Qual a importância da experiência profissional e como conquistá-la?

experiência profissional

A experiência profissional é sempre um fator ao qual você deve estar atento se tem a intenção de ser contratado em uma empresa renomada. Isso porque essa é uma parte do currículo destinada ao que você efetivamente realizou durante sua trajetória profissional. Nesse sentido, ela oferece maior segurança aos recrutadores que conseguem analisar se o candidato merece ser chamado para uma entrevista de emprego.

No entanto, quem está no processo de construção da sua carreira, provavelmente não terá um grande histórico para inserir no documento de apresentação. Então, quais seriam as alternativas para demonstrar as competências e ganhar uma oportunidade?

Logo abaixo, abordamos o tema, oferecendo dicas práticas que o ajudarão a incrementar seu currículo e, consequentemente, ingressar no mercado de trabalho. Continue a leitura e veja como se tornar um profissional mais competitivo!

Qual a importância da experiência profissional nas seleções?

Normalmente, as empresas contratam para suprir necessidades de competências. Ou seja, considerando a estratégia de negócios, o RH constata o que as organizações têm demandado, em termos de conhecimentos, habilidades e atitudes, e contratam pessoas qualificadas no mercado de trabalho.

Por isso, ao olhar o currículo, os recrutadores buscam pistas que possam indicar as aptidões profissionais, como formação, qualificação e atividades extracurriculares. Entre as principais, está a experiência profissional.

Os motivos para buscar a experiência dizem respeito à existência de competências que, geralmente, se verificam na prática, como aptidão para o trabalho em equipe e a assiduidade. Além disso, o histórico demonstra se a pessoa já realizou, em algum momento, algo próximo do que a empresa necessita, representando uma forma de validar competências alegadas no currículo.

Imagine, por exemplo, que uma pessoa diz dominar os conceitos de informática básica. Se o currículo apresenta uma atuação em função que utilize essa habilidade, é como se a informação recebesse um carimbo, demonstrando que é uma declaração sólida e confiável.

Não por acaso, a capacitação profissional também exerce um papel determinante. Isso porque além de demonstrar que a pessoa estudou sobre os tópicos mencionados, o recrutador geralmente se baseia na reputação da instituição de ensino.

Se você tiver, por exemplo, um diploma da Anhanguera, as empresas saberão que é uma formação mais voltada para o mercado, logo, considerarão essa característica ao avaliar o currículo. E em muitos casos, os recrutadores buscarão outros dados, como avaliações da faculdade pelo MEC e histórico de profissionais que estudaram na mesma instituição.

Como ter experiência profissional além do trabalho formal?

Pelo que foi visto, é natural ver a experiência profissional no primeiro emprego ou no início da carreira como um desafio. Porém, como há um motivo claro para avaliar o histórico de atividades, você pode buscar alternativas que alimentem essa parte tão importante do currículo.

Comece escrevendo uma lista com os conhecimentos, habilidades e atitudes que você considera importantes para área escolhida ou pesquise anúncios de emprego. Depois, procure atividades em que as competências identificadas sejam utilizadas em algum nível.

Entre as opções de como conquistar experiência profissional, temos o seguinte:

  • participar de projetos de pesquisa;
  • atuar em uma empresa júnior;
  • ser monitor na faculdade;
  • exercer função de voluntariado;
  • criar um pequeno empreendimento;
  • realizar um estágio.

A seguir, veja ponto a ponto!

Participar de projetos de pesquisa

A pesquisa realizada no âmbito das faculdades é uma forma de praticar os conceitos de sua área, além de evidenciar competências comportamentais relevantes, como trabalho em equipe, liderança, inciativa e capacidade de seguir um método.

Normalmente, as oportunidades nessa área estão relacionadas aos estímulos oferecidos pela instituição de ensino superior. Aqui na Anhanguera, o estudante contará não apenas com projetos e incentivos à pesquisa, mas com uma infraestrutura adequada, inclusive, para concluir etapas burocráticas e registrar o trabalho científico.

