Como o empoderamento feminino vem transformando o mercado?

mulheres representando empoderamento feminino

É fato que as mulheres estão ganhando cada vez mais espaço no mercado de trabalho e nos negócios. Nomes como Luiza Trajano, Camila Farani e Zica Assis são apenas alguns exemplos de como o empoderamento feminino vem ganhando cada vez mais repercussão. Afinal, elas trazem exemplos de superação, pois venceram uma série de desafios neste meio, como o preconceito e as duplas (ou até triplas) jornadas.

Por isso, é interessante entendermos como isso vem acontecendo, de fato, e quais são as mudanças impostas por essa transformação do mercado. Sendo assim, neste artigo, vamos explicar melhor esse conceito e apresentaremos dados que mostram o cenário atual do empoderamento das mulheres. Acompanhe!

O que é empoderamento feminino?

O empoderamento feminino é o nome dado a uma consciência coletiva na qual toda menina ou mulher toma para si o poder sobre suas características femininas e se posiciona diante das conquistas às quais almeja. Com isso, esse grupo ganha representatividade e fortalece-se para vencer os desafios impostos pela sociedade e desenvolver a equidade de gêneros.

Esse conceito surgiu por volta de 1970, nos EUA, por meio de um movimento para incentivar a autovalorização das mulheres em busca por seus direitos de cidadania. A origem da palavra “empowerment” refere-se à “delegação”, “poder” e “fortalecimento”, o que significa enaltecer meninas e mulheres para que conquistem seus espaços, tenham as mesmas oportunidades de trabalho e sejam quem elas queiram ser.

Como acontece a desigualdade de salários entre mulheres e homens?

Em 2010, a ONU (Organização das Nações Unidas) estabeleceu uma série de princípios sobre o empoderamento feminino no intuito de incentivar essa prática, como apoiar o empreendedorismo e a liderança feminina, garantir a equidade da mulher no mercado de trabalho, promover assistência primária e educacional de forma justa tanto aos homens quanto às mulheres, entre outros.

De fato, a mulher vem ganhando cada vez mais espaço no mercado de trabalho; porém, a desigualdade salarial entre homens e mulheres ainda é grande. De acordo com uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em média, as mulheres ganham 20,5% menos do que os homens, mesmo ocupando os mesmos cargos. E de acordo com um relatório de 2018 feito pelo Fórum Econômico Mundial, a previsão é que demore mais 100 anos para essa diferença desaparecer.

No entanto, o fato é que o empoderamento feminino é fundamental para gerar essa conscientização na sociedade e agilizar as mudanças no mercado, como veremos a seguir.

Como o empoderamento feminino ajuda a combater esse cenário?

As empresas que investem na equidade de gênero e apoiam o empoderamento das mulheres no mercado de trabalho também ganham uma série de benefícios. Por exemplo, aumentam a motivação da equipe e o engajamento dos colaboradores com o negócio, além de promover sua marca no mercado de maneira positiva, atraindo mais clientes.

Diante disso, listamos as principais mudanças que o empoderamento feminino vem trazendo ao mercado, tais como:

  • mudança na cultura das empresas: devido a essa conscientização, as organizações estão investindo na diversidade de gênero ao incluir mais mulheres nas equipes e ao estimular o desenvolvimento de todos os colaboradores;
  • aumento da conscientização: considerando que esse movimento tem apenas meio século, a tendência é que o preconceito diminua gradativamente — apesar de 90% das mulheres ainda sofrerem algum tipo de preconceito, segundo a ONU;
  • autoaceitação das mulheres: o empoderamento feminino vem ajudando a mulher a aceitar suas características femininas; assim, elas vencem estereótipos impostos pela sociedade e lutam para conciliar a carreira com a maternidade;
  • aumento do poder de decisão da mulher: essa mudança de pensamento permite que a própria mulher reconheça sua capacidade e vença a síndrome do impostor. Por exemplo, hoje apenas 15,7% das startups brasileiras são fundadas por empreendedoras de acordo com a Revista Veja;
  • conversa mais aberta sobre assédio sexual: essa discussão é fundamental para encorajar a mulher a denunciar assédios sexuais no ambiente de trabalho. Mesmo criando iniciativas para combater esse problema, a própria OIT (Organização Internacional do Trabalho) admitiu ter dificuldades em gerar dados sobre isso devido à grande subnotificação dos casos.

Como as mulheres vêm aumentando sua presença no mercado de trabalho?

Ainda que o conceito de empoderamento feminino seja relativamente novo, a luta é bem antiga. Mais precisamente desde a Segunda Revolução Industrial, quando se incorporou a mão de obra da mulher na produção em massa das indústrias.

No entanto, eram os homens que detinham direitos exclusivos, como acesso à educação, cultura, melhores salários e até direito ao voto, enquanto elas tinham que conciliar os papéis de mãe, dona de casa e operária de fábrica.

Depois de muitas conquistas, atrelado à mudança cultural e à revolução tecnológica, a mulher aumentou seu espaço no mercado de trabalho. Conheça os principais fatores que contribuíram para esses avanços!

Maior acesso aos estudos

Diferentemente do que acontecia no passado, hoje a educação é direito de todos e dever do Estado, o que permite à mulher ter acessibilidade para estudar e desenvolver competências essenciais no mercado de trabalho.

Dessa maneira, ela consegue ganhar vantagem competitiva e concorrer às vagas de forma justa. As vagas do Canal Conecta, portal exclusivo dos alunos aqui da Anhanguera, considera as qualificações técnicas e comportamentais, sem distinção de gênero.

Busca pela independência financeira

Segundo o IBGE, a expectativa de vida da mulher é 7 anos a mais do que a dos homens. Sendo assim, à medida que ela é propensa a ficar sozinha na velhice, precisa se preparar para não depender do seu parceiro financeiramente.

Por isso, as mulheres passaram a buscar sua própria independência financeira nos últimos anos. Hoje já é comum vê-las discutindo sobre economia e fazendo investimentos, tanto em poupanças e rendimentos quanto em aplicações de longo prazo.

Divisão das tarefas domésticas

O aumento da mulher no mercado de trabalho faz ela assumir mais responsabilidades fora de casa. Com isso, é preciso conciliar trabalho, faculdade e filhos sem esquecer das suas conquistas pessoais.

Devido a essa ausência, é natural que os homens assumam cada vez mais as tarefas domésticas sem aquela imposição exclusiva às mulheres que acontecia antigamente. O empoderamento feminino tem incentivado essa divisão de forma natural e justa.

O empoderamento feminino é uma prática essencial para apoiar a luta das mulheres no mercado de trabalho, combatendo preconceito e promovendo a equidade de gênero. Ainda que haja um crescimento positivo sobre isso, como o aumento da diversidade e do posicionamento das mulheres, sabemos que o caminho ainda é longo. Por isso, precisamos nos unir em combate a todo e qualquer tipo de preconceito e incentivar ao máximo essa conscientização.

Agora que você entende o crescimento dessa mudança cultural nas organizações, descubra como encontrar empresas contratando para enviar currículos!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.