúdos complementares que vão potencializar seus estudos e ajudar você a se destacar — e ainda o Canal Conecta, um portal grátis e exclusivo com as melhores vagas do mercado.

Aqui, você conta com aprendizado virtual de qualidade e uma jornada de estudos flexível. Tudo feito sob medida para as suas necessidades.

Ficou empolgado com as áreas de estudo e oportunidades profissionais do químico? Então, não perca tempo e faça agora mesmo sua matrícula na Anhanguera! Com certeza, um mundo de aprendizado e satisfação pessoal e profissional espera por você.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registered successfully
Oops! Invalid email, please check if the email is correct.
Oops! Invalid captcha, please check if the captcha is correct.