Atuar em uma empresa júnior

Também no ensino superior, é possível atuar em empresas juniores. Trata-se de uma organização sem fins lucrativos, criada para que os estudantes exerçam funções do mercado profissional sob a supervisão de professores com amplo conhecimento e experiência na área. A inciativa é comum em cursos ligados ao âmbito empresarial, como Administração, Marketing e Contabilidade.

Ser monitor na faculdade

A monitoria é um programa acadêmico em que um aluno exerce atividades de docência, auxiliando outros colegas de faculdade. Assim, além de ser uma experiência relevante, permite a integração entre estudantes, sendo um ótimo item para inserir no currículo.

Exercer função de voluntariado

As iniciativas relacionadas à responsabilidade social, como trabalho em ONGs, prestação de serviços à comunidade, projetos beneficentes e outras ações não remuneradas também podem ser colocadas no currículo.

Uma dica, nesse sentido, é pedir uma declaração de experiência, porque, como você não terá nenhum registro em carteira de trabalho, é importante contar com um documento, atestando as atividades desempenhadas para comprová-las às empresas.

Criar um pequeno empreendimento

Você pode investir, ainda, em alguma atividade autônoma e informal, a exemplo de programas de afiliados pela internet, trabalho como feelancer, vendas de doces, sanduíches e roupas etc, aulas particulares, entre outras ações.

A dica, nesse caso, é documentar as atividades, com declarações ou contratos de prestação de serviços. Também é possível formalizar o empreendimento na condição de microempreendedor individual (MEI).

Realizar um estágio

Por fim, busque instituições de ensino que façam parcerias para conceder estágios. A comunicação com o mercado é fundamental para que o estudante tenha oportunidades e consiga praticar os conhecimentos adquiridos ao longo do curso, adquirindo experiência profissional.

De todo modo, fique atento à escolha do curso. As boas faculdades facilitam a inserção do estudante no mercado de trabalho, com parcerias com empresas, tanto para conquistar as primeiras oportunidades de experiência como para alcançar as vagas mais requisitadas.

Um exemplo é o canal Conecta. Essa plataforma centraliza as oportunidades de organizações parceiras da Anhanguera, facilitando o envio de candidaturas pelos alunos. Além disso, o estudante acessa materiais sobre empregabilidade, testes comportamentais e outras ferramentas para facilitar sua inserção no mercado de trabalho.

Como colocar essas experiências profissionais no currículo?

As experiências em trabalhos informais respeitam os mesmos princípios da obtida em empresa: clareza, objetividade e concisão. Resumidamente, a mensagem deve ser apreendida de imediato, apontar diretamente para o que você quer dizer e, por fim, ser curta.

Atualmente, o formato mais adotado divide o texto em cinco partes:

  • título — instituição em que foi realizada a atividade, como ONG X, Empresa Júnior Y, Monitoria na instituição de ensino Z;
  • descrição — breve apresentação da instituição, por exemplo, “Empresa Júnior vinculada à instituição de ensino X, que atua no segmento Y”.
  • função — o seu papel, que pode ser monitor, estagiário em Administração de Empresas, voluntariado na área de X, microempreendedor, etc.;
  • período — quando entrou e quando saiu, bem como o tempo na atividade;
  • atividades — o que você fez em uma lista de itens, por exemplo “liderança de equipe com 6 voluntário nas ações x, y e z” .

Perceba que a lista de atividades é o local em que estarão inseridas as competências validadas pela experiência profissional. Escolha os tópicos mais relevantes para a vaga escolhida, moldando o currículo de acordo com o contratante em potencial.

Vale ressaltar que o canal Conecta tem uma ferramenta específica para converter os conhecimentos adquiridos nas disciplinas da faculdade em competências profissionais. Logo, é uma ótima ideia para quem ainda não tem experiência no mercado de trabalho ou deseja complementar as informações das atividades informais.

Dessa forma, você montará um currículo com a formatação ideal para chamar a atenção dos recrutadores e ser mais competitivo, ao concorrer por uma vaga. Afinal, além da experiência profissional em atividades informais, será fácil identificar os benefícios da contratação para o empregador.

Para entender um pouco mais sobre o mercado de trabalho, confira nosso texto específico sobre o tema e complemente a sua leitura!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content