Nutrição comportamental: o que é e como funciona?

estudante e profissional de nutrição comportamental em consultório

A busca pela qualidade de vida é uma prática cada vez mais comum e torna relevante o trabalho dos grupos que seguem profissões na área da Saúde. Entre tantas possibilidades de atuação, o campo da nutrição comportamental (NC) vem se destacando por conta de sua abordagem diferenciada.

Quem acompanha notícias relacionadas a esse universo sabe que os cuidados com a saúde têm se baseado em diversas práticas, que vão muito além da escolha sobre o que incluir no prato. Nesse sentido, é importante que futuros profissionais entendam as novidades voltadas à alimentação.

Neste artigo, você verá mais explicações com os seguintes tópicos:

  • o conceito de nutrição comportamental;
  • por que tem sido uma tendência;
  • o modo de trabalho do profissional;
  • os motivos para investir na carreira.

Confira!

O que é nutrição comportamental?

Antes de explicar o termo, precisamos salientar que a preocupação em manter uma rotina saudável nunca esteve tão em alta. Inclusive, é fácil perceber que, de uns tempos para cá, a quantidade de informações disponíveis sobre alimentação — em forma de textos, podcasts e vídeos — cresceu muito.

Esse interesse por parte da população trouxe novas oportunidades de atuação para os profissionais da área da Saúde. Tanto que aqueles formados em cursos de Nutrição conseguem desenvolver seus trabalhos a partir de diversas plataformas e ambientes, via internet ou atendimento em clínica.

Uma abordagem que tem feito sucesso entre as novas gerações é aquela que foca a relação das pessoas com a comida. Estamos falando da nutrição comportamental, que, ao considerar os hábitos e as condutas de cada paciente, propõe mudanças que possam personalizar e adequar a dieta alimentar.

De forma resumida, a NC é um tratamento que engloba diferentes práticas para melhorar o modo como enxergamos e experimentamos o ato de comer. Para isso, o profissional responsável deve ser capaz de considerar os aspectos sociais, fisiológicos e emocionais da alimentação.

O objetivo é fazer com que o momento da refeição seja tratado com a devida importância, sem deixar o prazer da degustação de lado. Assim, contrariando as ações que visam restringir a dieta e causar sensação de culpa, a nutrição de comportamento busca o equilíbrio entre apreciar sabores e nutrir o corpo.

Por que tem sido uma tendência?

Jejum, low carb, paleo, dukan. Quem procura dicas sobre alimentação saudável logo se depara com inúmeras propostas de dietas. O problema é que muitas dessas abordagens envolvem a restrição ou a eliminação completa do consumo de determinados produtos encontrados na cozinha.

O resultado de adotá-las, portanto, tende a funcionar apenas por alguns dias. Para a maioria das pessoas, é impossível manter as práticas em longo prazo, visto que isso demandaria controle intenso das refeições e preocupações constantes sobre os efeitos da ingestão de cada tipo de alimento.

Não parece algo saudável para o corpo e a mente, certo? Nesse sentido, uma alternativa à proibição de certos ingredientes é apostar na manutenção de uma relação mais equilibrada e adequada com a comida. É o que propõe a nutrição comportamental e sua abordagem empática.

Por focar o perfil do indivíduo e considerar vários detalhes que interferem na maneira como ele se alimenta, a NC vem conquistando grande espaço no mercado. Aos profissionais interessados nessa nova forma de atender, é importante investir em capacitação profissional de qualidade e procurar por estágios na área para ganhar experiência nessa abordagem. Para isso, não deixe de contar com a plataforma exclusiva de oportunidades aqui da Anhanguera, o Canal Conecta.

Como funciona, na prática?

Se você perguntar a diferentes pessoas o que faz um nutricionista, é bem provável que ainda escute respostas parecidas com esta: prescrever dietas e elaborar receitas com base na constituição física do paciente, tendo como foco o emagrecimento ou o ganho de massa muscular.

Embora a redução do peso corporal e o fortalecimento da musculatura sejam necessários em muitos casos, eles não são os únicos benefícios resultantes de uma boa alimentação. Além do mais, nem sempre é possível garantir que a mesma abordagem funcione para diferentes indivíduos.

Frente a isso, muitos nutricionistas têm buscado outras formas de aplicar os conhecimentos obtidos com a grade curricular da faculdade. A NC é uma abordagem que chama a atenção desses grupos justamente por permitir um atendimento mais humanizado e voltado às necessidades do paciente.

Assim, além de realizar os procedimentos comuns (como medição de altura, pesagem e avaliação do percentual de gordura), o profissional especializado em nutrição de comportamento conversa com o paciente para entender quais problemas e condições estão por trás de suas condutas.

Em outras palavras, o nutricionista acolherá a pessoa com um diálogo empático, ouvindo suas principais queixas e desejos. Dessa forma, poderá identificar possíveis obstáculos que prejudicam o alcance dos objetivos e, a partir disso, propor ações que ajudem o paciente a mudar esse cenário.

Entre as técnicas empregadas nessa abordagem, podemos destacar:

  • comer intuitivo (consiste em identificar os sinais internos relacionados à vontade de comer, ao desejo, à fome e à saciedade);
  • aconselhamento nutricional;
  • terapia cognitivo-comportamental;
  • entrevista motivacional.

Todas as práticas têm como finalidade o alcance de uma vida mais equilibrada, livre de compulsões e hábitos ruins. O paciente deve ser capaz de obter nutrientes necessários ao organismo e, ao mesmo tempo, saborear os alimentos sem sentir culpa ou tristeza.

Com o tempo, é esperado que o indivíduo assuma o controle sobre a própria saciedade e passe a comer de forma mais consciente. Isso permitirá desfrutar de todas as refeições e encará-las com positividade.

Vale a pena atuar na área?

Em tempos que favorecem a construção de diferentes carreiras, incluindo a participação cada vez maior da mulher no mercado de trabalho, é esperado que todas as áreas da nutrição sejam promissoras. Isso significa que, para quem tem interesse na profissão, compensa muito investir no campo da NC.

Cabe destacar que já existem opções de pós-graduação em nutrição comportamental, o que facilita a entrada nesse mercado. De todo modo, é fundamental garantir um bom preparo desde o início da capacitação. Para tanto, não deixe de pesquisar sobre as instituições que oferecem o curso.

O estudante que pretende seguir carreira na área comportamental também deve desenvolver habilidades interpessoais de comunicação e ser um bom ouvinte. Apresentando esse perfil, poderá oferecer um serviço diferenciado e encontrar a melhor oportunidade para atender seus pacientes.

Como pôde ver, a nutrição comportamental é uma tendência com bastante potencial para transformar o trabalho de profissionais e de pessoas ao redor do mundo. Nesse sentido, não deixe de incluir estudos e experiências profissionais dessa abordagem no decorrer da faculdade.

Quer saber mais sobre o curso de Nutrição e as oportunidades que ele traz? Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.